Tópicos | Geraldo Júlio

O jornalista e colunista político Inaldo Sampaio morreu na madrugada desta segunda-feira (11), após sofrer uma parada cardíaca. O falecimento do comunicador causou comoção no meio político e diversos parlamentares e prefeitos emitiram nota lamentando o fato.

Inaldo Sampaio era atualmente colunista da rádio CBN e do jornal Diário de Pernambuco. Além disso, integrava a equipe de comunicação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), desde 1995. Sampaio também já assinou por anos uma coluna no jornal Folha de Pernambuco. O enterro será às 17h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista.

##RECOMENDA##

Ao falar sobre o jornalista, o governador Paulo Câmara (PSB) disse, em nota, que ele foi um "defensor intransigente da democracia". "Com profundo pesar recebi a notícia do falecimento do jornalista Inaldo Sampaio. Inaldo era um profundo conhecedor da política pernambucana e defensor intransigente da democracia. Do litoral ao sertão, nada escapava ao seu olhar preciso e marcante. Emprestou seu talento aos três principais jornais da capital, além de várias rádios e páginas da internet. Expresso minha solidariedade à família e aos amigos", afirmou.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB, também emitiu seu pesar e solidariedade aos parentes: "Recebi com muita tristeza a notícia do falecimento do jornalista Inaldo Sampaio. Ele cumpriu por muitos anos a missão de informar a população com correção e grande competência. Era um profundo conhecedor da política de Pernambuco e vai fazer muita falta. Aos tantos parentes e amigos, quero deixar meu abraço e sinceros pêsames".

O senador Fernando Bezerra Coelho pontuou que Sampaio foi um dos principais articulistas do Estado: "Recebi com muita tristeza a notícia da morte do jornalista Inaldo Sampaio, com quem convivi nos meus 37 anos de vida pública. O jornalismo pernambucano perde um de seus principais articulistas, um profissional dedicado que tanto contribuiu para levar informação de qualidade, sempre com muita isenção. Expresso minhas condolências a seus familiares e amigos nesta hora tão difícil."

O deputado federal Daniel Coelho (Cidadania) enalteceu a capacidade de Inaldo Sampaio: “Jornalista competente, de muita experiência, Inaldo atuava de maneira independente, além de ser um profundo conhecedor da política local e nacional. Seu desaparecimento deixa uma grande lacuna no jornalismo pernambucano. Solidarizamo-nos com a família por esta perda irreparável”.

O deputado federal Silvio Costa Filho (PRB) também prestou sua solidariedade. “O jornalismo pernambucano e brasileiro perdeu uma das suas principais vozes, o colunista e comentarista político Inaldo Sampaio. Ele sempre será admirado pela disposição em suas análises. Suas colunas diárias sempre trouxeram informações importantes para Pernambuco e para o Brasil. Com ele, morre não apenas um grande ser humano, mas um estilo de jornalismo. Não tenho dúvida que ele fará muita falta a todos nós. Neste momento de dor, nossa solidariedade à esposa Teresa Cristina e filhos, além dos amigos que ele reuniu ao longo da vida”, disse, em nota.

A prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz, disse que recebia com “tristeza a notícia do falecimento de Inaldo Sampaio, uma referência do nosso Jornalismo Político, com passagens, entre outros, pelos três principais jornais do Estado. Inaldo fazia Jornalismo com decência, ouvindo todos os lados; tinha elevada consciência social. Fica a lacuna. Peço que Deus nosso senhor o receba em sua infinita misericórdia e que conforte sua família neste momento tão difícil”.

O Prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB-PE) anunciou que enviará à Câmara Municipal um projeto que prevê a inclusão de “Sustentabilidade e Emergência Climática” no currículo escolar da cidade. A ideia do prefeito é votar e aprovar a medida ainda neste ano, com a intenção de que a medida passe a valer já a partir de 2020. 

De acordo com o prefeito, “a meta é que os alunos tenham toda a semana esse tema, e que saiam de lá e possam compartilhar com seus pais, amigos e família, aumentando assim cada vez mais o movimento em prol do meio ambiente”. O LeiaJá procurou a assessoria de comunicação de Geraldo Júlio buscando informações sobre a elaboração do projeto e a data de seu envio à Câmara, mas até o momento da publicação da reportagem, ainda não obteve resposta.

##RECOMENDA##

O anúncio foi feito nesta quinta-feira (7) durante o Painel de Prefeitos pelo Clima, na  Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada no Recife. O painel foi mediado por Geraldo Júlio e contava também com a presença do prefeito Rui Palmeira, de Maceió (AL), Roberto Cláudio de Fortaleza (CE) e Ary Vanazzi de São Leopoldo (RS). Durante o evento, os prefeitos assinaram declaração de intenção de firmar o decreto reconhecendo a Emergência Climática, assinado pelo prefeito na abertura da conferência. 

LeiaJá também

--> Passeio de barco aborda mudanças climáticas com estudantes

--> Governo quer levar alunos do ensino básico a universidades

--> Práticas inovadoras em educação são premiadas no Recife

Um levantamento feito pelo Instituto Paraná de Pesquisa mostra que 49,8% dos eleitores recifenses aprovam a maneira que Geraldo Julio (PSB) comanda a capital pernambucana. Mas o número de quem desaprova não foi pequeno (45,8%). Em consonância com a aprovação do prefeito do Recife, 23,7% dos eleitores apontaram a administração da prefeitura como boa e 19,6% como péssima. 

Levantamento foi feito pelo Instituto Paraná Pesquisa e divulgado nesta terça-feira (29). Para a realização dessa pesquisa, o instituto aponta que foi utilizado uma amostra de 828 eleitores. O trabalho de levantamento de dados foi feito através de entrevistas pessoais, com eleitores de 16 anos ou mais, durante os dias 25 e 28 de outubro de 2019.

##RECOMENDA##

A amostra representativa do município do Recife tem um grau de confiança de 95% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 3,5% nos resultados gerais. 

A Câmara Municipal do Recife aprovou um projeto que transforma o educador Paulo Freire em patrono da Educação na capital pernambucana. O texto é de autoria do vereador Rinaldo Júnior (PSB) e seguiu para a sanção do prefeito Geraldo Julio (PSB). 

“Em tempos em que o presidente da República diz que se tivesse um lança chamas queimaria toda obra de Paulo Freire, que por sua importância no cenário mundial já é patrono do Brasil, torná-lo patrono do Recife é um desabafo”, argumentou Rinaldo, ao defender a proposta aprovada nessa terça-feira (15).  

##RECOMENDA##

Rinaldo Junior justificou a proposta afirmando que Paulo Freire já recebeu 35 títulos de Doutor Honoris Causa em universidade brasileiras e estrangeiras. "Mais de 350 escolas ao redor do mundo levam o nome desse recifense que só honra o país". O educador escreveu obras memoráveis como Educação como Prática para a Liberdade e Pedagogia do Oprimido. “Ele colocou em prática seu método de alfabetização pela primeira vez em Angicos, Rio Grande do Norte, que além de alfabetizar politizava as pessoas, trabalhadores rurais, domésticas, pedreiros, que acreditavam na importância de aprender a ler para mudar a vida”, disse.

O vereador Jayme Asfora (sem partido) reafirmou o senso de oportunidade do colega em apresentar projeto de lei nomeando Paulo Freire patrono da Educação do Recife. Segundo ele, "o presidente do Brasil é ignorante, inculto e faz questão de exortar à ignorância. Bolsonaro não tem exercido o decoro exigido pelo cargo que ocupa. O ministro da Educação é também ignorante ao afirmar que o Ministério da Educação deveria se chamar Ministério do Ensino, por considerar que educação quem dá é a família”.

Ivan Moraes (PSOL) ressaltou que Paulo Freire é referência da cidade e em todas as instituições do planeta terra, que morreu sem precisar provar nada para ninguém. “As pessoas que estão no poder hoje, fazem apologia da ignorância, e não sabem sequer o que é ideologia”. Ana Lúcia, que é professora, disse que falar em Paulo Freire, é uma obrigação, e não se pode negar seu legado e história. “Quem conhece pedagogia não pode prescindir de seus ensinamentos. Se vivo, diria para nós que ensinar é uma paixão. Deixar o nome dele como patrono é deixar seu nome inscrito em nossa história”.

*Do site da Câmara do Recife

O quadro eleitoral para a disputa nos municípios pernambucanos em 2020 está começando a ser desenhado. Além das cidades com prefeitos que podem buscar a reeleição, o Estado tem entre os 184 municípios alguns estratégicos com gestores já no segundo mandato que alimentam a possibilidade de indicar sucessores para a disputa e, até mesmo, de elegê-los. 

Um dos exemplos com este perfil é o Recife, onde o prefeito Geraldo Julio (PSB) completa oito anos de gestão em dezembro de 2020. O pessebista, apesar de pontuar vez ou outra que a eleição ainda está longe e reforçar a máxima de que a discussão eleitoral será efetuada apenas no próximo ano, já tem se movimentado nos bastidores para tentar fazer seu sucessor. 

##RECOMENDA##

Até o momento, o mais cotado como o candidato da chamada “Frente Popular”, chapa majoritária liderada pelo PSB nos últimos pleitos, é o deputado federal João Campos. Eleito para a Câmara dos Deputados com mais de 460 mil votos, João ainda não admite a participação na disputa municipal, mas vem dando sinais através das constantes agendas que cumpre na capital pernambucana, visitando das periferias às áreas consideradas mais nobres. 

A considerável votação para deputado pode ser uma  vantagem para João na corrida municipal. Além disso, se os índices de aprovação da gestão de Geraldo Julio continuarem maiores do que os de reprovação, ter o prefeito como cabo eleitoral pode alavancar seu nome na cidade. Uma pesquisa recente do Instituto Opinião, divulgada pelo site do jornalista Magno Martins, aponta que Geraldo é aprovado por 52,6% dos recifenses. 

Em 2016, o prefeito do Recife foi reeleito no segundo turno, após uma disputa contra o ex-prefeito da capital João Paulo. Na ocasião, Geraldo recebeu 528,3 mil votos. 

Em outro campo político, mas também seguindo a mesma linha em busca da eleição de um sucessor indicado por ele, o prefeito de Garanhuns, no Agreste do Estado, Izaías Régis (PTB), disse que pretende decidir, até dezembro, quem será o seu candidato. O petebista adiantou ao LeiaJá que está entre o seu vice-prefeito Haroldo Vicente e o ex-prefeito da cidade Silvino Duarte, ambos do PTB.

Izaías tem a vantagem da gestão avaliada positivamente pelos garanhuenses e, em 2016, ele foi reeleito com 44,2 mil votos, mais que o dobro do segundo colocado na disputa, o deputado estadual Sivaldo Albino (PSB) - que também deve ser candidato em 2020. 

“Todos os prefeitos que estão bem avaliados e fizeram um trabalho que a população reconhece, tem o direito de escolher um nome para disputar a eleição e fazer o possível para que esse nome se elega. O trabalho de um prefeito que deu certo, se o próximo que entrar for a oposição, pode destruir. Por exemplo, o maior Natal do Nordeste é em Garanhuns, se a oposição entrar vai dizer que o Natal é de Izaías e não vai querer fazer com a mesma estrutura atrativa”, considerou o petebista.

A viabilidade turista tem tornado o comando de Garanhuns um dos mais cobiçado por diversos partidos. “Estamos trabalhando sim para fazer o nosso sucessor, não é o interesse de mandar na prefeitura, mas continuar. De que o próximo prefeito administre Garanhuns como uma empresa, como eu fiz. Com toda a crise que nós temos, todos os desastres, estamos muito bem avaliados”, declarou Izaías Régis. 

Quais fatores pesam mais?

Na avaliação do cientista político Elton Gomes, o sucesso de um indicado do atual prefeito na disputa municipal é rodeado de diversos fatores, entre eles, os aspectos de avaliação pessoal, político e econômico.

“Se tratando de política municipal, o que pesa muito são as qualidades do serviço público, como a conservação dos espaços, garantia da saúde, educação. Conta muito a situação fiscal e econômica também, pois quando se fala, por exemplo, em cidades do interior muitos eleitores dizem que vão votar no indicado porque o prefeito pagou os salários em dia. Além do alinhamento com o Governo do Estado e federal”, salientou o estudioso. 

No aspecto mais pessoal, o carisma do político também é levado em consideração, de acordo com o analista. “O carisma joga um papel de grande relevância na disputa municipal. A figura do líder carismático, uma espécie de pai dos pobres ou homem providencial é um fator muito importante”, reforçou. 

Contudo, segundo Elton Gomes, a ciência política aponta que é mais fácil para um prefeito ser reeleito do que eleger um sucessor. 

“Enquanto a reeleição é dada basicamente como certa, a sucessão costuma ser mais complexa, depende de transferir popularidade, convencer a população que não é mais do mesmo ou uma perpetuação de projeto de poder. Em geral, isso se deve a uma série de razões e também tem muito haver com o que chamamos de fadiga do material político decorrido de oitos anos seguidos de mandato”, observou o cientista. 

“A menos que o prefeito tenha construído uma excelente base de poder, a tendência é que seja eleito o grupo rival. Em geral, acontece o fenômeno de elitismo competitivo. Duas oligarquias, duas elites, seja o município pequeno, ou com mais de 200 mil habitantes, que mais ou menos se revezam no poder”, acrescentou. 

Outro aspecto que, na ótica de Gomes, pesa na disputa municipal é o chamado ‘mandonismo local’. “No interior, sobretudo do Nordeste brasileiro e do Centro-oeste, acontece o fenômeno que chamamos de ‘mandonismo local’, da lógica que se tem um chefe político que estabelece a política dinástica onde a sucessão vai passando de pai para filho. Os coronéis vão se alternando, passam o poder para seus filhos, netos, sobrinhos genros e enteados. Aí a sucessão é bastante observada”, considerou o estudioso.

Líder da oposição na Câmara do Recife, o vereador Renato Antunes (PSC) voltou a questionar obras paradas na capital pernambucana e a o que chamou de falta de planejamento da Prefeitura, comandada pelo prefeito Geraldo Julio (PSB). De acordo com o parlamentar, uma das obras que se enquadram nesse aspecto é a da Escola Municipal Professor José Lourenço, localizada no Alto da Bela Vista. 

Antunes disse que a obra era para ser entregue em 2014, a um custo de R$ 1,7 milhão, mas não foi concluída e uma nova licitação aumentou esse valor para R$ 2,2 milhões.

##RECOMENDA##

“Nesta semana fui surpreendido com a publicação no Diário Oficial, sobre uma nova licitação para obra da Escola José Lourenço. Notícia boa, quem vai ganhar é a população, pois se trata de uma luta antiga. Agora, chama a atenção, após anos de abandono, a Prefeitura retomar a obra, em ano pré-eleitoral”, cutucou Renato.

O vereador observou que a contratação de uma nova empresa, a reabertura do processo licitatório e a extensão do atraso para entrega da unidade de ensino, revelam “o descaso da atual gestão municipal com a educação no Recife”.

“Houve um acréscimo de 21% do que foi orçado inicialmente. É um dinheiro que é gasto por falta de comprometimento, de planejamento. Mais do que o valor financeiro perdido, é o valor do que essas crianças perderam. Elas estão estudando em um ambiente que não tem a mínima condição de ser escola. Enquanto a Prefeitura estampa na propaganda que Recife é a capital do Nordeste, o que acompanhamos na prática é a uma cidade que se tornou a capital da ineficiência. E quem sai perdendo com isso é o povo”, finalizou Renato.


 

O vereador do Recife, Rinaldo Junior, filiou-se ao PSB na noite dessa segunda-feira (9). Ex-líder da oposição na Câmara Municipal em 2018, o parlamentar agora é do mesmo partido do prefeito Geraldo Julio. 

Na semana passada, Rinaldo anunciou o desembarque do PRB, por incompatibilidade no viés ideológico - uma vez que o partido tem apoiado reformas como a da Previdência - e disse que procuraria um partido de esquerda para ingressar. 

##RECOMENDA##

“O viés ideológico, a vida orgânica do partido e principalmente com o seu redirecionamento político após as últimas eleições presidenciais no país, onde o PSB retoma às suas origens de esquerda, se afirmando com sua história e seu legado, não me deixa dúvida do caminho certo que estamos escolhendo”, justificou Rinaldo sua ida as hostes pessebistas. 

O ato de filiação aconteceu na sede do PSB e contou com a presença de Geraldo Julio e do presidente estadual do partido Sileno Guedes. Com o ingresso de Rinaldo, o PSB para a ter 12 parlamentares na Câmara do Recife. 

Durante o evento, o prefeito Geraldo Julio destacou que a defesa do povo é o elo que sempre ligou as bandeiras defendidas pelo PSB e pelo vereador Rinaldo Junior. “Sempre estivemos juntos em todos os processos para defender o povo e desigualdade social. Tenho certeza que vai fazer um grande trabalho”, disse.

“Chegamos a 12 vereadores. Celebramos o crescimento da Frente Popular. O PSB tem crescido, mas tem feito crescer a Frente Popular, porque esse é um projeto de quem quer crescer e unir. A Frente Popular é uma frente progressista”, emendou o prefeito. 

A filiação também foi comemorada por Sileno, que reforçou que Rinaldo Junior chega para agregar. “A gente não faz nada sozinho. Qualquer construção na política a gente precisa ter a capacidade de agregar e enxergar as qualidades e virtudes de quem está na política. Conseguimos enxergar um jovem quadro que tem compromisso de base, de transformação, de ajudar a vida dos outros, sobretudo daqueles que mais precisam e aí a gente já encontra uma identidade fundamental”, avaliou.

O deputado estadual Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB) criticou, em discurso na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) nesta quarta-feira (4), declaração do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), a respeito do serviço de metrô que atende a capital pernambucana

“É de lamentar que o prefeito, em vez de apresentar as ações que deveria ter realizado nos sete anos de gestão, tente jogar a incompetência dele nas costas do presidente Jair Bolsonaro”, disparou Marco Aurélio. 

##RECOMENDA##

O líder da Oposição na Casa também disse que “Geraldo Julio deveria ter postura mais republicana e procurar um equilíbrio entre os governos”. Segundo o parlamentar, apesar de estarem em campos políticos opostos, uma parceria entre o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), e o governador da Bahia, Rui Costa (PT), teria sido responsável por melhorar o serviço de metrô da capital baiana. 

“Ao contrário do prefeito do Recife, ACM Neto preferiu buscar uma solução para o problema, e não fazer politicagem”, argumentou.

O prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) afirmou, nesta quarta-feira (4), que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não é só contra a democracia, mas é “inimigo do povo”. Ao discursar durante o Seminário Todos por Pernambuco, em Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana, o pessebista não poupou críticas contra o presidente e declarou que "Pernambuco vai resistir". 

“[O governo Bolsonaro] é adversário do povo, só quer governar se for tirando do povo. E isso a gente não vai deixar. Aqui tem resistência. Aqui tem gente corajosa. Aqui tem gente guerreira. O Nordeste vai se defender”, declarou Geraldo. 

##RECOMENDA##

O pessebista também fez questão de ressaltar que no Estado não se comemora tortura. “Aqui tem democracia, aqui se luta por liberdade. Aqui não se comemora tortura. Não se comemora censura. Não se comemora exílio. Não se comemora prisão e execução do povo democrático brasileiro. Aqui se governa com o povo. Esse é um governo que governa de frente para o povo”, alfinetou Geraldo. 

Na manhã de hoje, o presidente reagiu à declaração da ex-presidente do Chile e alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU), Michelle Bachelet, que alertou sobre “uma redução do espaço cívico e democrático” no Brasil, atacando o pai dela, Alberto Bachelet, morto pela ditadura militar chilena em 1974 e enaltecendo o regime adotado por Augusto Pinochet. 

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), acusou o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de sucatear propositalmente o metrô que circula na capital pernambucana e cidades da Região Metropolitana (RMR). A fala do pessebista aconteceu, nesta quarta-feira (4), durante a abertura do Seminário Todos Pernambuco, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.  

“Nós aqui no Recife e na RMR somos testemunha, estão sucateando o metrô. Sucateando de propósito. Somente esse ano, o metrô já parou mais de 80 vezes. O serviço piora a cada dia”, argumentou Geraldo, subindo o tom contra a gestão de Bolsonaro. 

##RECOMENDA##

“É isso que o Governo Federal está fazendo com o transporte das pessoas. É isso que tá sendo feito pelo Governo Federal para quem usa o transporte público. Sucateia, dá pane, para o serviço, piora o metrô e aumenta a passagem em 84%. É isso que esse Governo quer entregar ao povo brasileiro e ao povo nordestino”, emendou.

O aumento na tarifa do transporte citado por Geraldo é aquele escalonado, que foi autorizado pela Justiça, e fará com que o usuário tenha que pagar, em março de 2020, R$ 4,00 pelo serviço. O valor da passagem hoje é de R$ 2,60, mas no próximo domingo (8) já passará a ser de R$ 3,00. 

Já sobre as paralisações, apenas no mês de agosto a circulação das linhas Centro e Sul pararam três vezes. Na última segunda-feira (26), uma pane elétrica interrompeu a circulação do ramal Camaragibe por mais de 24 horas. Dias antes, a linha Sul passou quatro horas sem operar e a linha Centro ficou quatro dias paralisada.

Líder da oposição na Câmara do Recife, o vereador Renato Antunes (PSC) disparou, nesta quinta-feira (25), contra a gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB) após as chuvas que atingiram a cidade nos últimos dias. Nessa quarta (24) foram registradas três mortes na capital pernambucana e vários pontos de alagamentos.  

De acordo com Antunes, não se pode culpar índices pluviométricos diante do que chamou de “trágica” quarta-feira de chuvas. 

##RECOMENDA##

“Se tem algo que a gestão do PSB é expert em fazer, é não assumir a responsabilidade. Está na hora de pararem de terceirizar culpa e assumir. A tragédia desta semana tem as digitais da omissão. Estou cobrando o desengavetamento do plano de drenagem desde fevereiro. A população está clamando por um socorro. É preciso fazer algo”, alfinetou Renato.

Segundo o vereador, o plano de drenagem do Recife foi anunciado pela gestão em meados de 2014, mas ainda não saiu do papel. Na avaliação de Renato Antunes, o projeto seria uma forma de reduzir os problemas causados em dias de chuva.

“Temos particularidades geográficas, que deveriam acelerar a execução do plano de drenagem. Pois a água não tem para onde escoar, especialmente quando há maré alta”, comentou o vereador.

Renato Antunes ressaltou ainda que não basta limpar canais e córregos, mas disciplinar as ocupações irregulares nas margens dos rios e mangues, a exemplo da Via Mangue.

 “O plano de drenagem tem de sair do papel. A cobrança que faço é antiga. Até quando vamos ter tragédias, mortes e dor? Limpar canal é obrigação, mas não resolve o problema. Espero que a gestão desengavete este plano, envie à Câmara e discutamos. E não vamos aceitar o discurso que falta recursos, falta disposição”, disparou o parlamentar.

É certo que falta mais de um ano para as eleições municipais de 2020, mas os partidos já começam a dar sinais de movimentações em prol das disputas nas 185 cidades pernambucanas. Ainda que seja apenas nos bastidores e o discurso oficial expresse máxima conhecida: “2020 só em 2020”, diversas legendas começaram a colocar em prática um plano para angariar mais filiados e encorpar o quadro interno visando futuras candidaturas e eventuais alianças políticas.

Presidente do MDB em Pernambuco, o deputado Raul Henry detalhou ao LeiaJá que a estratégia de novas filiações para a corrida municipal deu certo no último pleito municipal e fez com que o partido crescesse no Estado. Agora, eles pretendem repetir a medida para preparar o MDB para em 2020 ter um grande número de postulantes.

##RECOMENDA##

“Primeiro a gente vai ter uma estratégia para o próximo ano que é lançar candidatos a prefeitos no maior número possível de municípios, foi assim que a gente fez em 2016 e deu certo. Tivemos muitos candidatos que nunca tinham disputado eleições, entraram no partido, e pela representatividade que tinham nas cidades se elegeram prefeitos”, afirmou. 

O PSDB é outro partido que vem se articulando. De acordo com a presidente da legenda em Pernambuco, a deputada estadual Alessandra Vieira, os tucanos pretendem “apresentar à sociedade um número recorde de candidaturas investindo também em renovação, novos quadros para o partido”.

“Vamos apoiar prioritariamente os prefeitos que decidirem concorrer à reeleição e também apoiar novos nomes para ampliar a presença do partido em todas as regiões do Estado, sem esquecer do fortalecimento da participação feminina na disputa municipal”, detalhou Alessandra.

O fortalecimento interno do partido também é um discurso que vem sendo utilizado constantemente pelo presidente estadual do PSB, Sileno Guedes. Segundo ele, a discussão efetiva sobre a disputa se dará apenas no próximo ano. “O PSB é um partido que tem uma presença no Estado como um todo e esse ano é um ano de planejamento. A gente está sim falando de eleição, mas como forma de fortalecer o partido para o ano que vem”, frisou.

As candidaturas

Em Pernambuco, a 'menina dos olhos' de diversas siglas é a capital Recife, mas não só ela, outras cidades estratégicas como Jaboatão dos Guararapes, Caruaru, Olinda e Petrolina são vistas como prioridades pelas siglas, mas pouco se fala sobre as postulações. 

No Recife, em dezembro de 2020, o PSB completará oito anos à frente da prefeitura e, apesar de não assumir oficialmente, eventuais sucessores do prefeito Geraldo Julio (PSB) atuam para viabilizar suas candidaturas. Até o momento, o principal prefeiturável pessebista é o deputado federal João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos, que já se tornou, inclusive, alvo da oposição. 

Sobre a eventual postulação, João Campos desconversa sempre que questionado e ressalta que este ano vai dar conta do seu mandato federal. “Próximo ano também. O debate eleitoral o PSB faz em ano de eleição. Esse ano é de trabalho. E no debate eleitoral não vou pensar em mim”.

Atual aliado do PSB no Recife, o MDB também pode concorrer ao comando da capital. Há rumores de que Raul Henry dispute o cargo, mas sobre isso ele disse que vai fazer o debate na “hora oportuna”. “Se o meu nome for convocado para uma missão em nome de um conjunto amplo de forças políticas, não descarto essa possibilidade. Mas o momento de discutir isso não é esse. O Brasil está vivendo um momento de muita dinâmica, não sabemos o que vai acontecer no dia seguinte. É até uma falta de respeito com a sociedade estarmos discutindo candidaturas em uma hora como essa”, ponderou.

Dentro do MDB, inclusive, há quem torça pela quebra da aliança com o PSB, como o senador Fernando Bezerra Coelho, mas ele argumenta que “quem vai definir a política de alianças e onde terá ou não candidatos é a Executiva e o deputado Raul Henry conduzirá esses trabalhos”. 

Também da lista de aliados, o PDT é outro que tem ventilado um nome para a disputa. O presidente nacional, Carlos Lupi, já declarou o desejo de que o deputado federal Túlio Gadêlha postule o cargo. No Estado, Túlio descarta a candidatura, e, apesar de considerar Recife prioridade, o presidente local da sigla, deputado Wolney Queiroz, diz que está cedo para debater sobre o assunto.

Ainda no campo das alianças oficiais do PSB, o PT deve avaliar a participação na corrida municipal. Em balanço feito em junho pelo Grupo de Trabalho Eleitoral do partido, apontou a deputada federal Marília Arraes como alguém com grandes chances de vencer o pleito e fazer com que a legenda retomasse o protagonismo no Executivo da capital, que administrou por 12 anos com os ex-prefeitos João Paulo e João da Costa. Marília já chegou a dizer que está disponível para concorrer. 

Já na oposição, o PSDB admitiu que quer ter candidatura própria. “A nossa intenção é ter em Recife candidatura própria. O PSDB tem história e muitos serviços prestados ao Brasil e a Pernambuco e, com certeza, apresentará ao Recife um modelo de gestão eficiente e voltado para as pessoas”, adiantou a presidente Alessandra Vieira.

Quando questionada sobre nomes, ela alega que “o momento agora é de definir as propostas e projetos que serão apresentados aos recifenses”. Se não for protagonista de uma chapa, o PSDB pode integrar um grande bloco de oposição, como vem sendo defendido por lideranças municipais, para desbancar o PSB.

Presidente estadual do PRB, o deputado federal Silvio Costa Filho, que concorreu em 2014 à vice-prefeito do Recife, disse que vai começar, a partir de agosto, a conversar sobre 2020 com PSDB, DEM, PSC, Podemos, PSL e outros partidos, inclusive, que hoje compõem a base governista. “Eu quero disputar, mas não quero fazer disso uma decisão pessoal”, admitiu Silvio Filho nesta semana ao tratar do assunto em entrevista a uma rádio local.

Outros partidos como o Cidadania, de Daniel Coelho, o PSOL, de Ivan Moraes, o DEM, de Priscila Krause, e o PSC, de Renato Antunes e Wanderson Florêncio, ainda integram de eventuais prefeituráveis na capital Pernambucana. O detalhamento dessas articulações e as confirmações, ou não, as legendas têm até junho de 2020 para definir. O primeiro turno das eleições municipais está marcado para 4 de outubro do próximo ano. 

A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB), apresentou nesta terça-feira (25) o trabalho desenvolvido pelo Governo do Estado com políticas de enfrentamento às mudanças climáticas. A exposição aconteceu na 4ª Conferência Ethos 360º, no Rio de Janeiro.

O evento reuniu lideranças e especialistas para discutir uma agenda de sustentabilidade e inovação. Pernambuco tem se destacado com projetos neste quesito, muito embora as cidades ainda sofram bastante em dias de fortes chuvas. 

##RECOMENDA##

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), por exemplo, vai assumir nesta quinta-feira (27) a presidência do ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade, para a América do Sul.

No Rio de Janeiro, Luciana participou do painel “Estados e cidades brasileiras e a liderança política na pauta climática: compromissos e ações conjuntas”. O encontro é voltado para empresas da iniciativa privada e debate soluções, tecnologias, práticas corporativas e políticas públicas que transformem a realidade econômica e social do país, além de estimular inovações nas cadeias produtivas.

No painel, a vice-governadora expôs o trabalho da gestão com o objetivo de avançar com o fortalecimento de políticas públicas para a adaptação às novas realidades decorrentes das mudanças no clima.

"Nós temos potencial e vocações para atingirmos as metas que o Brasil se propõe. Devemos assumir uma luta política para não abandonar os compromissos que assumimos. O Brasil não pode se esquivar de participar ativamente desse caminho”, defendeu Luciana.

A partir desta quinta-feira (27) o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), passará a assumir a presidência do ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade, para a América do Sul. O socialista já está na cidade de Bonn, na Alemanha, onde acontecerá uma reunião anual do Comitê Executivo Geral.

O prefeito teve seu nome indicado por membros do Conselho Regional do ICLEI há cerca de dois meses e, agora, foi efetivamente escolhido. Geraldo substituirá o prefeito da capital do Equador, Quito, Mauricio Rodas. Ele será o primeiro brasileiro a assumir o cargo.

##RECOMENDA##

As demais cidades indicaram o Recife para liderar o Conselho Regional da América do Sul pelo seu pioneirismo e efetividade de políticas públicas na área de sustentabilidade, em especial no controle e redução da emissão dos Gases do Efeito Estufa e no enfrentamento às Mudanças Climáticas. 

O comitê para a América do Sul do ICLEI abrange 73 governos locais e o grupo vai se reunir uma vez por ano de forma presencial e trimestralmente de maneira virtual. Assumindo a presidência, Geraldo Julio estará no cargo por três anos e terá participação ativa no ICLEI.

Com a viagem de Geraldo à Alemanha, até a próxima sexta-feira (28) o vice-prefeito Luciano Siqueira (PCdoB) responderá pelo governo do Recife.

A Câmara do Recife deve votar nesta terça-feira (11) o projeto do Executivo que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO). O líder da oposição na Casa José Mariano, o vereador Renato Antunes (PSC) trouxe questionamentos sobre os gastos da Prefeitura do Recife com publicidade, no primeiro semestre de 2019. De acordo com o parlamentar, o valor já ultrapassou 10 milhões de reais.

“São dados importantes da cidade sobre os recursos gastos na propaganda. Estamos em junho e vamos votar este projeto importante, que prevê os gastos públicos e as prioridades de gestão, no Recife, para o próximo ano. Mas o que eu questiono é a prioridade para cidade no momento”, pontuou Renato.

##RECOMENDA##

Renato Antunes disse que nos três primeiros meses do ano, a verba destinada para propaganda gira em torno de R$ 10.761.582,72 , uma verba 125% maior que o gasto nos últimos três meses de 2018.

“Não critico a publicidade, é legítimo. Questiono o que é a prioridade do prefeito Geraldo Julio. Onde vai parar a escala de gastos com propaganda do PSB? A Capital do Nordeste também é a capital da propaganda”, criticou.

Renato aproveitou para fazer um alerta ao PSB sobre o que ele acha que seja prioridade. “Vocês devem concluir as obras paradas, a exemplo da Escola José Vicente, no Alto da Bela Vista, que está parada há quatro anos. As crianças estão estudando na associação do bairro. Precisamos entender a prioridade da gestão, se é continuar investindo na propaganda, ou tratar o Recife como ele merece ser tratado”, listou.

*Com informações da assessoria

A Prefeitura do Recife anunciou, na terça-feira (4), o lançamento do programa Chegando Junto, com ações voltadas para a população em situação de rua na capital. Entre as medidas estão a criação de três restaurantes populares e um abrigo noturno.

De acordo com a Prefeitura do Recife, as ações foram pensadas devido à crise econômica enfrentada pelo país, que tem resultado no aumento da pobreza. Pelo menos desde 2016, a construção do abrigo noturno já era cobrada por ONGs, tendo sido tema de uma campanha na internet e de audiência pública na Câmara de Vereadores do Recife.

##RECOMENDA##

Os três restaurantes populares serão erguidos em parceria com a iniciativa privada. As unidades servirão refeições diárias de graça para população em situação de rua. O parceiro privado poderá comercializar mais refeições a custo popular.

Já o abrigo noturno funcionará na Travessa do Gusmão, no bairro de São José, área central do Recife. A meta é que o espaço abrigue pelo menos 200 pessoas por noite. Segundo a Prefeitura do Recife, a escolha dos locais levou em consideração inspeções sobre a população de rua.

Na área de assistência social, será lançado o projeto Gera Cidadania, cujo objetivo é oferecer oficinas pedagógicas e artísticas para crianças, adolescentes e jovens, no contraturno escolar, por meio de instrutores da própria comunidade com o objetivo de promover cidadania e inclusão em áreas vulneráveis.

Nos próximos meses também haverá o lançamento do projeto Frentes de Trabalho, que consiste na contratação de moradores dos bairros para a realização de pequenos reparos de manutenção em escolas e unidades de saúde, como pintura e capinação. O pagamento será realizado através de diárias. A prefeitura destaca que o Brasil atingiu 12,5% de desempregados em abril, somando 13,2 milhões de pessoas sem trabalho.

Através da Secretaria de Saúde, serão criados os mutirões de saúde voltados para a população de baixa renda. O foco são consultas e exames para reduzir filas de espera e o atendimento nas áreas onde não há cobertura das Unidades de Saúde da Família (USFs). O primeiro mutirão será realizado nos próximos dois sábados, 8 e 15 de junho, com 1,6 mil consultas e exames ortopédicos. Nos últimos anos, com o aumento do desemprego, 100 mil pessoas perderam os planos de saúde e migraram para o SUS no Recife.

Com a desarticulação de programas do Governo Federal, como o Minha Casa Minha Vida, a gestão também desenvolveu projetos na área de habitação popular,  sendo um deles o Parceria na Sua Casa. O objetivo da ação é auxiliar moradores em pequenas reformas de até R$ 5 mil.

Já o projeto Pertencer (espaço de convivência) busca criar áreas de convivência em habitacionais da prefeitura para crianças de zero a seis anos. A Secretaria de Habitação também promoverá, diante dos cortes no Minha Casa, Minha Vida, projeto de Autoconstrução, em que fornecerá material e assistência técnica para que o recifense que não tem onde morar construa sua própria casa.

Também foram anunciados dentro do programa Chegando Junto minicursos de empreendedorismo de manicure, pedicure, corte de cabelo na máquina, mecânico de bicicleta, entre outros. Após o curso, a pessoa recebe um kit de material (ferramentas, máquina de cabelo, etc) para já começar a ganhar sua renda. Em razão de pesquisa do Instituto Locomotiva, que revela que 18 milhões de brasileiros já têm algum tipo de renda através de aplicativos, a pasta também irá ajudar os recifenses que quiserem investir para ganhar renda por app.

Redução de custos

No mesmo evento de apresentação do Chegando Junto, o prefeito Geraldo Julio (PSB) também anunciou a contenção de despesas na ordem de R$ 60 milhões. A medida, segundo a gestão, é resultado de um esforço fiscal para não afetar o funcionamento dos serviços básicos prestados pela Prefeitura do Recife. A ação implica na devolução de 75 carros, acontecendo já neste mês de junho, nova revisão de contratos e o aumento da arrecadação por meio da dívida ativa.

Em janeiro deste ano, mesmo com perspectivas de melhoras na economia, a Prefeitura anunciou um corte de R$ 50 milhões. Diante de indicativos de recessão econômica no Brasil, a prefeitura decidiu ajustar ainda mais as despesas e economizar R$ 110 milhões dos cofres públicos.

LeiaJá também

--> Recife: restaurante popular não sai do papel e é esquecido

O prefeito Geraldo Júlio (PSB) sancionou a lei que prevê a instalação de aparelhos de ar-condicionado nos ônibus da capital pernambucana. A sanção vem um dia após a Câmara Câmara de Vereadores do Recife aprovar, por unanimidade, projeto de lei.

A proposta de implantar ar-condicionados nos ônibus do Recife foi bastante defendida por associações de usuários de coletivos e amplamente discutida dentro da Casa Legislativa.

##RECOMENDA##

 A nova lei será publicada na próxima edição do Diário Oficial, na quinta-feira (30). A partir daí, seguirá os trâmites normais até que os aparelhos sejam efetivamente instalados.

Os vereadores do Recife aprovaram nessa segunda-feira (20), um pacote de projetos do Executivo que dispõe sobre a rede municipal de ensino e gratificações aos professores da cidade. O projeto 04/2019 cria instalação do prêmio Escola do Futuro e gerou questionamentos por parte de parlamentares.

 Renato Antunes (PSC), líder da Oposição, justificou seu voto favorável ao projeto, mas criticou a gestão socialista. “Estamos assistindo mais uma demonstração da falta de prioridades do governo PSB. Enquanto na maioria das escolas recifenses, alunos são liberados pela ausência de professores, estudantes sofrem pela falta de climatização e a merenda é uma vergonha, a Prefeitura quer um prêmio para bonificar as melhores unidades de ensino. Antes de se preocupar com o futuro, o prefeito e sua equipe deveriam lutar para melhorar o presente”, pontuou Renato.

##RECOMENDA##

 O prêmio quer bonificar professores, de acordo com resultado dos estudantes do 6º ao 9º ano das Escolas Municipais de Ensino Fundamental. Outros projetos, que também foram aprovados no plenário da Casa José Mariano, de autoria do Poder Executivo, foram os de nº 03/2019, e 07/2019. O primeiro cria uma gratificação para professores das escolas integrais de anos finais; o segundo gratifica a função de coordenação pedagógica.

 Oposicionista, Renato indicou o voto favorável ao projeto do prefeito Geraldo Júlio, mas questionou o rito para votação de matérias importantes. “As propostas são boas e não podemos penalizar os professores pela má gestão. O que me chamou atenção foi o tempo para o projeto de gratificação salarial entrar em votação faltando pouco tempo para encerrar a gestão. Pautas importantes, que tragam melhorias para cidade, devem ser votadas com urgência. É isto que a população pede.”

Com informações de assessoria

Apesar das eleições municipais serem apenas em outubro de 2020, as articulações internas dos partidos para a disputa já iniciaram - mesmo que sem tanta exposição. O presidente do PDT em Pernambuco, deputado Wolney Queiroz, afirmou que a prefeitura do Recife é uma das prioridades da legenda, assim como as demais cidades pernambucanas com mais de 200 mil habitantes.

“O partido está mobilizando o maior número de candidatos. Há uma direção nacional para que a gente dispute nas cidades com mais de 200 mil eleitores e o partido onde tiver chances e construção deve concorrer”, disse em conversa com à reportagem do LeiaJá. Ao ser questionado se Recife seria uma delas, ele asseverou: “Recife é sempre prioridade”.

##RECOMENDA##

A eventual candidatura, contudo, segundo Wolney depende da conjuntura de cada cidade. “Na eleição passada o partido já tinha essa deliberação, no entanto nós optamos por fazer uma aliança com Geraldo Julio. As vezes não é possível construir uma candidatura”, ressaltou o deputado. Hoje PDT e PSB são aliados.

Ao ser indagado sobre possíveis nomes para a disputa na capital, o presidente do PDT desconversou. “Está muito cedo, temos que discutir isso internamente para em junho do ano que vem decidirmos o caminho melhor”, disse.

Ainda que Wolney Queiroz não tenha detalhado nomes, há especulações de bastidores que o candidato pedetista a prefeito do Recife seria o deputado federal Túlio Gadêlha. O nome dele já foi apontado, inclusive, pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi.

Túlio despontou nas eleições em 2018 como retrato de nova política no Congresso Nacional, sendo eleito com mais de 75 mil votos. Sobre a disputa municipal, ele já chegou a dizer que não é seu foco no momento.

Briga de liderança

O alcance eleitoral de Túlio e as articulações protagonizadas por ele para renovar o quadro de filiados ao PDT, uma vez que tem liderado campanhas de filiação de jovens, também já gerou outra especulação: a de que ele estaria agindo para destituir Wolney da direção estadual.

Os rumores aparentemente não preocupam o filho do deputado estadual José Queiroz (PDT). “Não me preocupo. Temos um trabalho de muitos anos, sou filiado ao PDT desde 1992, estou no sétimo mandato e fazendo meu papel em sintonia com Carlos Lupi e Ciro Gomes”, disse Wolney Queiroz.

“Essa é a coisa mais importante, normalmente essas discussões são mais ressaltadas do que a verdade. Não Tenho nenhum, problema com Túlio, ele faz o mandato dele e eu faço o meu e a gente vai trabalhar em sintonia”, acrescentou.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), afirmou que a gestão municipal não recebeu, nesses pouco mais de três meses do governo Jair Bolsonaro (PSL), “nada de extraordinário” quando se trata de repasse de verba pública federal. Segundo o pessebista, os cofres municipais precisam dar conta de demandas que surgiram com a crise econômica e pouco é repassado pela nova administração do país.

“As prefeituras são pressionadas pela crise econômica a atender mais gente. Não tem nada extraordinário que tenha chegado [de recursos federais no Recife] e não tenho notícias que tenha chegado para prefeitura nenhuma”, declarou, em entrevista do jornal Folha de Pernambuco.

##RECOMENDA##

Ao ser indagado sobre quanto a prefeitura havia recebido, Geraldo disse que era preciso ter cuidado para não confundir repatriação das receitas públicas com investimentos e repasses do governo Jair Bolsonaro.

“Tem uma coisa que é importante não confundir que é a repartição das receitas públicas. Inclusive, elas vêm diminuindo muito a participação das prefeituras nessas receitas. Em 88, quando a constituição foi promulgada, a cada R$ 4 que era arrecadado, três eram compartilhados com estados e municípios. Hoje, isso está na metade do que era em 88 porque foi concentrando recursos em Brasília e estados e municípios com menos participação no bolo de receitas e mais coisas para fazer”, observou.

“Em tempos de crise, recebemos nas escolas públicas do Recife 12 mil alunos que vieram das escolas particulares porque a família perdeu renda. E temos que ter sala, merenda, fardamento para esses alunos. No SUS, mais de 100 mil pessoas perderam plano de saúde no Recife”, acrescentou o prefeito. Geraldo Julio sempre foi defensor de um novo pacto federativo, com o que se chama de “divisão mais justa” dos recursos.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando