Tópicos | Amazon

A Amazon resolveu começar bem a semana com dois dias de ofertas em seu site. O Amazon Day acontece nesta segunda (15) e terça-feira (16), com descontos de até 90% e frete grátis para todo o Brasil, em produtos selecionados. Livros, eletrônicos, jogos e até os kindles da empresa apresentam preços atrativos para os consumidores.

Entre os destaques estão o Nintendo NES Classic Edition, que sai de R$ 999 para R$ 299 e figura a lista dos mais procurados. A versão Kindle simples e Paperwhite aparecem ambas com R$ 100 de desconto no preço original, além de notebooks, FireTV e smartwatches da Xiaomi.

##RECOMENDA##

Vale correr para o site porque muitos dos produtos oferecidos tem um limite de quantidade para serem vendidos, além de participarem das “ofertas do dia” do site e acabarem em poucas horas. 

Fãs de Senhor dos Anéis, uni-vos. Depois de anunciar uma série baseada na famosa trilogia de J. R. R. Tolkien, a Amazon fará também um game inspirado no universo de Lord of the Rings. O título já havia sido anunciado no ano passado pela Athlon Games, mas ninguém sabia quem seria o “desenvolvedor parceiro” que iria tocar o projeto. 

Agora, a Amazon Game Studios anunciou a parceria e que o game, que não tem relação com a série que está sendo produzida, será um MMO free-to-play para PC e consoles. O jogo será ambientado “muito antes dos eventos de O Senhor dos Anéis” e deverá levar os jogadores a explorar lugares, pessoas e criaturas da Terra-Média

##RECOMENDA##

Ainda não sabemos quando a Amazon pretende lançar o MMO ou em quais plataformas ele poderá ser rodado, mas - para quem é fã - essa já é uma notícia que mostra que o mundo de Tolkien permanece cada vez mais vivo. 

LeiaJá também

--> Nintendo vai lançar Switch mais barato

--> EX-mulher de dono da Amazon vai doar metade de sua fortuna

Enquanto os cinemas pretendem ficar lotados com a presença de pais e filhos durante o período das férias, os serviços de streaming estão com a meta de prender a atenção das pessoas que não querem enfrentar filas. Considerada como uma das melhores séries da atualidade, "Stranger Things" estreou sua terceira temporada nesta quinta-feira (4).

No intuito de que os assinantes maratonem os lançamentos disponíveis nos catálogos, as plataformas online prometem agitar o mês de julho. O LeiaJá selecionou alguns filmes e séries da Netflix e Amazon Prime Video que devem passar longe da busca desesperada durante as escolhas no que assistir.

##RECOMENDA##

Crônicas de Arthdal (série) / Estreia dia 8 de julho na Netflix

All or Nothing: The Carolina Panthers (série) / Estreia dia 19 de julho na Amazon Prime Video

Saint Seya: Os Cavaleiros do Zodíaco (anime) / Estreia dia 19 de julho na Netflix

The Boys (série) / Estreia dia 26 de julho na Amazon Prime Video

La Casa de Papel (série) / Estreia dia 19 de julho na Netflix

Beautiful Boy (filme) / Estreia dia 15 de julho na Amazon Prime Video

Orange Is The New Black (série) / Estreia dia 26 de julho na Netflix

Kung Fu Panda: As Patas do Destino (série) / Estreia dia 5 de julho na Amazon Prime Video

Os líderes das gigantes de tecnologia terão de testemunhar no Congresso dos EUA, como parte de uma investigação se as empresas abusam de seu poder massivo de mercado, disse ontem o chefe do comitê da Câmara dos Deputados americana que lidera o inquérito.

A declaração surge um dia após fontes afirmarem que o Poder Executivo dos EUA está se preparando para uma investigação sobre Apple, Amazon, Google e Facebook. Se confirmado, será um inquérito amplo e sem precedentes em quatro das cinco maiores empresas do mundo.

##RECOMENDA##

A investigação do poder legislativo foi iniciada na segunda-feira, com republicanos e democratas levantando preocupações sobre o poder exercido pelas empresas. "Será necessário que alguns líderes das empresas de tecnologia participem dessa conversa", disse David Cicilline, deputado democrata. "Espero que alguns deles testemunhem perante o comitê ou sejam entrevistados como parte da investigação."

Rebatida. Ontem, o presidente executivo da Apple Tim Cook, também comentou o caso. Ele negou que seja praticante de monopólio, dizendo que o iPhone controla apenas uma parte do mercado, mas não grande o suficiente para essa medida. "É justo que passemos por escrutínio", disse ele, em entrevista à emissora CBS News. "Mas não acho que seja razoável a conclusão de que a Apple é um monopólio."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A gigante de vendas online Amazon decidiu não se estabelecer em Nova York, mas seu dono, Jeff Bezos, parece interessado em se instalar na cidade: está em processo de comprar três apartamentos adjacentes por cerca de 80 milhões de dólares.

De acordo com The Wall Street Journal, o homem mais rico do mundo concluirá na terça-feira a assinatura de contratos para a aquisição de uma cobertura de luxo em um prédio localizado na Quinta Avenida de Manhattan e de dois apartamentos localizados logo abaixo.

Caso decida unir os três imóveis, Bezos poderá desfrutar de uma área total de 1.600 metros quadrados, com doze quartos, a apenas algumas ruas do mítico Empire State Building e do famoso Flatiron Building.

Por mais de US$ 80 milhões, o preço está longe do que foi pago pelo apartamento mais caro de Nova York, vendido em janeiro por US$ 238 milhões a Ken Griffin, CEO do Citadel.

O multibilionário Bezos, de 55 anos, compra essas propriedades pouco tempo depois de a empresa que ele fundou, a Amazon, desistir - em fevereiro - da ideia de instalar sua nova sede em Nova York.

Após se divorciar de Jeff Bezos, dono da Amazon e homem mais rico do mundo, a escritora Mackenzie Bezos se comprometeu a doar metade de sua fortuna, estimada em US$ 35 bilhões, para instituições de caridade.

Mackenzie assinou o "Giving Pledge", projeto criado por Bill Gates e Warren Buffet em que bilionários se comprometem a doar grande parte de suas fortunas. 

##RECOMENDA##

"Há muitos recursos que cada um de nós podemos tirar de nossos cofres para compartilhar – tempo, atenção, conhecimento, paciência, criatividade, talento, esforço, humor, compaixão. Além de tudo que a vida me proporcionou, eu tenho uma quantidade desproporcional de dinheiro para compartilhar. Minha abordagem sobre a filantropia continuará a ser atenciosa. Vai levar tempo, e custar esforço e cuidado. Mas não vou esperar. E vou continuar até que o cofre esteja vazio", afirmou a escritora em carta à iniciativa.

Bezos faz parte de uma lista de 19 novas adesões à iniciativa, que inclui também o fundador do site Pinterest, Paul Sciarra, e o co-fundador da Coinbase, Brian Armstrong.

Para comemorar o Dia do Orgulho Nerd, também conhecido como Dia da Toalha e celebrado em todo 25 de maio, a Amazon divulgou uma lista com as dez cidades mais geeks do Brasil.

O ranking é resultado da compilação de dados de vendas nas cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes, considerando a base per capita. A lista considera as vendas de diversos produtos geeks, incluindo livros, e-books, quadrinhos e comic books, brinquedos, jogos e videogames, além de itens de decoração e para a casa associados à cultura nerd.

##RECOMENDA##

A plataforma online da empresa conta com muitos produtos relacionados, por exemplo, a Star Wars, Game of Thrones, Harry Potter, DC Comics e Marvel. Os dados coletados para o ranking contemplam produtos vendidos entre abril de 2018 e abril de 2019. São Caetano do Sul permanece no topo da lista pelo segundo ano consecutivo. Em 2017, o município ficou em terceiro lugar.

O levantamento da Amazon fez outras descobertas: a cidade de Vila Velha, no Espírito Santo, é para onde a empresa mais vendeu cards de Pokémon por habitante. Já a cidade de Bagé, no Rio Grande do Sul, foi a que adquiriu mais canecas de Game of Thrones no site, seguida por Presidente Prudente, em São Paulo.

A paixão pelos bonecos Funko! parece ser maior em Carapicuíba, cidade paulista líder em compras dos itens. A famosa Itu, também em São Paulo, foi a cidade com o maior número de aquisições de produtos de decoração dos heróis de Vingadores.

O dia 25 de maio foi escolhido como o Dia do Orgulho Nerd por vários motivos. Um deles é que foi nesse dia, em 1977, que o primeiro filme de Star Wars foi lançado. Mais tarde, a data também foi nomeada como Dia da Toalha em homenagem a Douglas Adams, autor da série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias - em que a toalha é item essencial.

Confira, a seguir, as dez cidades mais nerds do Brasil:

 

1. São Caetano do Sul/SP

2. Florianópolis/SC

3. Niterói/RJ

4. Santos/SP

5. Barueri/SP (aparece pela primeira vez)

6. Porto Alegre/RS

7. Brasília/DF

8. Curitiba/PR

9. Balneário Camboriú/SC

10. São Paulo/SP

Com expectativa de receber mais de oito mil pessoas, o Amazon Web Services (AWS) São Paulo deve acontecer no dia 27 de junho. O evento, voltado para desenvolvedores, arquitetos de soluções, líderes de TI e outros profissionais de tecnologia, terá 40 sessões com especialistas da AWS e alguns dos principais clientes da companhia para discutir cases de sucesso e tendências de mercado.

Entre os assuntos abordados estão aplicações para Machine Learning, Inteligência Artificial, Arquitetura sem Servidor (Serverless), Computação, Bancos de Dados, Segurança e Conformidade.

##RECOMENDA##

Os interessados também poderão participar do Startup Launge, que terá sessões com as 10 principais startups do Brasil discutindo como a tecnologia em nuvem impacta novos negócios e o ecossistema empreendedor. A inscrição é gratuita e pode ser feita no site do evento.

A Amazon relatou nesta quinta-feira que seus lucros no primeiro trimestre duplicaram, superando 3,6 bilhões de dólares, graças ao auge do comércio eletrônico e da receita de serviços na nuvem.

A receita total da gigante tecnológica subiu 17%, a 59,7 bilhões, de acordo com a publicação, que superou as estimativas da maioria dos analistas.

##RECOMENDA##

A empresa, com sede em Seattle, disse que a receita com vendas digitais subiram 10%, enquanto o montante pela assinatura de serviços e armazenamento na nuvem, a Amazon Web Services, aumentou 40%, alcançando 4,3 bilhões e 7,7 bilhões de dólares, respectivamente.

As ações da Amazon subiram menos de 1%, a 1.915 dólares, nas negociações após o fechamento dos mercados.

A Amazon lançou uma novidade para quem prefere ler mídias digitais. Seu novo Kindle básico chega às lojas com uma das mudanças mais pedidas pelos usuários, a iluminação ajustável. Apesar de atender aos apelos de seus leitores, a empresa acabou deixando o valor mais próximo do modelo Paperwhite, porém com menos funcionalidades.

O novo modelo continua com uma tela de 167 ppi, inferior ao Paperwhite e ao Oasis e, assim como seu antecessor, também não é à prova d'água. Seu armazenamento também é inferior aos outros Kindles da marca, suportando apenas 4GB de conteúdo.

##RECOMENDA##

Para o lançamento a Amazon liberou 3 meses de Kindle Unlimited grátis para quem adquirir o aparelho, que aparece por R$ 349, no site oficial. O valor do model lançado em 2016, permanece por R$ 299.

A gigante Amazon passou a exigir de seus motoristas entregadores que tirem uma selfie antes de continuar o serviço. O intuito da medida é evitar que várias pessoas compartilhem a mesma conta Amazon Flex, aplicativo de motoristas da empresa e seus clientes não sejam atendidos por estranhos.

Os requisitos são exigidos apenas aos motoristas Flex que têm horários flexíveis e recebem US$ 18 a US$ 25 por hora. Por trabalharem como contratados independentes, esses entregadores usando seus próprios carros para as entregas, o que poderia facilitar as fraudes.

##RECOMENDA##

A empresa também notificou os motoristas através do aplicativo Flex, informando que seus dados biométricos poderiam ser coletados a qualquer momento “para confirmar sua identidade de tempos em tempos” antes de solicitar as selfies.

LeiaJá também

--> Serviço gratuito da Amazon faz ações da Spotify caírem

--> Assistentes virtuais de celulares enviam áudios privados

--> Disney lançará plataforma de streaming em 12 de novembro

Após a revista Billboard publicar que a Amazon, empresa de comércio eletrônico, pode lançar nos próximos dias uma plataforma de música gratuita, as ações da Spotify, líder do setor, caíram 4%.

A gigante do e-commerce já tem um serviço voltado para música, o Prime Music, que faz parte de seu serviço de assinatura Amazon Prime. Mas, segundo reportagem, a empresa passaria a oferecer gratuitamente o serviço de música, com anúncios, por meio de seu alto-falante ativado por voz, Echo.

##RECOMENDA##

A Spotify tem mais de 200 milhões de usuários ativos, mas a novidade da concorrente, que ainda está bem abaixo da líder do setor, pode alavancar o consumo do streaming da Amazon.

O nome de Lorena Bobbit sempre é associado a um riso contido ou a uma piadinha, mas pouco se sabe de seu passado de abusos domésticos que a levou ao ato de cortar o pênis de seu marido.

Vinte e cinco anos depois, ela, que agora se chama Lorena Gallo, conta sua história em um documentário da Amazon.

##RECOMENDA##

"Eu sabia que cicatrizes seriam abertas, que sofreria um pouco de ansiedade ao reviver estas memórias dolorosas que eu havia praticamente enterrado", afirma à AFP a mulher de 48 anos nascida no Equador. "Mas eu fiz porque acredito que como mulher, mãe e sobrevivente era meu dever usar a voz que muitas vítimas de violência doméstica não têm".

O caso de Lorena e John Wayne Bobbitt gerou manchetes em todo o planeta.

Em 23 de junho de 1993, Lorena mutilou com uma faca o pênis de seu marido enquanto ele dormia depois que, segundo ela, a estuprou. Era a história perfeita para a imprensa sensacionalista e para as piadas.

Mas também abriu o caminho para um debate até então ignorado.

"Meu caso ajudou a desestigmatizar a violência doméstica, o abuso sexual e o estupro dentro do casamento", afirma Lorena.

E levou à aprovação em 1994 de uma lei nos Estados Unidos sobre violência contra a mulher.

As estatísticas no país, no entanto, ainda são alarmantes: uma em cada três mulheres é abusada física ou sexualmente em algum momento de suas vidas; quatro mulheres são assassinadas a cada dia por seu companheiro; uma mulher é maltratada a cada 15 segundos.

O documentário de Joshua Rofé, produzido pelo vencedor do Oscar Jordan Peele, foi exibido em janeiro no Festival de Sundance, quando movimentos como o #MeToo e Time's Up ainda organizam protestos contra o abuso sexual em Hollywood.

"Muitas vítimas conseguiram falar, praticamente sem tabu, e por isso agradeço mil vezes a Deus", comemora.

- "John não está em minha mente" -

Quando Rofé apresentou a proposta do documentário, Lorena já havia "enterrado" muitas recordações.

"Eu não queria fazer", conta Lorena. "Eu tinha cuidado porque até agora o enfoque era sempre John, a ação (a mutilação), muito sensacionalista, ignorando o que eu sofri, e isso me desagradava muito".

Em quatro episódios de uma hora, Rofé percorre de maneira cuidadosa a vida de Lorena: da jovem que se mudou de Caracas, onde sua família morava, para Virginia, Estados Unidos, onde ainda vive. Fala sobre seu casamento, o início dos abusos, a amputação do pênis, o julgamento... até os dias de hoje.

"Este é talvez o caso mais infame sobre uma pessoa que age a partir do trauma, onde ela é a vítima e ninguém se pergunta o que levou esta pessoa a fazer o que fez", explica à AFP o diretor, que registrou, além do relato de Lorena, o de seu ex-marido John Wayne, que até hoje nega os maus-tratos.

"É um mentiroso patológico", afirma Lorena, sempre de maneira calma. "Como é possível que continue mentindo? Ele foi preso por abuso doméstico, no por mim, mas por outras mulheres".

Rofé também conversou com os policiais que investigaram o incidente, os advogados, o promotor, jornalistas e ativistas.

O documentário exibe trechos do julgamento, dos depoimentos das testemunhas. Também aborda a vida midiática de Bobbitt, que inclui uma passagem pela pornografia e uma operação para aumentar o pênis que havia sido reconstruído. Mostra ainda o assédio da imprensa a Lorena, como ela tentou retomar sua vida, com o novo marido e sua filha de 13 anos.

"Você perdoa, mas não esquece", disse, antes de explicar: "John não está em minha mente, não acontece assim de repente, eu não vivo pensando nele".

Lorena foi julgada e absolvida por ter atuado sob um estado de perturbação mental temporária.

Católica praticante, tem uma ONG, a Lorena's Red Wagon, dedicada a combater o abuso. Ela passa dias em abrigos, onde não hesita em falar sobre seu passado para ajudar outras mulheres que são vítimas. Ela considera o trabalho terapêutico.

"Quanto mais falo, mais ajudo", revela.

Lorena não tem arrependimentos.

"Como se arrepender de algo que você não tem o controle? Eu não queria estar na situação, não era algo que eu procurava nem é agradável".

"Eu posso contar a qualquer pessoa, e eu fui uma das que se salvou, há muitas que não sobrevivem".

E retoma o discurso de luta: "Meu caso ajudou muito, mas ainda há muito por fazer".

Ela afirma que as leis devem mudar e cita como exemplo o fato de um agressor sexual ter a possibilidade de comprar uma arma de fogo.

"John Wayne Bobbit certamente tem uma e não é piada".

A Amazon cancelou seus planos para construir uma nova sede em Nova York, nos EUA, depois de sofrer uma forte oposição política local. A gigante do varejo, que anunciou seu projeto para levantar um novo campus secundário no final do ano passado, disse que a reação política a levou a reconsiderar.

"Depois de muita reflexão e deliberação, decidimos não avançar com nossos planos de construir uma sede para a Amazon em Long Island City, Queens", disse a empresa em um comunicado.

##RECOMENDA##

"Enquanto as pesquisas mostram que 70% dos nova-iorquinos apoiam nossos planos e investimentos, vários políticos estaduais e locais deixaram claro que se opõem à nossa presença e não trabalharão conosco para construir o tipo de relacionamento que é necessário seguir adiante", completou a Amazon.

A gigante de tecnologia estava planejando construir um campus à beira-mar em Long Island City, no Queens, onde empregaria 25 mil pessoas e receberia US $3 bilhões em subsídios e benefícios fiscais do estado e da cidade. O projeto foi apoiado pelo prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, e pelo governador, Andrew Cuomo.

Os políticos e ativistas locais, por outro lado, criticaram o projeto. A Amazon informou que não vai reabrir o processo de licitação, mas vai proceder como planejado com a sede no norte da Virgínia e um centro de logística em Nashville, Tennessee.

LeiaJá também

--> Google investirá US$ 13 bilhões em expansão nos EUA

O cineasta Woody Allen entrou com um processo de US$ 68 milhões contra a Amazon por quebra de contrato, acusando a gigante do streaming de cancelar um contrato de filme por causa de uma alegação "sem fundamento" de décadas atrás de que ele abusou sexualmente de sua filha.

Allen diz que a Amazon tentou encerrar o negócio em junho e desde então se recusou a pagar US$ 9 milhões em financiamento para seu próximo filme, "A Rainy Day In New York" (Um Dia Chuvoso em Nova York), alegam seus advogados.

##RECOMENDA##

Esse filme era um dos vários que seria produzido com o diretor vencedor do Oscar sob uma série de acordos alcançados depois que Allen fez o programa "Crisis in Six Scenes" para a Amazon, que era então um novo provedor de conteúdo.

Ele está pedindo US$ 9 milhões junto com garantias mínimas devidos a ele para outros filmes, totalizando "mais de US$ 68.000.000", segundo uma queixa apresentada nesta quinta-feira em um tribunal federal em Nova York e obtida pela AFP.

O diretor afirma que a Amazon disse que o acordo se tornou "impraticável" por causa de "eventos supervenientes, incluindo alegações renovadas contra Allen, seus próprios comentários controversos" e a recusa de atores a trabalhar com ele.

Allen foi acusado de molestar Dylan Farrow, sua filha adotiva, quando ela tinha sete anos, no início dos anos 90.

Ele foi inocentado das acusações após duas investigações, e negou o abuso. Mas Dylan, agora adulta, afirma que foi molestada.

Nos últimos meses, uma série de atores que trabalharam com Allen se distanciaram e disseram que não trabalhariam mais com ele.

Procurada pela AFP, a Amazon não comentou o caso.

A Amazon o lançado do novo Kindle Paperwhite à prova d’água no Brasil. A versão atualizada do modelo mais vendido do e-reader foi projetado para resistir a mergulhos acidentais em até dois metros de água doce por até 60 minutos e tem  o dobro de capacidade de armazenamento para livros digitais, além de ser mais fino e leve. O produto e pode ser adquirido a partir de R$ 499 na Amazon.com.br ou em varejistas selecionados. 

Para comemorar o lançamento, os clientes que comprarem o dispositivo até 7 de março terão 3 meses gratuitos no serviço de assinatura Kindle Unlimited, podendo aproveitar a leitura ilimitada de mais de 1,5 milhão de livros, incluindo mais de 50 mil títulos em português. A promoção é válida apenas para contas de clientes que não estejam inscritos no programa Kindle Unlimited.

##RECOMENDA##

Além de ser à prova d’água, o novo Kindle Paperwhite mede 8,18 mm de espessura e pesa 182 gramas. Ele é mais leve e fino que a versão anterior. A tela de seis polegadas de 300 ppi em alta resolução apresenta texto nítido e com qualidade de laser que se assemelha à leitura no papel.

O display também inclui cinco LEDs e uma luz frontal ajustável para exibição uniforme e sem reflexos em qualquer posição, até mesmo sob exposição direta à luz solar.  O novo Kindle Paperwhite está disponível em 8 GB, por R$ 499, que é o dobro do armazenamento da geração anterior, e 32 GB, por R$ 649.

LeiaJá também

--> Nova versão do Chromecast chega ao Brasil por R$ 349

A Amazon está usando robôs para realizar entregas de clientes nos EUA. Um pequeno caminhão chamado Scout vai até a casa do cliente e espera que ele apareça para pegar seu produto. A novidade está sendo testada no estado de Washington.

A empresa garante que as máquinas podem trafegar com segurança e eficiência em torno de animais de estimação e pedestres. Seis dos caminhões elétricos autônomos entregarão pacotes ao redor do condado de Snohomish. Os robôs só funcionarão durante o dia e serão acompanhados inicialmente por um funcionário da Amazon.

##RECOMENDA##

O caminhão é mostrado em um vídeo promocional entregando um pacote, com uma tampa levantada automaticamente quando o cliente sai de casa para pegar o pacote. Detalhes de como exatamente isso funcionará não foram fornecidos inicialmente pela Amazon. Também não há nenhuma explicação sobre o que acontece se cliente não estiver em casa no momento da entrega.

LeiaJá também

--> Amazon inicia vendas diretas no Brasil

A Amazon.com está lançando sua rede interna de atendimento e entrega no Brasil. Com isso, os consumidores podem adquirir itens que serão vendidos e levados até à sua casa pela companhia. A empresa vai comercializar diretamente 12 categorias de produtos, de mais de 800 fornecedores, a partir desta terça-feira (22).

Os consumidores saem ganhando principalmente com as novas modalidades de frete. Para alguns destinos, é possível efetuar a entrega em dois dias, ou escolher uma opção padrão, que leva mais tempo e que tem custo menor.

##RECOMENDA##

Sempre que um produto for enviado pela Amazon, o frete poderá ser grátis nas compras acima de R$ 99 para livros e videogames, ou acima de R$ 149 para todas as outras categorias. Além disso, os consumidores agora podem pagar pelas compras com boleto bancário.

A empresa diz que no início das operações terá 320 mil produtos diferentes em estoque. A Amazon entrou no mercado brasileiro em 2012, vendendo e-readers e livros. Em 2017, a empresa começou a oferecer o uso de seu site brasileiro a comerciantes terceirizados para vender produtos eletrônicos.

Como parte do programa de atendimento, a Amazon alugou um depósito de 47.000 metros quadrados nos arredores de São Paulo, conforme reportado pela Reuters. A empresa não divulgou o valor investido no novo centro, mas nele trabalharão parte dos 1,4 mil funcionários diretos e indiretos da companhia no Brasil. Ele funcionará em conjunto com outro já existente e que fica em Barueri.

LeiaJá também

--> Tchau, Netflix! Conheça outros serviços de filmes e séries

A Netflix pode ser a mais popular, mas não é a única plataforma de streaming disponível por aí. Surpreendentemente, há uma variedade serviços semelhantes que oferecem uma infinidade de programas de TV e filmes, abrangendo quase todos os gêneros. Se você está entediado com o catálogo da Netflix e procura por novas séries para assistir, conheça a seguir cinco alternativas que podem agradar.

Amazon Prime Video

##RECOMENDA##

O Amazon Prime Video é uma das melhores alternativas para o Netflix. Tem uma ótima seleção de filmes, desde clássicos até blockbusters recém-lançados. Há também uma boa quantidade programas de TV disponíveis, além de uma grande variedade de conteúdo original da Amazon, como as séries "American Gods" e "The Purge".

Séries como "Mr. Robot" e "Law & Order: Special Victims Unit", por exemplo, estão disponíveis no Amazon Prime Video, mas não na Netflix. O serviço pode ser assinado pelo valor de R$ 14,90 mensalmente, com os seis primeiros meses por R$ 7,90. Até três pessoas podem aproveitar uma mesma conta simultaneamente.

HBO GO

Não há dúvida de que muitos dos shows da HBO podem facilmente cativar o espectador compulsivo que existe dentro de cada um de nós. Séries como "Game of Thrones", "Westworld", "Big Little Lies" e "Girls" só estão disponíveis no HBO Go. É uma boa alternativa ao Netflix, especialmente por conta do conteúdo original e documentários disponíveis.

O HBO GO está disponível de duas formas. A primeira delas é através da sua operadora de TV a cabo. Para alguns clientes que já possuem os canais da HBO em seu pacote, o serviço de streaming está disponível sem custo adicional.

A segunda opção é realizar o cadastro de forma avulsa, por meio do aplicativo do HBO GO. Mas aí vai uma má notícia. Se comparado aos concorrentes, o HBO Go é caro. A assinatura custa R$ 34,90 por mês para dispositivos com sistema operacional Android e US$ 10,99 para iPhones. Por enquanto, o primeiro mês é grátis.

Hulu

O Hulu é uma plataforma de streaming menos popular que as citadas acima, mas ainda assim é uma das melhores alternativas ao Netflix em solo americano. Lá, você encontrará uma grande variedade de programas de TV conhecidos, como "Family Guy", "The Golden Girls" e "South Park".

Como o Netflix, o Hulu oferece seu próprio conteúdo original, que você não encontrará em nenhum outro lugar. O destaque fica por conta do premiado seriado "The Handmaid's Tale".

Além disso, séries dos canais ABC, Fox, CW e NBC aparecem no serviço de streaming um dia após ir ao ar nas emissoras. Quem gosta de animes, vai gostar de saber também que o Hulu tem catálogo bem variado. A péssima notícia é que a plataforma ainda não chegou ao Brasil.

Looke

Diferente do Netflix, o Looke permite não só a assinatura, mas também a compra e locação de filmes e episódios. O catálogo apresenta mais de 13 mil títulos de todos os gêneros, incluindo produções recém-saídas dos cinemas, clássicos, documentários, animações e até shows musicais.

Numa rápida pesquisa pelo catálogo, é possível encontrar filmes como "Um Pequeno Favor", "Venom", além de episódios do seriado "Doctor Who" - um dos programas mais populares da rede britânica BBC. Outra vantagem é o espaço Looke Kids, um ambiente seguro desenvolvido especialmente para crianças.

Os usuários e assinantes podem assistir a todo o conteúdo pelo site, nos principais sistemas operacionais dos smartphones e tablets, nas TVs e no Xbox. Por R$ 16,90, o plano básico permite a transmissão em uma única tela. Para assistir em três dispositivos simultaneamente, a assinatura sai por R$ 18,90.

Libreflix

O Libreflix é uma plataforma de streaming aberta e colaborativa que reúne produções audiovisuais independentes. O serviço não tem fins comerciais e, por isso, é de se esperar que você não encontre nenhum grande lançamento no catálogo. Mesmo assim, o Libreflix é uma opção interessante para conhecer curtas, documentários, filmes e clássicos cult.

Há cerca de 200 obras na plataforma. Entre os destaques está a série infantil "Castelo Rá-Tim-Bum", o curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" e o clássico filme "Metrópolis". A plataforma não exige login e senha para assistir às produções. Basta acessar o site e dar o play.

LeiaJá também

--> TVs 8K estão chegando ao Brasil, mas qual suas vantagens?

A Internet Movie Database (IMDb), uma subsidiária da Amazon, entrou no mercado de streaming de vídeo nesta quinta-feira (10), com o lançamento do serviço Freedive. A novidade exibe anúncios e, por causa disso, não cobra assinaturas do usuário como faz o Netflix ou Amazon Prime Video.

Para assistir aos programas e filmes do Freedive, é necessário ter uma conta no IMDb e a paciência para ser interrompido por anúncios em vários intervalos. Embora não seja necessário pagar por uma assinatura, o serviço tem uma impressionante lista de produções de sucesso de Hollywood e programas de TV populares.

##RECOMENDA##

O acervo inclui séries como "Fringe", "Heroes", bem como os filmes "O Último Samurai", "Amnésia" e "Tempo de Despertar". O Freedive tira proveito da enorme quantidade de dados da IMDb para fornecer informações sobre o conteúdo que está sendo assistido, como elenco, equipe e outras trivialidades.

Além disso, o serviço apresenta as séries originais da IMDb, como "The IMDb Show" e "Casting Call". O Freedive pode ser acessado por qualquer pessoa nos EUA através de um navegador da web. A plataforma também está disponível em todos os dispositivos Amazon Fire TV.

A expectativa é que o serviço chegue a outros locais além dos EUA em breve. "Continuaremos a melhorar o IMDb Freedive com base no feedback dos clientes e em breve vamos disponibilizá-lo mais amplamente, incluindo nos principais aplicativos móveis da IMDb", disse o fundador e CEO da IMDb, em um comunicado de imprensa.

LeiaJá também

--> Tecnologia rastreia pessoas que dividem senhas da Netflix

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando