Cultura

| Música

Chegando à sua 22ª edição em em 2019, o Sonora Brasil, considerado um dos maiores projetos de circulação musical do país, volta suas atenções para a atuação da mulher na música brasileira e para a produção musical dos povos indígenas. Do mês de abril até o final do ano, 63 artistas farão 350 apresentações em 97 cidades do país.

A programação do Sonora Brasil, nesta edição, foi dividido em dois temas. O primeiro, A Música dos Povos Originários do Brasil, será apresentado por meio de quatro circuitos, com dois grupos diferentes em cada, mostrando um pouco da diversidade musical e estética dos povos indígenas. Dentre os grupos tradicionais que se apresentarão estão Teko Guarani, do povo Mbyá-Guarani (RS) e Nóg gã, Kaingang (RS); Dzubucuá, do povo Kariri-Xocó (AL) e Memória Fulni-ô, Fulni-ô (PE); Opok Pyhokop, do povo Karitiana (RO) e Wagôh Pakob, do Paiter Surui (RO); e pelo grupo Wiyae que reúne os trabalhos da artista indígena Djuena Tikuna (AM) e da cantora e pesquisadora Magda Pucci (SP) do grupo Mawaca.

##RECOMENDA##

Já o tema Líricas Femininas - A Presença da Mulher na Música Brasileira, pretende dar visibilidade à produção das mulheres. Ao todo, serão 14 artistas, compositoras e intérpretes que apresentarão os programas compostos exclusivamente por obras de compositoras e letristas brasileiras. Dentre as artistas estão Badi Assadi, Cátia de França, Gabriela Geluda e Rosa Reis. O Sonora Brasil é promovido pelo Sesc. A programação pode ser vista no site do festival.

 

A Turma do Bita promete fazer a festa no aniversário do Shopping Tacaruna. Comemorando seus 22 anos, o centro de compras vai promover uma apresentação do personagem e sua trupe, intitulada, Viva as Descobertas. O show acontece no próximo domingo (28), às 17h, no rooftop do mall.

O musical Viva as Descobertas destaca melodias e conteúdos autorais que abordam temáticas do universo infantil, além dos clássicos Fazendinha e Dinossauros que prometem colocar a criançada e suas famílias para dançar. No palco, Bita, Tito, Dan, Lila e Flora cantam e dançam com direito da presença de outros personagens convidados.

##RECOMENDA##

Serviço

Aniversário de 22 anos do SHopping Tacaruna com o Mundo Bita

Domingo (28) | 17h

RoofTop Shopping Tacaruna

R$ 20 e R$ 10; R$ 15 (social + 1kg de alimento)

 A sede do Galo da Madrugada, no bairro de São José, área Central do Recife, recebe nesta sexta-feira (26), às 21h, a festa “Realeza do Brega”. O evento faz parte do ‘Projeto Sexta Livre’ e traz grandes nomes do brega à capital pernambucana.

Michelle Melo, Kelvis Duran e Conde Só Brega serão as atrações da festa. Sucessos como “Baby Doll”, “Topo do Prazer”, “Perdoa-me”, “À Deriva”, “Não devo nada a ninguém”e “Leila” estão garantidos no repertório.

##RECOMENDA##

Os ingressos custam a partir de R$ 40 e podem ser adquiridos na Sympla.

Serviço

Realeza do Brega

26 de abril | 21h 

Sede do Galo da Madrugada (Rua da Concórdia, 984, Bairro de São José – Recife)

R$40

  Marcado para acontecer no dia 5 de maio, a edição 2019 do Forró do Bem, traz Petrúcio Amorim como uma das atrações principais. O evento acontece no Clube dos Oficiais da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco, no bairro da Boa Vista, área Central do Recife, às 18h.

Além de Petrúcio, a festa conta com apresentações de Almir Rouche, Cristina Amaral, Pecinho Amorim e Rogério Rangel. Toda a renda arrecadada com o evento será destinada a construção da nova sede da Creche Escola Bartolomeu Aroucha.

##RECOMENDA##

Os ingressos custam R$ 25 e podem ser adquiridos na secretaria do clube, no Guarani Café Bar e na Fraternidade Missionários da Luz.

Serviço

Forró do Bem

5 de maio | 18h

Clube Dos Oficiais (Av. João de Barros, 357 - Boa Vista, Recife)

R$ 25

(81) 9.9624-9542/9.9943-4678

  A banda Cordel do Fogo Encantado se apresenta no dia 27 de julho no Central Park, em Nova York. O show faz parte da programação do Capital One City Parks Foundation SummerStage, evento que acontece no verão dos Estado Unidos.

Apresentando canções do disco ‘Viagem ao Coração do Sol’, a banda representa o Brasil junto a Alceu Valença, LaBaq e DJ Grace Kelly. Músicas como ‘Chover’, ‘O Palhaço do Circo Sem Futuro’ e ‘Os Óim do Meu Amor’, também estão no repertório.

##RECOMENDA##

O Capital One City Parks Foundation SummerStage tem início no dia 1º de junho e conta com uma extensa programação, com quase 100 shows gratuitos e beneficentes no Central Park e em outros 17 parques.

Elza começou a tocar violino aos 10 anos de idade, por iniciativa do pai. (Chico Peixoto/LeiaJáImagens)

##RECOMENDA##

Cheia de dúvidas, talvez a jovem Elza Barros Lins de apenas 14 anos não fosse capaz de imaginar cena mais prosaica. Aos 83, ela será uma velhinha meiga: estará tocando Ravel em uma tarde ensolarada de abril, acomodada em um lindo e florido jardim ao lado do irmão, Edvaldo. Sim, ela aprenderá a tocar violino por conta própria, dará aulas, conhecerá pessoas importantes e cidades longínquas. Se apaixonará, terá o coração partido e pegará o único caminho capaz de conduzir uma mulher para a felicidade: viver pelo que a faz vibrar. O que o jovem teme não é a vida, mas desconhecer os resultados de suas escolhas. E sobre o caminho que tomou, Elza é taxativa: “Não tenho pretensão alguma. Acho que já realizei todas elas”. Agora, ela se prepara para deixar definitivamente a Serenata Seresteiros de Olinda, um dos símbolos da cidade. 

Natural de Olinda, Elza nasceu no dia 16 de maio de 1935 e começou a tocar violino aos 10 anos por incentivo do pai, o professor de línguas José Barros Lins, que, naquela época, arranhava seus acordes no violão. “Meu primeiro professor se chamava Amaro Lacerda, mas ele me ensinou pouca coisa: começou pela teoria, que é o díficil, e o resto ficou fácil. Depois me entusiasmei e fui entrando alguns grupo”, diz a violinista, que se considera autodidata. Cinco anos mais velho, o irmão de Elza, Edvaldo Barros Lins, também se recorda das primeiras aulas de música. “Meu pai queria que eu também tocasse violino, mas aprendi sem vontade, achava a posição ruim. Eu gostava mesmo era de violão. Como a teoria é uma só, consegui aprender”, comenta.

[@#video#@]

Assim, Edvaldo é a base que acompanha Elza há mais de sessenta anos. “Eu me esmero muito no acompanhamento. O violinista precisa dele, ninguém quer cantar sozinho. Ainda que a música seja simples, a harmonia muda tudo. Também apresentei influências importantes para Elza, como o compositor Händel”, orgulha-se.

Mais tarde, Elza precisou conciliar a vida noturna como instrumentista, sempre animando cerimônias como casamentos e formaturas, ao trabalho formal em empresas privadas e à família. “Marido não quer uma esposa que passa a noite tocando na rua e eu prefiro o violino. Hoje existem mais mulheres tocando, mas naquela época eram poucas. Então botei o violino na frente junto com meus amigos, tenho muitos amigos músicos”, afirma. Professora de mão cheia, Elza transformou sua casa em ponto de encontro artístico. Sempre cheia de homens, sua residência era ponto de parada certo de músicos renomados como Robertinho do Recife e Naná Vasconcelos.

Combinação perfeita: Elza, solista, ao lado do irmão Edvaldo, que a acompanha com violão base desde a infância. (Chico Peixoto/LeiaJáImagens)

Um protesto lúdico

O ano era 1987. Bem articulada, Elza foi convidada por amigos a tocar pelas ruas de Olinda com mais três músicos, em protesto contra a subida de automóveis de grande porte ao centro histórico de Olinda. “Naquela época, fizeram um plebiscito e nós temíamos que a circulação dos veículos prejudicasse as edificações antigas. Tiveram a ideia de colocar os instrumentistas na rua, tocando durante a panfletagem da campanha pela proibição. No domingo, vencemos a votação e resolvemos tocar novamente para comemorar”, conta. Daí em diante, a cada sexta-feira de serenata pelas ruas de Olinda, novos músicos se aproximavam espontaneamente da movimentação, embora não houvesse nenhum tipo de remuneração financeira.

“Inicialmente havia apenas uma serenata chamada “Luar de Olinda”, depois nos dividimos e criamos outro grupo, ‘Seresteiros de Olinda’, que desfila pelas ladeiras nas primeiras e terceiras sextas do mês. Agora o que falta é apoio da Prefeitura de Olinda, que ainda não tomou uma posição sobre oficializar um contrato de contribuição para os músicos”, lamenta o coordenador da serenata Paulo Vasconcelos, que lembra que outros prefeitos já contribuíram com uma ajuda de custo aos músicos. De acordo com ele, o grupo não reivindica um salário. “Essa contribuição era de praxe, não queremos ganhar a vida com aquilo, mas nosso grupo atualmente possui 12 músicos que tem seus gastos com transporte e a manutenção dos instrumentos”, completa.

"Marido não quer uma esposa que passa a noite tocando na rua e eu prefiro o violino", afirma Elza. (Elza Barros Lins/Acervo Pessoal)

Segundo Paulo, os Seresteiros de Olinda criados da geração de Elza Barros Lins são uma espécie de revival de uma movimentação que havia acabado nos anos 1930. “Elza e os fundadores da seresta tentaram resgatar essa cultura e a coisa pegou. Agora, por problemas de saúde, ela infelizmente está participando pouco e nós estamos sentindo muito sua ausência. Ela não era apenas nossa solista, mas uma liderança, tudo que executamos é lembrando o que ela nos ensinou”, ressalta.

Os reconhecimentos a Elza se estendem para além dos músicos com quem trabalhou. No carnaval de 2002, ela foi homenageada pelo Bloco Lírico Flor da Lira e pelo Centro de Educação Musical de Olinda (Cemo). Posteriormente, também foi lembrada pelo Bloco Lírico Eu Quero Mais. Para Elziane Mascarenhas, filha da violinista, sua mãe é uma mulher à frente de seu tempo. “Essas questões de casa não interessam a ela. Música é a vida da minha mãe, é o que ela respira. Todos os dias ela toca na varanda ou no quarto e eu fico escutando e pensando na vida. Às vezes fico até com medo de ela, mais pra frente, não poder mais tocar”, confessa.

Elza na banda do Bloco Lírico Eu Quero Mais e com o cantor Almir Rouche. (Elza Barros Lins/Acervo pessoal).

“Cumpri minha missão”

Com as costas arqueadas e doloridas, Elza acredita que, em breve, será definitivamente impossível encarar as ladeiras de Olinda como solista da serenata. “É um instrumento nobre...Um pouco ingrato, mas faz muita gente chorar (risos). Acho que já cumpri minha missão, já ensinei muita gente a tocar e fiz muitos amigos. Penso que o maior combustível do artista são os aplausos e as pessoas acham lindos meus cabelos brancos pelas ruas”, brinca Elza.

A banda Dirimbó lançou no último final de semana seu mais novo trabalho. Intitulado ‘Tempo Covarde’, é o primeiro disco autoral da banda pernambucana e pode ser escutado nas principais plataformas de streaming. Anteriormente, o grupo lançou os EPs ‘Dirimbó’, em 2015, e ‘Deixar Tu Loks’, em 2017.

Composto por sete canções, ‘Tempo Covarde’ aposta na reunião de ritmos e mistura cadence lypso, zouk, afrobeat, rock psicodélico e brega-funk. A banda é formada por Bruno Negromonte (baterista), Mário Zappa (baixista), Rafa Lira (vocalista e guitarrista) e Vítor Pequeno (guitarrista) e existe há 4 anos.

##RECOMENDA##

“Quando produzimos esse álbum nos preocupamos em trazer influências da nossa trajetória pessoal, mas dentro da pegada do conjunto, que é fazer com que as pessoas dancem e se expressem através do nosso swing e das nossas letras”, diz Rafa Lira.

Boa notícia para os fãs de Taylor Swift! Segundo o colunista José Norberto Flesch, a cantora norte-americana já tem um país confirmado na turnê mundial do novo álbum: o Brasil!

A cantora já estaria negociando os locais e datas dos shows, que devem acontecer ainda no primeiro semestre de 2020, entre março e abril. Além do Brasil, ela deve passar por outros países da América do Sul com a turnê de seu novo álbum, que ainda não tem data de estreia e que está sendo mantido em segredo por Taylor.

##RECOMENDA##

Essa será a primeira vez que Taylor fará shows no Brasil. Ela já esteve no país em 2012, quando gravou uma colaboração com Paula Fernandes, fez uma apresentação fechada apenas para convidados no Rio de Janeiro, e participou de alguns programas de TV. Por nunca mais ter vindo para as terras tupiniquins, mesmo com os apelos dos fãs nas redes sociais, rolaram até mesmo alguns boatos dizendo que a mãe da artista não a deixava vir ao Brasil. Ainda bem que a espera está próxima de acabar, né?

Para comemorar os 33 anos de carreira, o cantor Péricles vai gravar em julho um DVD na cidade de Salvador (BA), onde reunirá grandes sucessos que deu voz ao longo de sua trajetória no samba. Em entrevista ao LeiaJá, o ex-Exaltasamba contou que chega a essa fase da carreira solo com o fôlego de um novato.

"Estou feliz em ter chegado até aqui. Muitas vezes, as pessoas me olham e dizem que sou veterano. Não quero ser visto como veterano, quero ser olhado como alguém que ainda tem muita coisa para mostrar. Eu tenho muito o que comemorar, mas também tenho muita coisa pela frente", afirmou.

##RECOMENDA##

Segundo Péricles, a ideia de gravar o DVD surgiu como uma forma de dar continuidade ao projeto "Em Sua Direção", turnê realizada pelo sambista no ano passado para divulgar seu 5º álbum solo. O atração foi dirigida pelo ator Lázaro Ramos, que deu um toque teatral as apresentações.

"O intuito é fazer com que o projeto chegue a mais pessoas, sem restringir ao ambiente do teatro, que é legal também, mas que nem todo mundo tem acesso. E hoje com os streamings, todo mundo pode ver no celular, então é uma maneira de ficar mais próximo ao público também", explicou.

Os fãs também terão a oportunidade de ver o músico mais disposto no palco, isso porque Péricles está mais disposto depois de ter passado, em agosto de 2018, por uma cirurgia para corrigir uma hérnia na região lombar, diagnosticada há anos e que foi causada por um acidente de ônibus.

"Minha mobilidade hoje é muito maior, eu estou me movimentando mais e conseguindo acompanhar todo mundo na dança", disse. "Se eu soubesse que me faria bem assim, eu teria operado antes", brincou.

 ‘Rock ao Piano’, do pianista paranaense Bruno Hrabovsky, desembarca no Recife nesta quinta-feira (25), às 20h, no Teatro Santa Isabel, área Central da cidade. O projeto une o rock à música erudita e apresentará grandes clássicos do gênero musical no piano.

Canções como Aerials, do System of a Down, Bohemian Rhapsody, do Queen, e Cryin, de Aerosmith, fazem parte do repertório, que é composto por 12 músicas. O projeto já passou por 75 cidades do Brasil, além de fazer uma apresentação na Nova Zelândia.

##RECOMENDA##

No Recife, os ingressos custam a partir de R$ 40 e podem ser adquiridos através da plataforma Meu Ingresso

Serviço

Rock ao Piano

25 de abril | 20h

Teatro de Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio)

A partir de R$40

(81) 3355-3323

O pôster de divulgação da turnê brasileira da banda Dead Kennedys (DK) - apontado como uma crítica ao governo do atual presidente do país, Jair Bolsonaro - continua rendendo na internet. Após sua divulgação na última segunda (22), a arte colocou a banda norte-americana nos Trending Topics, motivou uma reação dos músicos contrária à sua publicação e, então, o desgosto de inúmeros fãs que, como sempre, acabaram transformando o assunto em memes. A banda brasileira de hardcore, Ratos de Porão, também entrou na história e pediu para si o cartaz.

Horas após a divulgação do cartaz, ilustrado por Cristiano Suarez, a banda americana publicou uma nota, em sua página do Facebook, esclarecendo não ter nenhuma participação na iniciativa. O público do grupo, conhecido por seu posicionamento político, não gostou e choveram comentários negativos na postagem. Pouco tempo depois, ela foi apagada. Enquanto isso, no Instagram, Cristiano Suarez publicava em seus stories provas de que os DK haviam compartilhado a arte em seu Instagram mas teriam apagado o post após as reações dos seguidores. "Foi postada no perfil oficial da banda e removido logo após o boom das publicações e dos trending topics do Twitter, logo depois foi liberada uma nota, que também foi apagada quando se deram conta que muitas pessoas já tinham visto", esclareceu o ilustrador.

##RECOMENDA##

Nesse meio tempo, o público tratou de fabricar memes e elaborar piadas em relação ao recuo do Dead Kennedys. "Nem de direita, nem de esquerda, Dead Kennedys"; "Todo mundo sabe que o dead Kennedys mamou desde sempre na Lei Rouanet, vai"; "Dead Kennedys não assumiu o pôster, que pi*** mixuruca, por isso o rock morreu"; "Arregada do Dead Kennedys apenas confirma a minha teoria de que punk só tem sentido na juventude. O punk velho quer pagar os boletos e andar em casa de cueca". 

[@#galeria#@]

Além disso, uma outra banda, também conhecida pela sua acidez e ativismo político, a Ratos de Porão, reclamou o pôster para si. Nos comentários do Instagram de Suarez, João Gordo, vocalista do RDP disse: "Muda, em vez de Dead Kennedys põe Ratos de Porão". E o pedido foi prontamente atendido.

 

A espera acabou para os fãs de Beyoncé. Foi lançado no Spotify, nesta terça-feira (23), o disco "Lemonade". Após três anos, o álbum da cantora deixou de ser exclusivo do Tidal, plataforma de Jay-Z, e passou a ser disponibilizado em outros serviços de streaming, como também na Apple Music. Na internet, os seguidores de Beyoncé comemoraram.

Os usuários do Twitter não perderam tempo e começaram a criar memes através da hashtag #LemonadeOnSpotify, exaltando a artista como se ela estivesse divulgando trabalho inédito. O álbum, lançado em 23 de abril de 2016, foi indicado em nove categorias do Grammy Awards vencendo "Best Urban Contemporary Album" e "Best Music Video" pela música "Formation".

##RECOMENDA##

Confira:

[@#galeria#@]

 A banda punk americana Dead Kennedys se pronunciou na noite desta segunda-feira (22), em sua página oficial do Facebook, após um pôster polêmico da turnê brasileira do grupo viralizar na internet. Na manhã desta terça-feira (23), a declaração não estava mais disponível.

A arte feita pelo ilustrador Cristiano Suarez foi considerada um claro protesto ao atual governo brasileiro e mostra uma família de palhaços armados, tendo no segundo plano uma comunidade em chamas. No entanto, a banda disse não ter aprovado a divulgação do pôster e não tem conhecimento para opinar sobre política em outros países. Confira na íntegra:

##RECOMENDA##

"Chegou até nos do Dead Kennedys que um pôster foi lançado promovendo os próximos turnês da banda pelo Brasil. Esse cartaz foi divulgado pelo promotor dos shows sem o conhecimento do Dead Kennedys e não foi autorizado. O Dead Kennedys é uma icônica banda americana de punk que é conhecida pelas suas declarações políticas e tem um forte posicionamento anti-fascista e contra a violência, entretanto, a banda sente que não sabe o suficiente a respeito das situações de outros países para se meter na sua política. O pôster lançado recentemente não reflete um posicionamento político do Dead Kennedys. A mensagem básica da banda tem sido, e ainda é, a de pedir para que as pessoas pensem por conta própria, e não dizê-las como pensar."

Filho de peixe, peixinho é. O filho do cantor Péricles, Lucas Morato, vai lançar em maio o álbum “Tudo de Novo”, onde o músico dá voz, em parceria com os filhos de Arlindo Cruz, Branca Di Neve e Netinho De Paula, a clássicos dos sambistas.

Ao lado de Arlindinho, Brankinha e Levi De Paula, Lucas também pretende sair em turnê pelo Brasil e gravar um DVD entre os meses de julho e agosto.

##RECOMENDA##

O cantor, que já teve a oportunidade de dividir o palco com o pai algumas vezes, conta que o sambista é a sua maior referência. “Cantar com meu pai é de fato cantar com o meu maior ídolo. Eu sempre fico nervoso e tento dar o meu melhor. Procuro sempre me espelhar nele”, revela.

Lucas lembra que a paixão por cantar surgiu ainda na infância, pois cresceu em um ambiente onde a música sempre esteve presente. “Desde criança eu sempre fui muito musical e minha família sempre viveu de música,  então eu já tinha uma facilidade para cantar e com o tempo comecei a tocar cavaquinho e a compor minhas próprias músicas”, afirma.

O filho de Péricles também se destaca por ter a voz semelhante a do sambista e por escrever letras de samba-enredo para as tradicionais escolas de samba. “Graças a Deus fui subindo a escadinha do jeito que tem que ser e tem dado muito certo”, comemora.

MC Loma e as Gêmeas Lacração estão preparando novidades para os seus fãs. Sem lançar nenhuma música desde o último Carnaval, elas têm recheado suas redes sociais com fotos e vídeos de uma canção que estão preparando com o grupo paulista Calice. A cantora promete algo bem diferente do que já havia feito.

Ao que tudo indica, a nova música se chamará 'Usa e Abusa' e deve vir em um ritmo inédito para Loma, o trap. Em algumas fotos e vídeos que ela e as companheiras estão compartilhando, é possível vê-las em figurinos bastante coloridos e provocantes além da volta das Gêmeas Lacração nos vocais. Em uma de suas postagens, Mc Loma deixa um recado: "Aqueles que pensaram que eu parei, não parei e já tô de volta".

##RECOMENDA##

Já nos comentários das redes sociais, os fãs já se mostram ansiosos para a chegada da nova música. "Volta logo, amo suas músicas"; "Já tava na hora, vem com tudo lacradora"; "Muito bem, nunca desista pois desistir é para os fracos"; "Não vejo a hora de ver o novo clipe que vocês gravaram"; "As definições de hit foram atualizadas".

Após deixar o microfone de lado por seis meses para tratar uma miocardite (inflamação no músculo do coração), o vocalista Bruno Cardoso, da banda Sorriso Maroto, conta que o novo álbum “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores” representa um novo momento na vida dele e na carreira do grupo.

“A gente realmente está em uma nova fase e consideramos que esse é o nosso primeiro grande movimento depois do meu retorno. Lançamos um álbum repleto de músicas novas, com 11 músicas inéditas, e estamos com um gás enorme para sair de casa e mostrar nosso trabalho para as pessoas”, diz o pagodeiro.

##RECOMENDA##

Bruno lembra que foi muito difícil ficar afastado dos palcos, por estar sempre ligado aos compromissos da carreira de músico, mas que a doença foi um momento que serviu para o artista refletir.

“Em 21 anos de carreira, eu só tive esse período de afastamento. Eu nunca tinha faltado em nenhum compromisso do grupo e esse bloqueio que me impediu de seguir foi um baque muito grande, mas também foi um momento para eu ajustar a cabeça e entender que deveria cuidar da minha saúde”, revela.

No período em que esteve ausente da agenda do Sorriso Maroto, Bruno foi substituído pelo cantor e ator Thiago Martins, que, segundo o pagodeiro, foi escolhido por Deus para que ele seguisse com o tratamento médico.

“O Thiago se colocou de uma forma tão gratuita e com o coração aberto. Ele se ofereceu antes mesmo de pensarmos em como iríamos seguir com a agenda, então eu acredito que ali ele já tinha demonstrado qual caminho teríamos que seguir. De amigo, ele se tornou um grande irmão para mim”, afirma.

O vocalista conta ainda que está muito grato por todo o apoio  que recebeu dos fãs pelas redes sociais e pelos shows, mesmo enquanto esteve ausente. “A maior alegria de todas é poder retribuir de alguma forma todo carinho que eu recebi. Tô fazendo isso agora e acho que vou fazer para vida inteira”, diz Bruno.

A turnê brasileira da banda punk americana Dead Kennedys ainda nem começou e já está arrebatando os fãs, além de chamar a atenção de quem nem conhece o grupo. Isso porque um pôster exclusivo para a passagem dos caras pelo país ‘causou’ na internet pela eloquência de suas ilustrações. Os internautas apontaram diversas críticas sociais no desenho e colocaram a banda entre os assuntos mais comentados da internet, nesta segunda (22).

Nele, uma família caracterizada como palhaço, inclusive o famoso Bozo, segura armas, em meio a tanques e uma favela em chamas. O desenho é uma criação do ilustrador Cristiano Suarez. Na internet, os comentários apontaram críticas sociais presente na ilustração. "Acho que tem uma pequena provocação do Dead Kennedys com o presidente eleito, coisa leve, quase imperceptível"; "O pôster é lindo, uma porrada na fuça dos fascistas"; "A quantidade de detalhes e críticas específicas nesse pôster me surpreendeu bastante, não é apenas uma crítica barata jogada de qualquer jeito, teve um trabalho e cuidado de pesquisa real. Nada além de admiração".

##RECOMENDA##

Esta é a quarta vez que os americanos tocam em solo brasileiro. Eles fazem quatro shows, passando pelo Rio de Janeiro (23 de maio); São Paulo (25 de maio); Brasília (26 de maio) e Belo Horizonte (28 de maio).

A cantora e percursionista carioca Mart'nália (53) imprimiu todo seu ritmo e suingue às canções do compositor Vinícius de Moraes (1913-1980). O 12° álbum de sua carreira lançado no último mês de março, apresenta 14 faixas totalmente repaginadas de sucessos já consagrados como "Samba da Bênção" e "Tarde em Itapoã".

A cantora afirmou através de suas redes sociais que o trabalho é uma "saudação à Vinícius, como diz o título de uma das canções". O álbum foi produzido e arranjado pelo guitarrista Celso Fonseca e o contrabaixista Arthur Maia, falecido em 2018. Lançado pela Biscoito Fino, o trabalho já está disponível em todas as plataformas online.

##RECOMENDA##

Abaixo você confere o vídeo da canção "Onde anda você":

[@#video#@]

Por André Filipe

  A cantora Roberta Sá desembarca no Recife no dia 2 de junho, no Teatro RioMar, localizado no Pina, para apresentar seu mais novo trabalho. Intitulado ‘Giro’, o disco é composto por canções inéditas compostas pelo respeitado cantor Gilberto Gil.

As canções têm parceria com a própria Roberta ou com importantes nomes da MPB, como Jorge Ben Jor, que que participa do álbum cantando em “Ela Diz Que Me Ama”. “O processo foi muito afetuoso, sem pressa alguma. Gil é uma pessoa muito generosa e, acima de tudo, um músico apaixonado por quem pensa e faz música”, diz Roberta.

##RECOMENDA##

A apresentação tem início às 20h. Os ingressos custam a partir de R$ 70 e podem ser adquiridos no Uhuu.

 Serviço

Roberta Sá em “Giro”

2 de junho | 20h

Teatro RioMar (Av. República do Líbano, 251, 4º piso – RioMar Shopping)

A partir de R$70

*Com informações da assessoria

 No dia 11 de maio, grandes nomes da música brasileira se reúnem no Classic Hall, em Olinda. A festa ‘Encontro das Vozes’ chega à Região Metropolitana do Recife e traz como atrações o cantor Belo, a primeira-dama do samba, Alcione, e o cantor Ferrugem.

No repertório de Belo, sucessos como Tua Boca, Eternamente', 'Vi Amor no Seu Olhar' e 'Intriga da Oposição' estão garantidos. Já Ferrugem apresenta os hits 'Pirata e tesouro', 'Minha Namorada', 'Eu sou feliz assim' e 'O som do tambor'. Com mais de 40 anos de carreira, Alcione completa o trio de atrações da festa.

##RECOMENDA##

Os ingressos custam R$ 80 , área única, à venda nos quiosques da Ticket Folia de todos os shoppings e pelo site/app Bilheteria Digital. Há opção também de camarotes para 12 pessoas à venda na casa de shows.

Serviço

Encontro das Vozes

11 de maio | 21h

Classic Hall (Av. Gov. Agamenon Magalhães, S/N - Salgadinho, Olinda)

R$ 80

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando