Tecnologia

| Internet

Estão abertas, a partir desta segunda-feira (17), as inscrições para o Lara (Latin America Research Awards), o programa de bolsas do Google para alunos de cursos voltados para computação. Em sua sétima edição a premiação pretende contemplar estudantes de mestrado ou doutorado, e também seus orientadores acadêmicos, com bolsas de pesquisa para o desenvolvimento de projetos com potencial de impactar a vida das pessoas.

Devem ser distribuídos, entre os projetos selecionados, o equivalente a R$ 2 milhões. Os candidatos serão selecionados por um comitê formado por engenheiros do Centro de Engenharia da empresa, em Belo Horizonte. As inscrições estarão abertas até o dia 29 de Julho e as instruções para submeter os trabalhos podem ser encontradas neste site.

##RECOMENDA##

Conheça os campos de pesquisa contemplados:

Geo/Maps;

Interação entre humanos e computadores;

Recuperação, extração e organização de informações (incluindo gráficos de semântica);

Internet das Coisas (incluindo cidades inteligentes);

Machine learning (aprendizado de máquinas ) e data mining (mineração de dados );

Dispositivos móveis;

Processamento natural de línguas;

Interfaces físicas e experiências imersivas;

Privacidade;

Outros tópicos relacionados a pesquisas na web.

LeiaJá também

--> Google vai premiar garotas desenvolvedoras

--> Google lança Wi-Fi grátis no Brasil

--> Google mostra imagens de novo Pixel 4

A rede social Instagram está apresentando instabilidade na noite desta quinta-feira (13). Usuários de todo o mundo relataram, no Twitter, que não estão conseguindo acessar normalmente a rede social, seja pelo modo mobile ou web.

Não é possível postar atualizações nos stories ou fazer outro tipo de postagem. Até o momento, a conta oficial do aplicativo não se pronunciou sobre a causa falha.

##RECOMENDA##

 

O Instagram decidiu não remover de sua plataforma o vídeo falso de Mark Zuckeberg, no qual uma versão criado por algoritmos do fundador da rede social diz que rouba e controla os dados das pessoas. A decisão é consistente com a política de uso dos produtos do Facebook, que no mês passado se recusou a remover um vídeo criado por algoritmos que retrata uma versão "bêbada" de Nancy Pelosi, líder do partido democrata na câmara de deputados - na época, a decisão do Facebook causou polêmica no meio político americano.

Ao site TechCrunch, o Instagram diz que tratará o vídeo do chefe da mesma maneira que trata material com conteúdo falso: o conteúdo será filtrado da aba Explorar e hashtags não funcionarão com o material. Para que isso aconteça, porém, agentes independentes de checagem precisam marcar o material como falso. No auge da polêmica do vídeo de Pelosi, Neil Potts, diretor de política pública do Facebook, garantiu que nem mesmo um vídeo falso de Mark Zuckerberg seria removido da rede social.

##RECOMENDA##

O vídeo de Zuckerberg foi criado por meio de inteligência artificial - os algoritmos usam imagens reais do fundador do Facebook e combinam com os movimentos do rosto de outra pessoa, técnica conhecida como deep fake. O crescimento e sofisticação dos deep fakes já preocupam autoridades e especialistas sobre o seu impacto em processos eleitorais em diversas partes do mundo.

Os criadores do vídeo de Zuckerberg têm deep fakes de outras personalidades, incluindo Donald Trump e Kim Kardashian.

 

Clique aqui

Chegou a data mais romântica do ano. No Dia dos Namorados, as timelines das redes sociais ficam lotadas de fotos românticas, cheias de casais apaixonados e declarações de amor. Porém, nem todo mundo tem um crush para chamar de seu. Para auxiliar os solteiros a ficar Juntos e Shalow Now com alguém, muitos aplicativos prometem apresentar os melhores pretendentes, seja baseado na sua lista de contatos ou nas pessoas que cruzam com você na rua. Se você está precisando de um cupido virtual, confira nossa lista!

Tinder

##RECOMENDA##

Com certeza, o mais popular da lista. O Tinder cruza informações do Facebook e do Spotify, para apresentar os perfis que mais teriam a ver com o seu. É possível definir que idade, gênero e até a distância de onde seu futuro match pode estar. O app é gratuito, mas existem versões pagas como o Tinder Gold e o Tinder Plus, que oferecem mais ferramentas para quem quer encontrar um amor. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Happn

Diferente do Tinder, procura possíveis matchs através de plataformas online, o Happn mostra quem cruza com você na rua. Achou alguém interessante no ponto de ônibus, mas não teve coragem de puxar assunto? Se a pessoa estiver no Happn é provável que o perfil dela apareça para você. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Grindr

Semelhante ao Tinder, mas voltado para o público LGBTI+, o Grindr tem como público alvo homens gays, bissexuais e homens trans - que podem adicionar essa característica às suas preferências de match. Assim que você organizar seu perfil e permitir sua localização o aplicativo começará a enviar possíveis candidatos a um encontro para você. O aplicativo está disponível para Android e iOS e também possui versão paga.

Facebook Dating

Lançado no final de abril, o Facebook Dating  é um recurso separado dentro do próprio aplicativo do Facebook. Ele é o que mais se parece com o modo tradicional - de apresentar um colega para o outro e ver se dá certo - porque usa suas preferências, interesses e atividades, além dos amigos em comum, para encontrar um par. Também há a opção de conhecer pessoas que não tenham sequer um coleguinha do mesmo ciclo de amizade e - apesar de estar relacionado à rede social, tem mecanismos que garante a privacidade do usuário.

Adote Um Cara

Com uma pegada mais descontraída, e voltado para heterossexuais, o Adote Um Cara tem a proposta de inverter o conceito de que, na hora da paquera, é o homem quem tem que tomar a iniciativa.  Aqui as mulheres é que dão o primeiro passo. Os homens criam seus perfis de acordo com suas características e estilos em categorias como barbudo, hipster, surfista, geek, etc. Ao contrário dos outros aplicativos muitas das funcionalidades básicas do app são pagas e é preciso desembolsar algum valor antes de começar a conversar.

Messenger Match

Criado em Fortaleza, no Ceará, o Messenger Match, funciona dentro do Facebook Messenger e usa de inteligência artificial para avisar ao usuário quando alguém tiver a fim de conhecê-lo. Não é preciso baixar a ferramenta, apenas permitir que ela acesso o aplicativo de conversas. Quem se cadastrar até hoje (12), poderá ter acesso a todas as funcionalidades premium, gratuitamente, até o fim do mês.

Divino amor

Nem só de encontros casuais se fazem os aplicativos de paquera e a prova disso é o app Divino Amor. Voltado para o público cristão o app, desenvolvido pela mesma empresa do Tinder, permite buscas por área, idade e até mesmo por tipo de igreja. O aplicativo está disponível para Android e iOS e também possui versão paga.

Femme

Também feito pelo Match Group, empresa responsável pelo Tinder, o Femme - como o nome sugere - é um aplicativo voltado para mulheres lésbicas ou bissexuais. É possível encontrar pretendentes por área, idade e características que você considera importantes para uma futura pretendente. A empresa também garante que o app é um ambiente seguro para suas usuárias, com uma equipe dedicada 24 horas à plataforma. O aplicativo está disponível para Android e iOS e também possui versão paga.

Hornet

Outra opção para quem quer fugir do Grindr, o Hornet é voltado para homens gays e bissexuais. O app tenta ir além da paquera, com perfis interativos, textos com informações que afetam a comunidade gay e até um guia turístico escrito por e para homens homossexuais, que serve para ajudá-los a encontrar eventos voltados à comunidade LGBT nos arredores. O aplicativo está disponível para Android e iOS e também possui versão paga.

Reunidos neste fim de semana no Japão, os principais ministros das Finanças dos países do G20 concordam quanto à urgência de reformar o imposto sobre os gigantes da Internet - conhecido como Gafa -, ainda que haja divergências sobre como fazer isso.

O G20 financeiro encarregou a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) de estabelecer um sistema global de impostos para as grandes empresas de Internet, ou Gafa (acrônimo de Google, Amazon, Facebook e Apple), que costumam ser criticadas por suas práticas de "otimização fiscal".

##RECOMENDA##

"Temos que nos apressar", defendeu o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, em uma conferência sobre tributação internacional, antes do início oficial do G20 em Fukuoka, no sudoeste do Japão.

"A realidade é que a digitalização da economia e as grandes empresas digitais ganham lucros consideráveis, graças à valorização de seus dados", embora paguem seus impostos em países com taxas mais favoráveis, disse o ministro à AFP.

Os cidadãos percebem o sistema atual "como uma grande injustiça", alegou o ministro britânico das Finanças, Philip Hammond.

- "Estímulo" -

A ideia é cobrar os impostos das multinacionais de Internet não nos países em que têm seus escritórios e presença física, mas no lugar onde registram sua receita.

O secretário-geral da OCDE, Ángel Gurría, comemorou os "avanços significativos", após a adoção por parte de 129 países, na semana passada, de um roteiro que abre caminho "até 2020".

Existem, porém, fortes divergências sobre os métodos de aplicação.

Embora tenha admitido a urgência do tema, o secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, disse se tratar de "questões complicadas" e que não se deve "discriminar" o setor tecnológico.

Mnuchin manifestou sua divergência em relação à decisão de França e Reino Unido de sobretaxar as empresas Gafa de forma unilateral.

Estas duas iniciativas "preocupam" os Estados Unidos, frisou o secretário, mas Paris e Londres "têm o mérito de tê-las proposto, no sentido de que geraram uma urgência", sendo um "estímulo" para abordar o problema.

Para a ONG Oxfam, esta reunião é uma "oportunidade única para pôr fim à sonegação fiscal das grandes multinacionais", avalia um comunicado publicado antes do encontro ministerial.

As tensões comerciais entre Estados Unidos e seus sócios é outro tema prioritário na agenda do G20, ainda que o fato de Washington e México terem chegado a um acordo sobre tarifas e migração tenha suavizado a situação.

Em relação à China, os Estados Unidos deixaram a porta aberta para a retomada das negociações, disse Mnuchin.

"Estávamos prestes a concluir um acordo histórico. Se quiserem voltar à mesa e assinar segundo os termos que estávamos negociando, muito bem. Em caso contrário, como disse o presidente (Donald Trump), seguiremos adiante com as tarifas", advertiu.

Nesta quinta-feira (6), o Google anunciou a chegada do Google Station, no Brasil. O serviço de Wi-Fi gratuito faz parte de um projeto da empresa para expandir a conexão à Internet em países emergentes. Inicialmente cerca de 80 pontos foram implementados em São Paulo, incluindo o Parque do Ibirapuera e estações de trem. Até 2020, outras cidades devem receber acesso a rede.

Para usar a conexão não é preciso instalar nenhum aplicativo ou utilizar senhas. Para se conectar no Wi-Fi do Google basta selecionar a rede “Google Station”, digitar o número de telefone e receber um código de verificação no celular.Todos os pontos são fixados em locais públicos e podem ser visto no Mapa do Google Station. Países como México, Indonésia, Tailândia e Filipinas também usam o serviço.

##RECOMENDA##

A promessa da gigante da internet é que os usuários que acessarem os pontos de conexão tenham internet rápida o suficiente para assistir vídeos de alta qualidade em seus dispositivos, sem precisar gastar o plano de dados.

O governo chinês concedeu nesta quinta-feira (6) licenças de telefonia móvel 5G a quatro empresas nacionais, em mais uma etapa de seu objetivo de liderar a próxima geração das telecomunicações.

O 5G é a nova geração de internet móvel, que oferece uma velocidade maior de transferência de dados e deve possibilitar tecnologias como carros autônomos ou diagnóstico médico à distância.

##RECOMENDA##

As empresas estatais contempladas são China Telecom, China Mobile, China Unicom e China Broadcasting Network Corporation, informou o ministério da Indústria e Tecnologia da Informação.

O grupo chinês de telecomunicações Huawei é líder mundial no desenvolvimento do 5G, mas suas ambições enfrentam a oposição do governo dos Estados Unidos, que pediu a outros países que boicotem a empresa por acusações de espionagem.

Já faz um tempo que o YouTube tem mudado suas políticas contra conteúdos considerados nocivos para seus usuários. Nesta quarta-feira (5), a plataforma de vídeos anunciou que, além dos vídeos com conteúdos violentos, estará banindo também materiais que incitam ódio ou sejam supremacistas.

"Estamos dando mais um passo em nossa política de discurso de ódio, proibindo especificamente vídeos que alegam que um grupo é superior, a fim de justificar a discriminação, segregação ou exclusão com base em qualidades como idade, sexo, raça, casta, religião, orientação sexual ou status de veterano", disse a empresa em comunicado.

##RECOMENDA##

Essa decisão tiraria da plataforma, por exemplo, vídeos que promovam ou glorifiquem a ideologia nazista ou que neguem que eventos violentos como esse ocorreram. Desde 2017 a empresa já apresentava uma postura mais rígida em relação aos vídeos com conteúdo supremacista, chegando a reduzir cerca de 80% de suas visualizações. Porém, o YouTube resolveu ir além.

Em janeiro, a empresa testou nos Estados Unidos, uma ferramenta para limitar as recomendações de conteúdo que fossem fonte de desinformação, como vídeos promovendo curas milagrosas falsas para doenças ou até mesmo que alegavam que a Terra é plana. Se um usuário assistisse a esse tipo de conteúdo os sistemas indicariam na opção “assistir a seguir” outros vídeos de fontes seguras para desfazer a informação do vídeo anterior. É possível que o alcance dessa ferramenta seja ampliado para outros países.

Para os criadores de conteúdo

Para quem cria conteúdo na plataforma o YouTube afirma que “canais que repetidamente se confrontam com as nossas políticas de incitação ao ódio são suspensos no Programa de parceiros do YouTube”, o que significa que não poderão mais apresentar anúncios no canal, nem utilizar outras funcionalidades de rentabilização.

Durante a WWDC 2019, a conferência de desenvolvedores da Apple, além das novidades de software, foram anunciados os vencedores do Apple Design Awards, que premia os melhores aplicativos da plataforma. Aplicativos desenvolvidos na Austrália, Áustria, Inglaterra, França, Itália, Lituânia e os EUA, foram os vencedores.

Os apps foram escolhidos entre edição de fotos, desenho, imagens médicas, esportes e jogos. Eles foram avaliados por oferecerem um design da interface do usuário diferente, design de som, gráficos, controles ou jogabilidade e aproveitamento das tecnologias da Apple, como haptics, Metal ou Core ML.

##RECOMENDA##

Confira os vencedores

Ordia

Ordia é um jogo de ação de um dedo que combina jogabilidade simples e visuais ricos. Você é uma nova forma de vida explorando seu mundo, através de uma paisagem alienígena borbulhante. Arraste para mirar, pule de um ponto para outro, evite obstáculos de aparência peluda e tente acompanhar o ritmo do jogo ao longo de suas dezenas de níveis.

Disponível no iPhone e iPad

Flow by Moleskine

Aplicativo de anotações que aparece com uma interface oculta para ajudá-lo a manter o foco na tarefa, cores para cada caneta (de Corellian Grey a Electric Pink) e várias opções de papel.

Disponível no iPhone e iPad

The Gardens Between

Um quebra-cabeças em que você controla a passagem do tempo ao invés dos personagens. O game conta a história de dois melhores amigos e como o relacionamento deles mudou ao longo dos anos.

Disponível no iPhone, iPad e Mac

Asphalt 9: Legends

Game de corrida arcade, estilo console com bons gráficos e uma boa jogabilidade. Disponível no iPhone e iPad

Pixelmator Photo

Aplicativo para edição de fotos que funciona tanto para iniciantes quanto especialistas. A ferramenta oferece um extenso conjunto de ferramentas e suporte para imagens RAW, além de ferramentas de edição com tecnologia de aprendizado de máquina que foram treinadas usando mais de 20 milhões de fotos.

Disponível no iPad

ELOH

Outro jogo de quebra-cabeças que tem o objetivo de deslocar blocos para ajudar as bolas a saltarem do ponto A para o ponto B - mas com o auxílio do ritmo e de percussão. Ao reorganizar os blocos o jogador constrói uma batida suave que adiciona uma nova dimensão.

Disponível no iPhone e iPad

Butterfly iQ — Ultrasound

É um aplicativo de ultra-som para todo o corpo. Quando acoplado a um dispositivo compatível, ele permite ultrassons móveis em qualquer lugar. Apesar de ser simples o app usa realidade aumentada e aprendizado de máquina para orientar os usuários. Ele também pode ser operado com uma mão só. Suas imagens podem ser carregadas em uma nuvem segura para revisão remota por um profissional médico.

Disponível no iPhone e iPad

Thumper: Pocket Edition

Um jogo de ritmo de heavy metal. Toque na tela para manter seu besouro metálico em uma pista elegante e cromada com um visual de neon dos anos 80, batidas eletrônicas e jogabilidade suave de 60 qps.

Disponível no iPhone e iPad

HomeCourt - The Basketball App

Graças ao rastreamento de tiro em tempo real alimentado por IA, conselhos de treinadores reais e design limpo, o HomeCourt serve para que jogadores de todos os níveis possam melhorar seu jogo. Eles conseguem interagir com treinadores a milhares de quilômetros de distância ou em uma academia na rua.

Disponível no iPhone e iPad

[@#galeria#@]

LeiaJá também

--> Perdeu a WWDC 2019? Saiba as principais novidades

--> Internautas comparam visual do Mac Pro com ralador gigante

--> 'Sing in with apple' chega para livrar usuários de spam

A Apple divulgou em sua página “Status do sistema” que usuários estão tendo problemas com os serviços da Apple Store e Apple Music. Apesar de não informar qual a falha encontrada, a maçã deixou um comunicado afirmando que está investigando o problema e dará mais informações assim que descobrir a causa.

No site o status de funcionalidade dos serviços é identificado pelas cores verde - se tudo corre bem, amarelo para problemas que estão sendo solucionados e vermelho para falha. Além da Apple store, a Mac Store e a rádio também apresentam as cores vermelhas.

##RECOMENDA##

As falhas ocorrem logo após os anúncios de novos aplicativos feitos nessa segunda-feira (3), na WWDC 19, o evento de desenvolvedores da Apple.

O evento de desenvolvedores da Apple, o Apple Worldwide Developers Conference (WWDC) 2019, começou na última segunda-feira (3), cheio de novidades. Atualizações para o smartwatch da empresa, novidades do iOS 13 e a apresentação do novo Mac Pro foram apenas alguns dos destaques da coferência. Se você perdeu alguma coisa, confira o resumo dos principais anúncios do evento. 

TvOS

##RECOMENDA##

Os primeiros painéis da WWDC 19 não tiveram muita coisa além do que já era especulado. A apresentação sobre o tvOS foi quase que inteiramente um review da apresentação do começo do ano, quando foram anunciados o Apple News+, Apple Card, Apple TV+ e Apple Arcade, que deve ser lançado no final do ano.

Porém, a empresa guardou algumas cartas na manga ao mostrar no novo design da tela inicial do tvOS, com opção de itens personalizados para cada usuário. Além disso, músicas com letras em tempo real - sincronizadas no aplicativo de música e suporte para controles dos consoles Xbox One e PlayStation 4, para serem compatíveis com os jogos presentes no Apple Arcade também foram destaques.

WatchOS 6

Os destaques do Apple Watch - que deve estar disponível no final do ano -  apresentados no evento estão, com certeza, nos aplicativos. Desde o anúncio de uma Apple Store exclusiva para o gadget - tornando-o independente do iPhone, até a criação da apps para monitorar ainda mais a saúde do usuário.

Entre os aplicativos mostrados na conferência estão o Cycle Tracking - que ajuda a monitorar o ciclo menstrual da mulher, o aplicativo Noise - que promete dizer se seu ambiente está muito barulhento sem gravar suas conversas, Voice Memos, audiobooks e uma calculadora que permite ajudar a dividir a conta do bar. As consultas de pesquisa da Siri também podem exibir os resultados das páginas da Web na íntegra no Apple Watch.

iOS 13

A maior expectativa do evento foi para as novas funcionalidades do iOS 13. O software da maçã trouxe o visual “modo escuro” para todos os aplicativos e até mesmo as notificações. Essa foi uma grande mudança, mas que segue o curso do que vem sendo apresentado pelos concorrentes nos últimos meses. A promessa aqui é de mais agilidade.

Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da maçã, afirmou que as otimizações de sistema incluem redução os tamanhos de download e upload e Face ID 30% mais rápido. Porém, nem tudo foi tão empolgante.

O novo Maps da Apple é apenas uma versão do Google Street View, sem grandes mudanças, mas com promessas de maior interatividade e atualizações para o futuro. A edição de lembretes é algo que já deveria ter acontecido há muito tempo e o compartilhamento de mensagens com os usuários de acordo com o aplicativo que você mais usa é algo que o Android já permite há eras.

Os saldos positivos giram em torno dos controles de voz e do novo 'Sing in with apple', que chegam garantindo a privacidade do usuário. O HomePod pode distinguir vozes de qualquer pessoa em casa para fornecer solicitações pessoais, a siri agora suporta Automações Sugeridas que fornecem rotinas personalizadas

iPadOS

O iPadOS chegou como um verdadeiro híbrido entre o iOS e o MacOS, com o melhor dos dois e mais. Além de aproveitar todas as atualizações apresentadas no iOS 13, o sistema ganhou uma nova tela inicial com widgets, multitarefa - em que é possível alternar rapidamente entre vários aplicativos no recurso "Slide Over", ferramentas para usar o Apple pencil mais facilmente e compartilhamento de pastas no iCloud Drive.

Uma das coisas mais interessantes de ver foi a edição de texto com gestos. Agora é possível selecionar o texto com apenas um toque (de três dedos) e cortar, copiar, colar e desfazer.

Por fim, uma das coisas mais aguardadas pelos usuários e daquelas que você se pergunta “por que isso não foi feito antes?” é o suporte a unidades USB (pendrives) e cartões SD. Sendo possível exportar arquivos mais facilmente para o aparelho. O iPadOS também introduz o armazenamento local, o zip e o unzip e novos atalhos de teclado.

Mac Pro

A cereja do bolo da maçã foi o lançamento do novo Mac Pro. Com processadores Xeon com até 28 núcleos, um sistema de memória com capacidade de 1,5TB, oito slots de expansão PCIe e uma placa gráfica mais potente, o aparelho chega tentando encantar um público que ainda quer acreditar em sua eficiência.

Ele também apresenta o Apple Afterburner, uma placa aceleradora de mudança de jogo que permite a reprodução de três fluxos de vídeo ProRes RAW de 8K simultaneamente. Para o monitor fomos apresentados a um display Retina 6K de 32 polegadas com cores P3 e 10 bits, um máximo de 1.600 nits de brilho máximo, com design flexível e modular.

Apesar da potência o que realmente chamou a atenção dos usuários foi o design do aparelho. Usuários no Twitter chegaram a comparar a máquina com um ralador de queijo gigante, de inox e com alça. Se fosse, seria considerado o ralador mais caro do mundo, já que o Mac Pro deve chegar ao mercado custando a bagatela de U$ 5.999, aproximadamente R$ 23 mil.

Um relatório publicado nesta terça-feira (4) denuncia o uso das novas tecnologias na prostituição, com cafetões que administram suas atividades por WhatsApp, buscam suas vítimas no Instagram e atraem clientes com anúncios na Internet.

"A prostituição e a exploração sexual na Internet são uma praga em plena expansão", afirma a Fundação Scelles, que publicou um estudo de 548 páginas intitulado "Sistema prostitucional: novos desafios, novas respostas".

##RECOMENDA##

A maioria dos sistemas de mensagem e redes sociais, como WhatsApp, Tinder, Facebook, Instagram, Snapchat e Airbnb, é usada para a prostituição, aponta o estudo, que analisa a situação em 35 países.

Em 2016, um cafetão russo foi detido por dirigir uma rede de prostituição no Líbano e em todo Oriente Médio pelo WhatsApp. O sistema de encriptação de mensagens do aplicativo dificulta a vigilância das autoridades.

Em Israel, "Tinder é, atualmente, o instrumento mais usado para procurar prostitutas", acrescenta o informe.

Na França, as jovens são vítimas do auge da exploração sexual nos bairros mais pobres. Em muitos casos, são jovens afastadas de sua família e dependentes de drogas, localizadas pelos cafetões por Snapchat, ou Instagram. Depois, prostituem-se em apartamentos alugados na Airbnb.

No Zâmbia, há estudantes que recorrem aos cibercafés, muito populares porque facilitam o acesso à Internet, e usam grupos de WhatsApp e Facebook para pôr mulheres que se prostituem em contato com clientes.

"Todos os países são afetados, seja com uma legislação restritiva, como na China, ou permissiva, como na Alemanha", disse à AFP o presidente da Fundação Scelles, o magistrado Yves Charpenel.

Esta "prostituição 2.0" substituiu há alguns anos a prostituição nas ruas. Na França, representa dois terços do total de prostituição, relata o informe.

A Fundação Scelles, que menciona uma nota do Ministério francês do Interior de maio de 2018, destaca que, pela primeira vez, em 2017, o percentual de vítimas identificadas que exercem a atividade na via pública foi inferior ao das vítimas que exercem em apartamentos, ou hotéis.

A Internet fez a prostituição desaparecer das ruas, que agora é apenas marginal, aponta Charpenel, denunciando um sistema "industrial e sem risco" de exploração sexual na Internet, que permite aos cafetões "evitar riscos pessoais" e "se distanciarem do tráfico".

"De um mesmo computador, uma rede criminosa pode identificar seus futuros 'produtos', atrair os clientes e depois lavar o dinheiro", afirma.

Em paralelo, as autoridades também têm dificuldade para identificar os anúncios de prostituição ambíguos que falam de "massagens", ou de "momentos de distração".

Para frear o fenômeno, "é preciso construir uma autêntica governança de Internet", reclama a Fundação Scelles.

Na França, a lei sobre a prostituição de abril de 2016, que inclui medidas para penalizar os clientes, obriga os provedores de acesso à Internet a adotar um sistema para apontar conteúdo fraudulento.

"Não é suficiente. A prostituição gera tanto lucro que está por toda parte. Tem que responsabilizar mais as plataformas", afirma Charpenel.

O relatório afirma, porém, que os primeiros passos estão sendo dados.

Na França, o site Vivastreet, investigado por "prostituição agravada", decidiu em junho de 2018 suspender sua seção de "Encontros" para evitar seu "uso inapropriado".

Nos Estados Unidos, o Congresso adotou em março de 2018 uma lei que pôs fim à impunidade das redes que publicam anúncios de prostituição. Isso permitiu fechar a Backpage, considerada por seus críticos como a principal rede on-line de prostituição no mundo.

Muita gente acompanhou as novidades apresentadas na Apple Worldwide Developers Conference (WWDC) 2019, na tarde desta terça-feira (3). Porém, além do novo iOS 13, dos aplicativos e de toda a inovação tecnológica, comum nesse tipo de evento, o que chamou realmente a atenção dos usuários foi a aparência do novo Mac Pro. Usuários de todo mundo estão comparando o design do computador profissional da Apple com um ralador de queijo gigante.

[@#video#@]

##RECOMENDA##

O desktop, que foi anunciado com uma série de melhorias - em comparação com sua versão anterior, está sendo chamado de “o ralador de queijo mais caro do mundo”, uma vez que chegará ao mercado custando U$ 5.999, o equivalente a cerca de R$ 23 mil.

[@#podcast#@]

O serviço federal russo de supervisão das comunicações, Roskomnadzor, anunciou nesta segunda-feira (3) que o aplicativo de encontros Tinder terá que compartilhar, a partir de agora, os dados de seus usuários com os serviços de segurança russos, incluindo o FSB.

A Roskomnadzor possui uma lista de serviços on-line ativos na Rússia que devem fornecer os dados de seus usuários para as autoridades russas, no caso de solicitação neste sentido.

##RECOMENDA##

O Tinder "foi adicionado a esta lista depois de ter transmitido as informações necessárias, a pedido da Roskomnadzor", tuitou a agência de telecomunicações russa.

Esta lista foi estabelecida pela Roskomnadzor em colaboração com os serviços de segurança russos.

Os serviços incluídos na lista são obrigados a compartilhar as chaves de criptografia com as autoridades e manter os dados de seus usuários por seis meses.

Atualmente, esta lista é composta por dezenas de empresas, incluindo a rede social russa Vkontakte.

Com estrutura de dar inveja a empresas de marketing, corretoras de investimentos que já produziam conteúdo para redes sociais e plataformas de vídeo agora também atendem clientes via WhatsApp com boletins do mercado financeiro, assessoria de investimentos e alertas de vencimentos de títulos. "A gente tem que procurar o cliente onde ele está. E a maioria das pessoas está hoje no WhatsApp", diz Cristiane Belotti, superintendente de marketing da Órama Investimentos.

A assessoria de investimentos é o serviço mais prestado pelo aplicativo de mensagens entre as empresas do ramo. "É superágil. Tanto para demandas de clientes quanto para enviar notícias, alteração de cadastro. As pessoas respondem melhor que em outros meios de comunicação", conta Bianca Moura, gestora da Terra Investimentos. As corretoras enviam em massa boletins com os acontecimentos mais importantes do dia e análises, além de informativos institucionais, mas a conversa com o assessor pode acontecer na mesma plataforma, para ajudar na tomada de decisões e escolhas de produtos financeiros de maneira individualizada.

##RECOMENDA##

Para corretoras que já contam com estrutura de produção de conteúdo, caso da Necton, o WhatsApp funciona como um complemento de comunicação, justamente pela agilidade que proporciona. "No caso de algum vencimento importante, mandamos para o cliente o vídeo explicativo ou o texto pelo app de mensagens", diz Rafael Giovani, diretor da corretora. Em outros casos, a empresa prefere usar redes como o Youtube.

Outras corretoras já se preparam para aderir à ferramenta, como a MyCap, do Rio de Janeiro. "A ideia é que no próximo semestre o WhatsApp seja uma das nossas principais plataformas de atendimento", conta Alexandro Nishimura, gestor da corretora, que montou um estúdio na empresa para produzir conteúdos para o Youtube e para o APP.

Ainda há, no entanto, quem prefira outras maneiras de conversar com o investidor. A Easynvest, por exemplo, acredita que o atendimento aos clientes é mais organizado por meio do chat em sua plataforma própria.

A corretora ainda levanta a preocupação com a segurança. "Se o cliente tem o celular roubado, alguém pode continuar a conversa no app no lugar do investidor e causar danos ao patrimônio dele. Na nossa plataforma, é preciso entrar com login e senha. WhatsApp, por enquanto, a gente só estuda", conta Paiva. A Easynveste também não faz indicações de investimentos em nenhuma das plataformas em que divulga conteúdo.

Interesses

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que acompanha e analisa informações e movimentações envolvendo participantes do mercado de capitais no País, informou em nota que a comunicação que envolve indicação de investimentos deve adotar princípios como "lealdade ao cliente, tratamento de conflitos de interesse, full disclosure (divulgação da informação completa), linguagem serena e moderada e equilíbrio entre pontos, tais como riscos e benefícios, independentemente da mídia utilizada pela corretora".

O professor William Eid, coordenador do Centro de Estudos de Finanças da FGV, recomenda cautela nesse contato. "O investidor tem que saber que, em última análise, está tratando com um vendedor. É preciso avaliar os interesses envolvidos", explica.

Para Eid, as ferramentas digitais podem ajudar a criar uma cultura de poupança e investimentos. E recomenda a busca de informação em plataformas independentes a respeito dos produtos apresentados pelas corretoras. "O assessor pode ajudar a decidir entre uma opção ou outra, contanto que você saiba o que significa cada uma delas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Durante o mês de abril a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) realizou um balanço sobre o uso do 4G no país. De acordo com a empresa o Brasil  tem 138 milhões de celulares operação que funcionam com cobertura 4G. A rede já está presente em um total de 4.503 municípios, onde - de acordo com a publicação - moram 95,8% da população.

De abril de 2018 a abril de 2019, 25,4 milhões de novos chips 4G foram ativados, o que representa um crescimento de 22% neste segmento. Já as redes de 3G passaram a atingir mais de 5 mil municípios. Recentemente, a TIM Brasil anunciou testes para trazer a tecnologia 5G para as terras tupiniquins. A intenção é que a rede chegue comercialmente ao mercado em 2021. Atualmente, o Brasil já conta com 207,2 milhões de acessos à internet pela rede móvel.

##RECOMENDA##

O balanço também divulga que, considerados os acessos fixos e móveis, o brasileiro fechou abril com um total de 238,7 milhões de acessos à internet no país. 

A linha tênue entre humor e humilhação é bastante discutida em terras brasileiras. Tem quem defenda que ‘piadas” sejam feitas livremente, sem filtro ou respeito pelo outro, na contramão de quem garante que não é preciso humilhar ninguém para ser engraçado. Enquanto aqui, a discussão sobre o que é humor parece não ter chegado a um veredito, um tribunal na Espanha conseguiu dar uma luz ao dilema.

No país europeu o youtuber Kanghua Ren, de 21 anos, foi condenado a 15 meses de prisão por gravar um vídeo em que dava biscoitos recheados com pasta de dentes a um morador de rua. O garoto, dono do canal ReSet, postou toda a ação na plataforma de vídeos em 2017, afirmando se tratar de uma “brincadeira”.

##RECOMENDA##

Porém, nem seus seguidores nem as autoridades espanholas acharam engraçado. Com a repercussão negativa o vídeo foi rapidamente apagado do canal, e Ren tentou melhorar sua imagem. Para tentar se redimir o jovem youtuber chegou a visitar o morador de rua outras duas vezes, após o ocorrido. Em uma delas, ele disse em vídeo que "as pessoas exageram sobre piadas feitas na rua com mendigos, se fosse feita com uma pessoa normal, ninguém falaria nada".

No vídeo da “pegadinha” ele mostrou todo o processo da “fabricação” do biscoito de pasta de dente. No momento da entrega o rapaz oferece, além do pacote, 20 euros (cerca de R$ 87) para o morador de rua de Barcelona. O homem, de 52 anos, chegou a vomitar e contou ao jornal El País que nunca tinha sido tão maltratado enquanto morava na rua.

Sentença

Além dos quase dois anos de reclusão, a sentença condenou o jovem a pagar uma indenização de 20 mil euros (cerca de R$ 88 mil) por danos morais à vítima. O youtuber também deverá apagar seu canal do YouTube e está proibido de acessar a plataforma ou criar novos vídeos pelos próximos cinco anos.

A Tramontina resolveu unir gastronomia e tecnologia em projeto chamado Sabor das Músicas. A ideia é usar um algoritmo para transformar qualquer faixa musical do Spotify em uma receita diferente. Ao todo a ferramenta é capaz de gerar 44 milhões de combinações gastronômicas.

A empresa, do meio em utensílios de cozinha, reuniu um time de peso para compor o projeto. Além do streaming de música, participaram da concepção da ideia a J. Walter Thompson Brasil, o neurocientista Marcelo Costa, chefe do Departamento de Neurociência da USP, o maestro João Rocha da Universidade do Kentucky, e Renato Carioni, chef e treinador da equipe brasileira do Bocuse D'or.

##RECOMENDA##

Como criar a receita

Os ingredientes são divididos em energia como densidade/textura, positividade virando amargor/acidez e nota musical virou harmonização. Para ver como funciona é preciso primeiro acessar o site do Sabor das Músicas, fazer o login no Spotify. Depois é só digitar o nome da música ou escolher entre as que você mais escuta, clicar em "gerar receita" e esperar o resultado. O hit "thank u, next" da cantora Ariana Grande, por exemplo, virou um Gnocchi de Mandioquinha com Grão-de-Bico Cozido (Quente) e Batata Assada.

O site, além de mostrar a receita completa também indica qual panela da marca Tramontina você pode usar para prepará-la.

Com 13 mbps (megabites por segundo), o Brasil ocupa a 50ª posição em velocidade de download com conexão 4G. O índice está abaixo da média global de 17,6 mbps, de acordo com levantamento da empresa especializada em mapeamento de cobertura sem fio OpenSignal, realizado no primeiro trimestre deste ano.

A internet móvel brasileira é mais lenta que a de países como Albânia (21,4 mbps), Myanmar (16 mbps), México (14,9 mbps) e Vietnã (14,1 mbps). A Coreia do Sul, pioneira na oferta de acesso 5G, lidera o ranking com velocidade de 52,4 mbps.

##RECOMENDA##

Já em relação à velocidade de upload, o Brasil possui a marca de 4,5 mbps, índice abaixo da Bolívia (6 mbps), Peru (5,9 mbps) e Cazaquistão (4,9 mbps). Na primeira posição está a Dinamarca, com 15,3 mbps.

Em disponibilidade de rede, o Brasil ocupa a 69ª posição, com 72%, atrás de Camboja (81,1%), Argentina (79%) e Líbano (78,6%). A Coreia do Sul também lidera nessa questão, com 97,5% de cobertura.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTeleBrasil) afirmou em comunicado que o levantamento apresenta resultados muito discrepantes se comparado aos estudos anteriores da própria consultoria e de outras instituições. "Como a pesquisa não traz detalhes sobre os critérios e a metodologia utilizados, qualquer análise dos resultados é dificultada, o que nos impossibilita fazer comentários", pontuou.

A OpenSignal coletou dados de mais de 43 milhões de celulares com conexão à internet em 87 países.

A Google anunciou na última quarta-feira (29) um projeto para ajudar veículos de imprensa a melhorarem suas assinaturas digitais. Chamado de GNI Subscription Laboratory (Laboratório GNI de Assinaturas), o projeto contempla oito jornais impressos da América Latina, quatro deles brasileiros.

Serão oito meses de trabalho em que todas as etapas relativas ao processo de assinaturas digitais dos participantes serão analisadas e aprimoradas. Os veículos selecionados são o Clarín e La Nación, da Argentina, o El Espectador, da Colômbia, Reforma, do México e os brasileiros Estado de Minas, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e Nexo.

##RECOMENDA##

O programa pretende disseminar os resultados desenvolvidos para outras publicações latino-americanas via relatórios e também em treinamentos. A apresentação dos resultados será feita durante a 7ª edição da conferência Digital Media LATAM da WAN-IFRA, realizada no Rio de Janeiro entre 11 e 13 de novembro de 2019.

LeiaJá também

--> Google anuncia pagamento no G Suite em reais

--> Página de resultados mobile do Google muda de visual

--> Internautas confundem Dorina Nowill com Reginaldo Rossi

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando