Tópicos | futebol

Vinte ONGs que trabalham no apoio a pacientes com câncer participam do Projeto Driblando o Câncer, uma campanha nacional de mobilização contra o câncer, que realiza um jogo de futebol solidário, de celebridades, no dia 15 de dezembro, às 14h00, no Corinthians, Parque São Jorge.

“Objetivo do Projeto é chamar a atenção da opinião pública para a grave incidência do câncer no país, que vitima 600 mil brasileiros por ano e mata 240 mil. E o nosso intuito é unir todos os times de futebol para uma ação conjunta contra o câncer porque essa doença não escolhe time, raça, cor ou credo. Atinge a todos os cidadãos, de forma indiscriminada e cruel”, alerta Gil Santos, presidente da Craques Master, empresa realizadora do evento.

##RECOMENDA##

Artistas, celebridade, médicos e anônimos estão se unindo ao Driblando o Câncer. Já estão confirmadas as participações no jogo de Cafu, Müller, Veloso, BiroBiro, Júnior (Pentacampeao), Aloísio (seleção brasileira), Luizão(Seleçao), Amaral(Seleçao), Edilson (seleçao),Gustavo Nery, Pavao(São Paulo), Zenon(Corintians), Zé Carlos (seleçao brasileira), Diney(Corintians), César Sampaio (Seleçao), Gilmar (Palmeiras ), Ademir da Guia (Divino) Jamelli (seleção brasileira) e Ronaldão (tetracampeão). Vários jogadores, de outros times, estão sendo convidados.

 Adriana Restum, influencer e empresária da Planet Girl, coordena o jogo preliminar feminino, que acontece antes do jogo oficial. Já estão confirmadas para jogar Sabrina Sato, Mary Alexandre, Suzy Cortez (Miss Bumbum World 2019) entre outras celebridades.

Câncer pode tornar-se a primeira causa de morte no país

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a incidência do câncer vai crescer e poderá se tornar a principal causa de morte no mundo. No Brasil, além do cenário também se confirmar, ainda há o desafio de uma população envelhecida, aliada a sistemas de saúde – tanto público, quanto privados – enfraquecidos financeiramente, o que, por vezes, inviabiliza tratamentos avançados, como é o caso das terapias alvo e da imunoterapia.

O diagnóstico precoce pode salvar muitas vidas. Quando diagnosticado em estágio inicial, o câncer tem 90% de chance de cura, além de permitir tratamentos menos invasivos e agressivos e maior possibilidade de salvar o paciente.

Segundo a comissão organizadora do Projeto, DRIBLANDO O CÂNCER objetiva alertar para a prevenção primária estimulando hábitos saudáveis de vida que incluem atividade física regular e alimentação de qualidade. Foca na necessidade do diagnóstico precoce para salvar vidas, pois 90% dos cânceres podem ser curados quando detectados precocemente. E reivindica priorização do câncer nas políticas públicas.

Serviço

Jogo solidário DRIBLANDO O CÂNCER

15 DE DEZEMBRO, 14h00 Corinthians - Parque São Jorge – Rua São Jorge, 777 Vila Moreira, São Paulo – SP

Para adquirir os ingressos ou combos – Clique aqui

Ingresso arquibancada R$ 10,00

Ingresso cadeira R$ 20,00

Kit 1 – Kit camiseta + Ingresso (arquibancada) R$ 60,00

Kit 2 – Kit camiseta + Ingresso (cadeira) R$ 70,00

A Conmebol confirmou nesta quinta-feira que o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, será a sede da final da Copa Libertadores de 2020. Já a decisão da Copa Sul-Americana do próximo ano será disputada no estádio Mario Kempes, em Córdoba, na Argentina. Nos dois casos, a final será realizada em jogo único.

"Por decisão do Conselho da Conmebol, foram selecionadas as cidades de Rio de Janeiro e Córdoba como cidades-sedes para as finais únicas de 2020", anunciou a Conmebol, nas redes sociais. As decisões foram tomadas em reunião do Conselho da Conmebol, em Assunção, no Paraguai.

##RECOMENDA##

O encontro contou com a presença do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), que fez parte da comitiva da CBF presente no local. O anúncio prévio da presença do governador já havia levantado a suspeita de que o Maracanã acabaria sendo escolhido. O tradicional estádio brasileiro era o principal favorito nesta disputa.

Também estavam na disputa o próprio estádio Mario Kempes (Córdoba, Argentina), o Mineirão, a Arena do Grêmio, o Beira-Rio, o Morumbi, a Arena Corinthians e o Estádio Nacional (Lima, Peru).

Consultores técnicos da Conmebol visitaram os estádios candidatos na Argentina, no Peru e no Brasil. Segundo a entidade, os critérios avaliados pelos técnicos foram: visão, conceito e legado da proposta, características técnicas do estádio e campos de treinamento, requisitos de segurança, mobilidade e acomodação e aspectos sociais, políticos, ambientais e comerciais.

A final no Maracanã será a segunda no novo formato estabelecido pela Conmebol, com as competições sul-americanas sendo decididas em jogo único. A primeira edição assim será neste ano, em Santiago, no dia 23 de novembro. Flamengo e Grêmio brigam para chegar à grande final. A outra semifinal tem Boca Juniors e River Plate.

Já a Copa Sul-Americana deste ano vai ser decidida no estádio General Pablo Rojas, em Assunção, no Paraguai. O jogo estava marcado para o estádio Nacional de Lima, no Peru, mas mudou de local por falha na organização dos peruanos, que tentarão receber a partida no próximo ano.

Em 2020, será no Mario Kempes, em Córdoba, que recebeu uma grande reforma para virar uma das sedes dos jogos da Copa América, em 2011. Os outros estádios na disputa eram o Estádio Ciudad de La Plata (Argentina), o Mané Garrincha, em Brasília, e o Nacional de Lima (Peru).

Felipe Melo homenageou o diretor de futebol Alexandre Mattos após marcar o gol aos 54 minutos do segundo tempo que garantiu ao Palmeiras a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no Allianz Parque nesta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro.

O dirigente está sendo muito pressionado e virou o principal alvo de críticas da torcida por causa da falta de títulos da equipe na temporada. O volante também dedicou o triunfo à mulher e ao presidente Jair Bolsonaro, torcedor declarado do Palmeiras.

##RECOMENDA##

"Quero dedicar o gol a um cara que me trouxe para cá, que é o Mattos, para a minha esposa e ao presidente da República, que é um cara que está sempre me dando moral, falando de mim nas entrevistas", disse.

Felipe Melo também destacou a insistência do Palmeiras na busca pelo gol. "Martelamos até o final. Mostramos uma força imensa do nosso grupo. A única vez que precisamos do nosso goleiro, ele foi muito bem. A vitória vem para coroar, buscamos desde o primeiro minuto contra um time que veio para empatar", disse.

Com a vitória diante da sua torcida, o Palmeiras soma 53 pontos na segunda colocação do Campeonato Brasileiro e continua a sua caça ao líder Flamengo, que bateu o Fortaleza por 2 a 1 e tem 61. Na próxima rodada, a equipe do técnico Mano Menezes enfrenta o Athletico-PR, domingo, fora de casa.

O atacante Dudu também fez questão de ressaltar o fato de o Palmeiras ter pressionado a Chapecoense até os acréscimos. "A gente caprichou até demais, a bola passou muito perto. Não pode desistir. Quem achou que ia ser um jogo fácil, foi difícil. O time está de parabéns pela insistência", disse.

Autor do gol que garantiu o empate do Corinthians em 2 a 2 com o Goiás no Serra Dourada nesta quarta (16), o centroavante Gustavo rechaçou qualquer possibilidade de atrito entre o elenco e o técnico Fábio Carille. O jogador elogiou o trabalho do treinador e assegurou que ele tem a confiança dos atletas.

"Não teve atrito com Carille e não vai ter. Ele sabe o que está fazendo. Tem toda a confiança não somente nossa, mas da diretoria toda também. Vem fazendo um belo trabalho. Ganhou títulos nessa formação. Corinthians é assim, ganhou muitos títulos com resultados simples, 1 a 0. Buscar a vitória. Correr, nos dedicar e buscar o resultado bom quando não dá para jogar bonito", disse Gustavo.

##RECOMENDA##

O desacordo fora de campo se iniciou depois que Carille fez críticas públicas a alguns jogadores e reconheceu que a equipe não realizou mais do que dez jogos bons em toda a temporada. Antes da partida em Goiânia, o goleiro Cássio, um dos líderes do elenco, já havia colocado panos quentes no clima ruim no clube. A torcida chegou a se manifestar contra o treinador, que ironizou.

Gustavo comentou que as cobranças são normais, uma vez que o time não vence há quatro rodadas - empatou três e perdeu um neste período - e elogiar a postura dos jogadores no empate com o Goiás. "Nos cobramos muito porque sabemos que podemos dar muito mais. Conversamos antes do treino para mudar nossa postura. Isso faria a diferença. Hoje, cada um deu um pouco mais de si e fizemos um grande jogo", pontuou.

Gustavo também aproveitou para agradecer Fábio Carille pela oportunidade de voltar a ser titular e pela chance de poder bater o pênalti no final da partida. Ele entende que o momento pede pouca conversa e mais trabalho. "Pedi para bater porque treinei a semana toda. Agradeço a ele pela chance. Nosso ambiente é muito bom, muito tranquilo. Nada que acontece fora do clube vai para dentro de campo. Agora é assim: trabalhar quietinho buscando o resultado."

Para o técnico Mano Menezes, jogos como o de quarta-feira (16) diante Chapecoense, no Allianz Parque, são importantes para fazer o Palmeiras amadurecer no Campeonato Brasileiro. O gol de Felipe Melo que garantiu a vitória por 1 a 0 saiu somente aos 54 minutos do segundo tempo depois de a equipe ter pressionado o adversário durante praticamente toda a partida.

"Fomos premiados no final pela insistência e entrega. Jogos como esse serão jogados no segundo turno. Quando demorarmos para iniciar a vitória, elas também podem se tornar dramáticas. Mas também vamos aprendendo como resolver problemas, é importante para a equipe amadurecer", disse Mano.

##RECOMENDA##

O Palmeiras mereceu a vitória, mas o triunfo poderia ter sido conquistado mais facilmente se os jogadores não tivessem falhando tanto nas finalizações, principalmente na etapa final. "Atacamos pela direita, esquerda, criamos jogadas por dentro, chutamos de fora, cabeceamos, criamos um número grande de oportunidades, mas a bola não entrava. Foi isso que tornou o jogo muito dramático", disse o treinador.

Na avaliação de Mano, a única partida sob o seu comando em que o Palmeiras não jogou bem foi a derrota por 2 a 0 diante da Santos na semana passada. "Nos outros jogos, encontramos dificuldades, mas resolvemos. Se tivéssemos tido um pouquinho de calma contra o Atlético-MG (empate por 1 a 1), também teríamos vencido. Isso é importante, do outro lado têm equipes que trabalham, que estudam o adversário e jogadores de qualidade. Precisamos ir entendendo os jogos", disse.

O Palmeiras volta a campo no domingo, quando enfrenta o Athletico-PR na Arena da Baixada. A equipe ocupa a segunda colocação do Campeonato Brasileiro com 53 pontos, oito a menos do que líder Flamengo.

Confiante e embalado pelos cinco jogos de invencibilidade no Campeonato Brasileiro, o Fluminense enfrenta o Athletico-PR, nesta quinta-feira (17), no Maracanã, às 21h, pela 26ª rodada, com o objetivo de se afastar ainda mais da zona de rebaixamento e buscar novos objetivos.

"Conquistamos pontos importantes, e se mantivermos esse ritmo, nossa briga pode ser outra. O Athletico-PR há muito tempo está organizado, conquistando títulos, com jogadores de qualidade", disse o zagueiro Nino, que não terá a companhia de Digão na zaga. O capitão está com uma lesão muscular e será substituído por Frazan.

##RECOMENDA##

O titular absoluto da zaga do Fluminense também elogiou a possibilidade de contar com os retornos de Caio Henrique, Allan (ambos estavam na seleção pré-olímpica) e Ganso (após cumprir suspensão).

"Sabemos da dificuldade desse jogo e ficamos felizes com o retorno dos jogadores. Nem preciso falar da importância deles, nesse momento decisivo é muito importante estar como o time completo", afirmou Nino, um dos responsáveis pela defesa não ter sido vazada nas três últimas partidas.

O último gol que a equipe sofreu foi em 29 de setembro, na vitória sobre o Grêmio, por 2 a 1. De lá para cá, o time venceu o Botafogo (1 a 0), empatou com o Cruzeiro (0 a 0) e derrotou o Bahia (2 a 0).

O setor ofensivo também merece elogios, pois nas cinco partidas seguidas sem derrota no Brasileirão o ataque fez gol em quatro jogos. Nesta quinta-feira, o setor deverá contar com três jogadores: Nenê, Yony González e João Pedro. Além da chegada de Ganso.

O Fluminense soma 29 pontos, enquanto o adversário paranaense tem 35 e joga o Campeonato Brasileiro despreocupado após a conquista da Copa do Brasil, que lhe garantiu uma vaga na Libertadores do próximo ano.

O dia era 22 de maio de 2010 e a torcida da Inter de Milão estava no céu. No Estádio Santiago Bernabéu, templo do Real Madrid, o time italiano venceu o Bayern de Munique por 2 a 0 e fechou com o título da Liga dos Campeões da Europa a melhor temporada da história do clube - já havia conquistado o Campeonato Italiano e a Copa da Itália. Mal sabiam os torcedores, porém, que a decadência azul e negra começava exatamente ali, entre muitos abraços e garrafas de espumante.

Logo depois da tríplice coroa, o técnico José Mourinho se mandou para o Real e o desmanche foi inevitável. Desde então, com a razoavelmente honrosa exceção de uma Copa da Itália vencida logo na temporada seguinte, o clube que já teve como ídolos os goleadores Ronaldo e Adriano não ganhou mais nada. Pior, viu de muito longe a Juventus estabelecer uma hegemonia sem precedentes no futebol do país. E só agora, depois de apanhar por quase dez anos, a Inter dá sinais de que está dando a volta por cima.

##RECOMENDA##

A história recente da outrora poderosa Inter começou a mudar em junho de 2016, quando o grupo empresarial Suning, da China, comprou do indonésio Erick Thonir a maioria das ações do clube. Em outubro do ano passado, o Suning passou a ser dono de 100% das ações e Steven Zhang (filho de Zhang Jindong, presidente do Suning), de 28 anos, tornou-se presidente do clube.

Com os chineses, chegou o dinheiro, mas não só isso. Giuseppe Marotta foi contratado para ser o diretor esportivo depois de alguns anos cumprindo essa função na Juventus - ele é apontado pela imprensa italiana como um dos responsáveis pela hegemonia do clube de Turim na Itália (oito títulos nacionais consecutivos).

Com o dinheiro chinês e o currículo de Marotta, só faltava um treinador acostumado a vencer para o cenário estar completo. E Antonio Conte chegou no meio do ano para ser esse homem. Credenciado pelo sucesso na Juventus, na seleção italiana e no Chelsea, o técnico empolgou a torcida tanto ou mais do que as novas estrelas da companhia, os atacantes Romelu Lukaku e Alexis Sánchez, ambos trazidos do Manchester United.

"O Conte foi escolhido a dedo porque ele é um profissional muito rigoroso, exige disciplina dos jogadores. E os chineses prezam muito por coisas como organização, hierarquia e disciplina", afirma o jornalista italiano Andrea Elefante, que acompanha o dia a dia da Inter. Não por acaso, a Inter tratou de se livrar do atacante argentino Icardi e do meia belga Nainggolan, ambos com problemas disciplinares no currículo, tão logo Conte chegou.

Para o ex-jogador Zé Elias, que defendeu a equipe italiana entre 1997 e 1999, a chegada de Conte vem sendo decisiva para o time. "A Inter sempre teve bons jogadores, mas nem sempre teve técnicos de peso. Às vezes os jogadores se achavam mais importantes do que a instituição, mas o Conte sabe fazer todo mundo respeitar a camisa que veste. Ele é muito sério, muito profissional, é a pessoa certa, até pelo temperamento dele. O Conte consegue fazer os jogadores olharem para ele de baixo para cima", diz o ex-atleta, ao Estado.

CHOQUE DE REALIDADE - Nas últimas oito temporadas, a Inter jamais terminou o campeonato nacional menos de 20 pontos atrás da Juventus e só participou duas vezes da Liga dos Campeões (sem contar a atual edição).

No Italiano em andamento, a Inter da "era Suning/Marotta/Conte" chegou ao clássico contra a Juventus na liderança, o que deixou os torcedores eufóricos, mas a derrota por 2 a 1 em Milão serviu como uma cachoeira de água gelada sobre as cabeças interistas. A avaliação do comando do clube é que ainda falta melhorar bastante para alcançar o nível do time de Cristiano Ronaldo. Por isso, dois jogadores devem ser contratados na janela de transferências de janeiro.

Mesmo com a chegada desses reforços, os comandantes da Inter sabem que superar a Juventus nesta temporada é muito difícil, mas eles não têm pressa. A ideia inicial é consolidar o clube como a segunda força da Itália para em seguida acabar com a supremacia da Velha Senhora e, por fim, voltar a triunfar na Europa, tendo Conte como o "novo Mourinho".

"Acredito que a Inter vai voltar a ser forte. O time está sendo reconstruído com a espinha dorsal que o Conte montou, bem competitiva, com marcação por pressão, o Lukaku brigando lá na frente... É um estilo bem italiano, é assim que o Conte trabalha", comenta Zé Elias.

A Uefa puniu a Lazio por comportamento racista de seus torcedores. O clube italiano terá que fechar dois setores das arquibancadas norte de seu estádio no duelo com o Celtic, no dia 7 de novembro, pela quarta rodada da fase de grupos da Liga Europa. As ofensas racistas aconteceram na partida contra o Rennes há duas semanas pela mesma competição. O clube romano também recebeu uma multa de 20 mil euros (cerca de R$ 92 mil) e terá que exibir uma faixa com as palavras #EqualGame no jogo contra o time escocês.

O Comitê Disciplinar da Uefa ameaçou inicialmente fechar os portões do estádio no duelo da Liga Europa. A Lazio apelou considerando um "castigo severo" e reafirmou sua intenção de perseguir os responsáveis por esse "comportamento inaceitável". Com isso, conseguiu diminuir a punição. "Para confirmar que vai defender a sua reputação e a sua tradição, o clube anuncia ter imediatamente ativado as iniciativas com vista a identificar os responsáveis e aplicar rigorosamente o código de ética, de modo a afastá-los do estádio", informou o clube romano em comunicado.

##RECOMENDA##

Durante o jogo com o Rennes, torcedores do setor norte fizeram gestos nazistas. Não é a primeira vez que o clube precisa lidar com o comportamento preconceituoso vindo das arquibancadas. Na temporada passada, aconteceu a mesma coisa no duelo contra o Rennes e custaram à Lazio a realização de um jogo com parte de uma arquibancada fechada.

Nesta semana, após atos racistas de torcedores nas Eliminatórias da Eurocopa-2020, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, pregou uma "guerra aos racistas" e disse que as demonstrações de preconceito são uma "doença" no futebol. Eles fez as declarações em comunicado enviado à agência de notícias Associated Press (AP).

"Acredite em mim, a Uefa está comprometida a fazer tudo que puder para eliminar esta doença do futebol", declarou Ceferin. "Não podemos aceitar isso. Devemos sempre nos esforçar para fortalecer nossa determinação. De forma mais ampla, a família do futebol - dos dirigentes aos jogadores, treinadores e torcedores - precisam trabalhar com os governos e as ONGs para liderarmos uma guerra contra os racistas e marginalizarmos suas visões abomináveis na sociedade."

Os episódios racistas aconteceram durante a goleada de 6 a 0 da Inglaterra sobre a Bulgária, na cidade de Sofia, capital búlgara, na segunda-feira, pela fase de grupos das Eliminatórias da Euro. O jogo foi interrompido por duas vezes no primeiro tempo por causa de cânticos racistas e saudações nazistas dos torcedores da equipe da casa.

A liga que organiza o Campeonato Espanhol pediu nesta quarta-feira à Real Federação Espanhola de Futebol que mude a sede do clássico entre Barcelona e Real Madrid. A entidade quer alterar o local, do Camp Nou para o Santiago Bernabéu, estádio do Real, porque a Catalunha vem enfrentando seguidos protestos desde a segunda-feira (14).

A partida, válida pela 10ª rodada do Espanhol, está marcada para o dia 26 (um sábado) deste mês. A liga que organiza o campeonato teme que os protestos em Barcelona sigam fortes até a data do clássico, o que afetaria a logística e toda a estrutura relacionada ao jogo, considerado um dos maiores clássicos do mundo.

##RECOMENDA##

A Real Federação Espanhola de Futebol ainda não se manifestou sobre o pedido. O objetivo da liga é inverter o mando de campo dos clássicos. Assim, o jogo válido pelo primeiro turno seria disputado em Santiago Bernabéu e a partida entre os dois grandes no segundo turno, somente em março do ano que vem, aconteceria no Camp Nou.

A preocupação se deve às manifestações que tiveram início na segunda-feira, em Barcelona. Milhares de pessoas ocuparam o Aeroporto de El Prat, em protesto contra a condenação de 12 líderes separatistas catalães. As principais ruas da cidade foram bloqueadas e os serviços de trens urbanos e do metrô foram interrompidos. A polícia reprimiu com violência as manifestações. Mais de 100 voos foram cancelados, ao menos 70 pessoas ficaram feridas nestes últimos dois dias. Nesta quarta, o terceiro dia seguido de protestos já começou.

O caos começou assim que o Tribunal Supremo da Espanha condenou nove líderes separatistas a penas de prisão que variam de 9 a 13 anos por sedição em razão do referendo de outubro de 2017, realizado apesar de uma proibição do governo em Madri. Outros três réus foram considerados culpados de desobediência e não receberam penas de prisão.

As sentenças foram consideradas pesadas. O ex-vice-governador catalão Oriol Junqueras recebeu pena de 13 anos de cadeia, a maior entre os separatistas. Ele afirmou que o movimento voltará mais forte. "Voltaremos e voltaremos mais fortes. Não tenham nenhuma dúvida, voltaremos e venceremos", afirmou Junqueras, em carta escrita na prisão e publicada pelo partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).

Sem vencer há três jogos, o Bahia tem um confronto complicado na briga por uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira (16), às 19h15, visita o Grêmio, pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo fora de casa, o objetivo é pontuar.

Por isso, o técnico Roger Machado não quer ninguém mais falando da derrota para o Fluminense, por 2 a 0, embora acredite que o time jogou bem e não merecia perder no Maracanã.

##RECOMENDA##

"Temos que manter a pegada, apesar do cansaço gerado não só pelo jogo como pela logística da viagem. O impacto é nos sincronismos, não no desgaste. Agora, a gente vai medindo isso. A escalação vai sair no vestiário. É descansar, lamber as feridas e partir para outra", pediu o treinador.

O comandante revelou que só divulgará a escalação momentos antes da partida. "Quem retorna é só o Artur. Hoje estava ainda naquele ciclo da virose. Moisés e Nino Paraíba também. Deve retornar só o Artur", confirmou.

O time segue com alguns problemas e Roger Machado adotou tom de mistério. Nino Paraíba e Moisés, com lesões na panturrilha e coxa, respectivamente, estão fora. João Pedro deve continuar sendo o titular na lateral direita, enquanto Giovanni permanece na lateral esquerda.

Por outro lado, o atacante Artur Victor retorna após cumprir suspensão, no lugar de Élber. Embora se recupere de uma virose, ele foi confirmado no ataque ao lado de Gilberto.

A última vitória do Bahia foi em 30 de setembro, quando fez 2 a 0 no Avaí. De lá para cá, perdeu para o Athletico-PR por 2 a 1 e empatou sem gols com o São Paulo, ambos em casa, além de ter sido derrotado por 2 a 0 pelo Fluminense, no Rio.

Com a recente campanha, o clube baiano está na oitava colocação com 38 pontos, três a menos do que o próprio Grêmio, sexto colocado e que usará força total mesmo com a aproximação do segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores, contra o Flamengo.

As seleções peruana e uruguaia empataram por 1 a 1 nesta terça-feira (15), em amistoso disputado no Estádio Nacional de Lima e marcado pela reação da equipe visitante, que conseguiu arrancar a igualdade mesmo estando com um jogador a menos durante toda a etapa final.

As seleções já haviam se enfrentado em outro amistoso nesta Data Fifa, na última sexta-feira (11), quando os uruguaios haviam triunfado por 1 a 0, no Estádio Centenário, em Montevidéu, com o gol marcado por Brian Rodríguez.

##RECOMENDA##

Esse, portanto, foi o terceiro duelo entre as seleções em 2019, pois as equipes tinham se enfrentado pelas quartas de final da Copa América, com o Peru avançado de fase na disputa de pênaltis após empate por 0 a 0 na Fonte Nova, em Salvador.

Atuando em casa, o Peru iniciou o amistoso desta terça-feira com Cueva, do Santos, e Guerrero, do Internacional, como titulares, mas foi dominado pela seleção uruguaia, que quase abriu o placar com Lozano logo nos minutos iniciais - o jogador do mexicano Santos Laguna acertou a trave em sua finalização.

Mas o controle uruguaio se esvaiu com a expulsão de Martín Cáceres por reclamação com a arbitragem, aos 26 minutos. Logo depois, aos 34, o Peru aproveitou a vantagem numérica para abrir o placar. Na jogada, Advíncula fez bela jogada individual e cruzou para Christofer González finalizar às redes, de cabeça.

O Uruguai, porém, cresceu no segundo tempo do amistoso, a partir das mudanças realizadas pelo técnico Oscar Tabarez, que deram mais organização e ofensividade à sua seleção. Mesmo com um a menos, se lançou ao ataque, enquanto o Peru recuou. E o gol de empate saiu aos 35 minutos. Viña cruzou para Darwin Núñez marcar de cabeça. O jovem atacante, de 20 anos, haviam entrado em campo aos 35 minutos, tendo ido às redes logo na sua estreia pela seleção uruguaia.

Na Data Fifa de novembro, o Uruguai tem um amistoso agendado contra a Hungria, no dia 15, em Budapeste. Já o Peru duelará com a Colômbia, no dia 14, em Miami, e contra o Chile, no dia 19, em Lima.

Ainda sem conseguir emplacar uma sequência de bons resultados desde o retorno de Rogério Ceni, o Fortaleza recebe o líder Flamengo nesta quarta-feira (16), às 20h, no Castelão, pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico exige uma postura diferente em relação ao jogo contra o Vasco, em São Januário, onde o time perdeu por 1 a 0. "Não podemos jogar tão pouco. Temos condições de jogar mais e vamos precisar, porque teremos pela frente um time altamente qualificado", comentou Ceni.

##RECOMENDA##

Depois de reestrear com vitória sobre o Botafogo, por 1 a 0, Ceni perdeu para São Paulo (2 a 1) e Vasco (1 a 0), além de ter ganho da Chapecoense (2 a 0) entre essas derrotas. Os dois resultados positivos aconteceram, justamente, no Castelão, palco do jogo contra o líder e que promete estar lotado.

O problema é que o time cearense acumula desfalques para esse jogo. E talvez o principal deles seja no banco de reservas. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Rogério Ceni não vai poder comandar o time do banco de reservas. O auxiliar Charles Hembert é quem vai assumir o seu lugar na área técnica.

Em relação ao time, o zagueiro Jackson e o atacante Edinho, ambos machucados, são dúvidas. Desfalques certos são o lateral-direito Gabriel Dias (expulso) e o atacante Wellington Paulista (terceiro amarelo), ambos suspensos. Esse último é o artilheiro do Fortaleza no Brasileirão, com nove gols. A boa notícia é a volta do zagueiro Quintero, que cumpriu suspensão contra o Vasco.

A vitória sobre o Flamengo é de extrema importância para o Fortaleza, que está na 15.ª colocação, com 28 pontos, três a mais do que o CSA, primeiro clube na zona de rebaixamento. Por isso, mesmo jogando contra o líder, o time cearense promete ir para cima.

"O Flamengo vem fazendo um grande campeonato, mas não é uma equipe impossível de vencer. Estamos jogando em casa e também temos nossas virtudes para conquistarmos os três pontos", disse Quintero.

Graças a um gol marcado pelo atacante Rodrigo nos acréscimos do segundo tempo, aos 46 minutos, a Espanha empatou por 1 a 1 com a Suécia, nesta terça-feira, fora de casa, em Solna, nos arredores de Estocolmo, e garantiu a sua vaga na Eurocopa de 2020.

Com o resultado obtido no sufoco, a seleção espanhola foi a 20 pontos na liderança do Grupo F das Eliminatórias para o torneio continental e ficou cinco à frente justamente dos suecos, que ocupam a segunda posição da chave e hoje fecham a zona de classificação à competição que ocorrerá no próximo ano.

##RECOMENDA##

Essa é a sétima vez consecutiva que a seleção espanhola assegura lugar em uma Eurocopa com campanhas de sucesso nas Eliminatórias. Depois de ter fracassado na sua tentativa de disputar a edição de 1992 da competição, a equipe nacional participou do grande evento em 1996, 2000, 2004, 2008, 2012 e 2016. Neste período, se sagrou campeã por duas ocasiões, em 2008 e 2012, e foi às quartas de final por outras duas, em 1996 e 2000. Há três anos, na sua última participação no torneio, deu adeus nas oitavas de final.

O empate desta terça-feira também manteve a Espanha invicta neste qualificatório para a próxima Euro e ampliou para 38 jogos o número de partidas consecutivas do país marcando ao menos um gol em cada. Desta vez, comprovando a sua vocação ofensiva, os espanhóis criaram as melhores oportunidades de balançar as redes no primeiro tempo, mas não souberam aproveitar nenhuma delas.

Do outro lado, a Suécia também esbarrou em uma grande atuação do goleiro David de Gea, que praticou belas defesas antes de precisar deixar o jogo lesionado. Antes disso, ele não teve como evitar o gol que abriu o placar do confronto, aos 5 minutos da etapa final, quando Berg marcou no rebote pelos donos da casa após De Gea praticar duas defesas cara a cara no mesmo lance. Aos 15, o goleiro saiu para a entrada de Kepa Arrizabalaga.

E a vitória dos suecos parecia certa quando os espanhóis encontraram o caminho do empate. Após escanteio batido pela direita, Fabián finalizou da esquerda e Rodrigo, que estava no caminho da bola, completou para as redes para garantir o 1 a 1 e também a classificação à Eurocopa.

Nas duas rodadas finais deste Grupo F, a Espanha ainda terá pela frente Malta, em Cádiz, em 15 de novembro, e a Romênia, três dias depois, em Madri. Serão dois compromissos em casa para cumprir tabela e fazer a festa com os seus torcedores.

A terceira colocação desta chave, com 14 pontos, está nas mãos da Romênia, que também amargou um duro empate atuando como mandante em outro duelo desta terça. Em Bucareste, a seleção da casa vencia a Noruega por 1 a 0, com um gol de George Puscas, até os 47 minutos do segundo tempo, quando os visitantes empataram o jogo com Alexander Soerloth e arrancaram a igualdade por 1 a 1. Assim, os noruegueses foram aos 11 pontos na quarta posição e se mantiveram na briga por uma vaga na Eurocopa.

No próximo dia 15 de novembro, em confronto direto pela vice-liderança, romenos e suecos se enfrentam em Bucareste, enquanto a Noruega atuará em casa contra as Ilhas Faroe, que em outra partida desta terça-feira superou Malta por 1 a 0, em casa. Estes dois últimos países, já fora da luta por classificação, estão empatados na lanterna, com três pontos.

GRUPO D - Em outra partida do dia pelas Eliminatórias, a Suíça superou a Irlanda por 2 a 0, em Genebra, e se manteve viva na briga por uma vaga na Europa. O resultado em casa, garantido com gols de Haris Seferovic e Shane Duffy (contra), levou os suíços aos 11 pontos na terceira posição do Grupo F, ficando agora apenas um atrás dos próprios irlandeses, líderes da chave, e da Dinamarca, vice-líder.

Em outro jogo desta terça-feira por esta chave, a Geórgia bateu Gibraltar por 3 a 2, como visitante, e chegou aos oito pontos na quarta colocação, mas terá apenas mais um jogo a disputar nesta chave, no dia 15 de novembro, contra a Suíça, fora de casa. Depois disso, no dia 18, os suíços atuarão como visitantes diante de Gibraltar, esta ainda sem pontuar e fora da luta para ir à Euro. E no dia 18, pela rodada final da chave, os irlandeses e a Dinamarca medirão forças em confronto decisivo em Dublin.

Vagner Mancini, novo técnico do Atlético-MG, está ansioso para estrear no clube. Tanto que chegou a Maceió, onde nesta quarta-feira, às 19h15, no estádio Rei Pelé, o time alvinegro vai enfrentar o CSA, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, antes da delegação da equipe de Belo Horizonte. Mancini sabe que precisa obter bons resultados rapidamente, até porque seu contrato tem duração apenas até o fim da competição nacional.

Segundo o treinador, a curta duração do vínculo foi uma ideia dele mesmo. E o novo comandante alvinegro garante que 13 jogos (quantidade que falta até o fim do Brasileirão) são suficientes para que ele coloque seus métodos em prática.

##RECOMENDA##

"Que fique bem claro que foi um pedido meu (o contrato de três meses)", disse o treinador em entrevista à TV Galo. "Pedi isso porque o fim do ano é o fechamento de um ciclo, de uma temporada. Acho que 13 jogos é um tempo em que você consegue estabelecer uma metodologia e mostrar do que é capaz."

Quando os jogadores do Atlético chegaram ao hotel em que a delegação está hospedada, nesta terça-feira, encontraram Mancini na recepção, à espera deles. O técnico acredita que essa é uma forma de estabelecer rapidamente um vínculo com os atletas, coisa importante para quem tem apenas três meses para tirar a equipe alvinegra da região intermediária da tabela e classificá-la para a Copa Libertadores da América.

"Fiz questão de chegar antes para sentir o ambiente", explicou Mancini. "Vários dos atletas que estão aqui já foram meus atletas em outros lugares, e isso me dá a condição de não chegar tão frio ao lugar, ter mais aceitação. Eu reconheço que esses atletas tiveram um peso na minha carreira, como eu tive na deles", completou.

Vindo de uma goleada por 4 a 1 sofrida diante do Grêmio, em casa, no último domingo, em resultado determinante para a demissão do técnico Rodrigo Santana, o Atlético ocupa a 11ª posição do Brasileirão, com 31 pontos. O Grêmio, sexto colocado e que hoje fecha a zona de classificação à Libertadores, está com 41.

Após pressão da Uefa e até do primeiro-ministro da Bulgária, o presidente da Federação de Futebol da Bulgária, Borislav Mihailov, anunciou nesta terça-feira sua renúncia ao cargo. Ele deixou a função em razão dos episódios de racismo ocorridos durante o jogo da sua seleção com a Inglaterra, na segunda, pelas Eliminatórias da Eurocopa-2020.

Mihailov estava sob pressão política desde o início do dia, quando o primeiro-ministro da Bulgária, Boyko Borissov, repreendeu seus compatriotas e até pediu a demissão de Mihailov. Ao mesmo tempo, o político avisou que o governo romperia relações com a Federação de Futebol da Bulgária enquanto Mihailov fosse o presidente.

##RECOMENDA##

"É inaceitável que a Bulgária, um dos países mais tolerantes do mundo, onde pessoas de diferentes etnias vivem em paz, esteja associada a racismo e xenofobia", declarou o primeiro-ministro.

O dirigente búlgaro também ouviu críticas do presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), Greg Clarke, que pediu punição exemplar à entidade búlgara, e do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Os episódios racistas aconteceram durante a goleada de 6 a 0 da Inglaterra sobre a Bulgária, na cidade de Sofia, pela fase de grupos das Eliminatórias da Euro. O jogo foi interrompido por duas vezes no primeiro tempo por causa de cânticos racistas e saudações nazistas dos torcedores da equipe da casa.

Durante a primeira paralisação, o locutor advertiu que a partida poderia ser encerrada se os abusos racistas não parassem, cumprindo o primeiro passo do protocolo antirracismo da Uefa. Durante a segunda pausa, dezenas de torcedores da Bulgária responsáveis pelos cânticos saíram do estádio.

Pouco depois do anúncio da renúncia de Mihailov, uma força especial da polícia local fez uma visita à sede da entidade responsável por gerir o futebol búlgaro. As entidades não revelaram os motivos da visita. "Sua posição é uma consequência da recente tensão, um ambiente que é prejudicial para o futebol búlgaro", disse a entidade, ao justificar a renúncia do presidente.

Ainda na segunda, o porta-voz da federação disse que a entidade não tinha relação com os episódios racistas em Sofia. "A autoridade do nosso futebol não pode ser responsabilizada pelos atos de hooliganismo. Esse é o momento em que as autoridades do estado agem. Em muitos países, como o da seleção que enfrentamos, o estado tomou sérias medidas para se livrar da violência da torcida. Tudo o que podemos fazer é condenar, mas não temos a jurisdição para investigar estes torcedores", disse Hristo Zapryanov.

Mihailov dirigia a federação há 14 anos. Antes disso, foi goleiro profissional e defendeu a seleção búlgara na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. A equipe surpreendera naquela edição do Mundial, avançando até a fase de semifinal. Ficou em quarto lugar, na melhor campanha da história da Bulgária.

Um dia após seguidos abusos raciais em jogo das Eliminatórias da Eurocopa-2020, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, pregou uma "guerra aos racistas" e disse que as demonstrações de preconceito são uma "doença" no futebol. Eles fez as declarações em comunicado enviado à agência de notícias Associated Press (AP).

"Acredite em mim, a Uefa está comprometida a fazer tudo que puder para eliminar esta doença do futebol", declarou Ceferin à AP. "Não podemos aceitar isso. Devemos sempre nos esforçar para fortalecer nossa determinação. De forma mais ampla, a família do futebol - dos dirigentes aos jogadores, treinadores e torcedores - precisam trabalhar com os governos e as ONGs para liderarmos uma guerra contra os racistas e marginalizarmos suas visões abomináveis na sociedade."

##RECOMENDA##

Os episódios racistas aconteceram durante a goleada de 6 a 0 da Inglaterra sobre a Bulgária, na cidade de Sofia, capital búlgara, nesta segunda-feira, pela fase de grupos das Eliminatórias da Euro. O jogo foi interrompido por duas vezes no primeiro tempo por causa de cânticos racistas e saudações nazistas dos torcedores da equipe da casa.

Durante a primeira paralisação, o locutor advertiu que a partida poderia ser encerrada se os abusos racistas não parassem, cumprindo o primeiro passo do protocolo antirracismo da Uefa. Durante a segunda pausa, dezenas de torcedores da Bulgária responsáveis pelos cânticos saíram do estádio.

Ao fim da partida, o presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), Greg Clarke, pediu uma punição exemplar à Federação de Futebol da Bulgária principalmente por conta dos cânticos que tinham por objetivo ofender jogadores negros como Raheem Sterling e Tyrone Mings, da seleção inglesa.

Nesta terça, as reprovações aos atos racistas dos torcedores búlgaros aumentaram, vindo até de líderes políticos, como o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. Boyko Borissov, que ocupa o mesmo cargo na Bulgária, repreendeu seus compatriotas e até pediu a demissão de Borislav Mihailov, atual presidente da Federação de Futebol da Bulgária e ex-jogador.

"É inaceitável que a Bulgária, um dos países mais tolerantes do mundo, onde pessoas de diferentes etnias vivem em paz, esteja associada a racismo e xenofobia", disse o líder político, que rompeu relações com a federação de futebol do seu país enquanto Mihailov estiver no comando da entidade.

Para o presidente da Uefa, que deve aplicar punição severa aos búlgaros, o problema do racismo vai além das fronteiras do futebol. "As federações de futebol não vão conseguir resolver sozinhas este problema. Os governos precisam fazer mais neste área. Somente trabalhando juntos, em nome da decência e da honra, vamos conseguir fazer algum progresso", declarou Ceferin.

"O crescimento do nacionalismo no continente vem dando combustível para este comportamento inaceitável e alguns pensam que a arquibancada de um estádio de futebol é o lugar certo para dar voz a suas visões de mundo assustadoras", afirmou o presidente da Uefa.

A investigação do caso pela Uefa será feita em parceria com a Fare network, ONG que combate o racismo no futebol. "Acreditamos que os eventos que ocorreram em Sofia devem resultar na eliminação da Bulgária na Euro-2020. A escala dos problemas é evidente, a falha da federação búlgara em criar medidas que possam prevenir episódios como esse e a negação contínua do problema por parte de suas lideranças mostra que o futebol do país não merece estar competindo na elite da Europa", declarou Piara Powar, diretor da entidade, à AP.

A Conmebol anuncia na próxima quinta-feira o estádio que irá receber a final da Copa Libertadores de 2020. No total, são oito locais na disputa, sendo seis brasileiros. O Maracanã, no Rio de Janeiro, aparece como favorito para receber a decisão, que será novamente disputada em jogo único.

Também nesta quinta-feira, a entidade que gerencia o futebol sul-americano vai anunciar qual estádio irá receber a decisão da Copa Sul-Americana. Vale lembrar que nesta temporada, a final da Libertadores será no Estádio Nacional de Chile e a Copa Sul-Americana vai ser decidida no estádio General Pablo Rojas, em Assunção, no Paraguai.

##RECOMENDA##

A lista completa dos estádios candidatos a receber a final tem: Mario Kempes (Córdoba-ARG), Mineirão (Belo Horizonte), Arena do Grêmio (Porto Alegre), Beira-Rio (Porto Alegre), Maracanã (Rio de Janeiro), Morumbi (São Paulo), Arena Corinthians (São Paulo) e Estádio Nacional (Lima).

Dentre os estádios brasileiros, algo que chama a atenção é que quase todos foram reformados ou construídos visando a Copa do Mundo no Brasil, em 2014. A exceção é o Morumbi, que embora tenha ficado fora do Mundial, recebeu jogos da Copa América, neste ano.

Já pela Copa Sul-Americana, apenas quatro estádios estão na disputa e o representante do Brasil é o Mané Garrincha, em Brasília. Ele também foi utilizado durante o Mundial de 2014. A Sul-Americana deste ano acontece no Paraguai, mas inicialmente o jogo estava marcado para ser disputado no estádio Nacional de Lima, no Peru. O confronto mudou de local por falha na organização por parte dos peruanos, que tentam mais uma vez receber a partida.

As arenas que podem receber a Sul-Americana de 2020: Mario Kempes (Córdoba-ARG), Estádio Ciudad de La Plata (Buenos Aires-ARG), Mané Garrincha (Brasília) e Estádio Nacional (Lima-PER).

A Libertadores de 2019 está na semifinal e teremos uma decisão entre Brasil x Argentina. De um lado, Boca Juniors e River Plate disputam uma vaga e do outro, Flamengo e Grêmio brigam para chegar na final.

O volante Agenor, de 38 anos, morreu na noite desta segunda-feira em um acidente de carro, na cidade de Planaltina, no Distrito Federal. O jogador, que teve passagens por Ponte Preta, Santo André, Atlético-GO, entre outros, perdeu o controle do veículo, se chocou com uma moto e não resistiu aos ferimentos. O motorista da motocicleta também morreu.

De acordo com testemunhas, Agenor estava dirigindo pela ponte do córrego Mestre D'Armas, em Planaltina, quando perdeu o controle do automóvel, atravessou a pista, se chocou com a moto e capotou. Ele morreu ainda no local. Uma carreta chegou a bater nos dois veículos, mas o motorista não se feriu.

##RECOMENDA##

O condutor da moto era Wemerson de Oliveira Dias, de 27 anos, que, assim como Agenor, não resistiu aos ferimentos e morreu. Ele chegou a ser levado para o Hospital Regional de Sobradinho, mas teve uma parada cardiorrespiratória.

Agenor Figueiredo Santos iniciou a carreira no Brasília e teve passagens por diversos clubes, entre eles, Brasiliense, Gama, Formosa, Atlético-GO, Ponte Preta, América-MG e Santo André, onde fez parte do time campeão da Série A2 do Campeonato Paulista de 2016. Seu último clube foi o Planaltina, equipe da segunda divisão do Campeonato Candango.

Paulo Henrique Ganso e Oswaldo de Oliveira foram advertidos, nesta segunda-feira, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo bate-boca ocorrido na partida do Fluminense contra o Santos, em 26 de setembro, válida pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Por ser réu primário, o meia do time carioca está liberado para encarar o Athletico-PR na próxima quinta-feira (16), às 21h, no Maracanã.

##RECOMENDA##

Já o treinador, que perdeu o emprego após a confusão, foi punido com dois jogos de suspensão pelo gesto obsceno feito em direção a torcedores na saída do gramado. Apesar de não ser mais funcionário do clube, Oswaldo foi defendido por advogados do Fluminense no julgamento.

Os zagueiros Digão e Frazan, também do Fluminense, expulsos na partida, foram julgados pela 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal e foram punidos com um jogo de suspensão, já cumprido automaticamente contra o Grêmio. Marinho, atacante do Santos, outro que recebeu cartão vermelho na partida, foi absolvido.

O Fluminense soma cinco partidas de invencibilidade, com três vitórias (Bahia, Botafogo e Grêmio) e dois empates (Cruzeiro e Santos) no campeonato Brasileiro. Com isso, o clube tricolor se afastou da zona de rebaixamento, com 29 pontos, em 14º lugar.

A Ponte Preta segurou o empate sem gols diante do Atlético Goianiense, nesta segunda-feira, em pleno estádio Antônio Accioly, pela 29ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. No entanto, o time campineiro pode ver a distanciar para o G4 aumentar.

Há três jogos sem perder, a Ponte Preta terminou a noite na oitava posição, com 40 pontos, contra 43 do Coritiba, que ainda entrará em campo na rodada - o time paranaense pega o São Bento. Já o Atlético-GO, que anunciou nesta segunda a contratação do técnico Eduardo Barroca, ex-Botafogo, está em terceiro, com 48.

##RECOMENDA##

O primeiro tempo foi de poucas emoções. A Ponte Preta propôs um jogo mais truncado, e conseguiu anular o Atlético. O time campineiro segurou o rival, que pouco criou, mas ficou aquém do esperado, já que, até por se tratar de um confronto direto, precisaria buscar o resultado positivo para se aproximar do G4.

Comandado de forma interina por Eduardo Souza, o Atlético teve de contornar as vaias e os pedidos por Matheuzinho vindos das arquibancadas. O time goiano criou apenas uma chance, em cabeceio de Aylon, que parou em uma defesa fácil de Ygor Vinhas. O lance que mais chamou a atenção foi o cartão amarelo recebido pelo técnico Gilson Kleina, que o tirou do próximo compromisso da Ponte Preta na Série B.

O segundo tempo foi totalmente diferente. O Atlético se abriu e saiu em busca da vitória. Mike tentou duas vezes, e em uma delas ficou na defesa de Ygor Vinhas. A Ponte Preta começou aos poucos a ter mais volume de jogo e pressionar, mas antes acabou sofrendo um susto.

Aos 21 minutos, Mike fez linda jogada e deixou com Moacir. O volante soltou o pé para defesa milagrosa de Ygor Vinhas. A resposta da Ponte Preta foi imediata. Roger recebeu livre de marcação e buscou o ângulo de Kozlinski. A bola passou muito perto, fazendo com que alguns torcedores comemorassem o gol que não saiu.

Antes do apito final, o time campineiro quase colocou tudo a perder. Marquinhos entrou forte em Mike e acabou expulso. Com um a mais, o Atlético pressionou, mas não chegou ao gol. Já a Ponte ainda obrigou Kozlinski a defender uma última tentativa, no arremate de Araos.

Na próxima rodada, o Atlético-GO enfrentará o Botafogo-SP na quinta-feira, às 19h15, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. No sábado, a Ponte Preta pega o Bragantino, às 16h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 0 X 0 PONTE PRETA

ATLÉTICO-GO - Maurício Kozlinski; Reginaldo, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas; André Castro (Matheuzinho), Moacir e Jorginho; Jairinho (Victor Paraíba), Aylon (Rodrigo Rodrigues) e Mike. Técnico: Eduardo Souza (Interino).

PONTE PRETA - Ygor Vinhas; Diego Renan, Renan Fonseca, Airton e Guilherme Guedes; Washington, Camilo (Araos), Lucas Mineiro (Edson), Renato Cajá (Gerson Magrão) e Marquinhos; Roger. Técnico: Gilson Kleina.

ÁRBITRO - Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE).

CARTÕES AMARELOS - Jorginho, Gilvan e Mike (Atlético-GO); Lucas Mineiro e Gilson Kleina (Ponte Preta).

CARTÃO VERMELHO - Marquinhos (Ponte Preta).

RENDA - R$ 38.290,00.

PÚBLICO - 2.251 pagantes.

LOCAL - Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO).

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando