Cultura

| Artes Cênicas

O Parque da Jaqueira será palco da primeira edição do projeto "Lendas e Assombrações na Jaqueira", esquete teatral que será apresentada durante uma caminhada repleta de suspense e surpresas pelo parque no período noturno. O espetáculo, gratuito, será realizado nesta quarta-feira (19), às 20h30, com saída do Econúcleo.

Cerca de 19 pessoas estão envolvidas no projeto e todo o elenco é formado pela equipe de arte-educação da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. A ação da Prefeitura do Recife busca estimular a educação ambiental através dos mitos e lendas que habitam o imaginário do povo pernambucano, utilizando as árvores do Parque da Jaqueira como cenário, bem como as lendas e as histórias fantásticas do lugar.

##RECOMENDA##

O Velho do Candeeiro, fantasma de um trabalhador do Sítio da Jaqueira (nome antigo da localidade onde atualmente é o Parque), interpretado pelo poeta Felipe Junior, guiará o público durante o espetáculo com paradas em espaços estratégicos. Através da linguagem de cordel e expressões pernambucanas, o Velho do Candeeiro fará a apresentação dos personagens, das histórias e do parque.

*Da assessoria

Nos dias 23 e 24 de agosto, no Teatro RioMar, o musical "Forever Young" chega ao Recife como parte da primeira turnê pelo Nordeste. Dirigido por Jarbas Homem de Mello, marido da atriz Claudia Raia, o espetáculo aborda a vida de seis grandes atores que representam a si mesmos no futuro, quase centenários.

Tudo acontece no palco de um teatro, que foi transformado em retiro para artistas, sob a supervisão de uma enfermeira. Quando ela se ausenta, os simpáticos senhores revelam suas verdadeiras personalidades através do bom e velho rock'n'roll, mostrando que o sonho ainda não acabou – e que eles são eternamente jovens.

##RECOMENDA##

O musical "Forever Young", indicado a prêmios como o Bibi Ferreira e o Reverência, estreou em agosto de 2016, no Teatro Raul Cortez (São Paulo). Realizou temporada em 2017 no Rio de Janeiro e passou por mais oito capitais brasileiras. Nany People, Will Anderson, Janaina Bianchi, Ton Prado, Renata Ricci, Felipe Catão e Fernando Zuben estão no elenco.

Serviço

Musical "Forever Young"

23 e 24 de agosto | 21h

RioMar Shopping- Avenida República do Líbano, 251, Pina

Ingressos: R$ 100 e R$ 50 (meia) - plateia baixa, alta e balcão nobre / R$ 75 e R$ 37,50 (meia) - plateia baixa, alta e balcão nobre (bilhete popular)

Mais informações no site www.teatroriomarrecife.com.br

*Da assessoria

Inspirado no poema "Congresso Internacional do Medo", de Carlos Drummond de Andrade, o espetáculo "Congresso do Kaos" encerrará a temporada de um ano de apresentações no próximo domingo (16), no Teatro Hermilo Borba Filho, localizado no Cais do Apolo, Bairro do Recife, às 19h.

Para celebrar a peça, o grupo Teatro do Amanhã dará desconto para os estudantes de teatro. Apresentando documentação estudantil, eles irão pagar apenas R$ 10. Os ingressos estão à venda por R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia). As comemorações de um ano de encenação do espetáculo resultará em um curso teatral para diferentes faixas etárias. 

##RECOMENDA##

As aulas serão realizadas no Círculo de Artes – Esquina 40, em Piedade. O investimento custa entre R$70 e R$100. Os alunos receberão certificado de conclusão e exercício cênico. Os interessados podem fazer as reservas das oficinas entrando em contato com as redes sociais do grupo Teatro do Amanhã.

Serviço

Espetáculo "Congresso do Kaos" - fim de temporada

16 de junho (domingo) | 19h

Teatro Hermilo Borba Filho | Cais do Apolo, 142, Bairro do Recife

R$30 (inteira) e R$15 (meia). Estudantes de teatro pagam R$ 10

A companhia pernambucana de acrobacia aérea Lírica no Ar apresenta, na próxima sexta (14), o espetáculo Zodíaco. A apresentação, com formato bem distante do circo clássico, ocupa o palco do Teatro de Santa Isabel, às 19h. Com ingressos esgotados para a primeira sessão, uma segunda apresentação foi agendada para o dia 20 de junho, às 20h.

Zodíaco mistura teatro, acrobacia, artes visuais, dança aérea e contemporânea. São mais de 601 acrobatas e dançarinos em palco, divididos em três atos para representar os 12 signos. Com estilo distante do que se faz no circo clássico, o espetáculo articula diferentes linguagens artísticas além de utilizar aparelhos aéreos de maneira experimental.

##RECOMENDA##

A trilha sonora foi criada e organizada pelo multi instrumentista raphael Souto e as projeções e projeto gráfico têm assinatura do artista visual Raul Luna. O figurino exclusivo foi feito pelos estilistas Marc Andrade e Arthur Amorim e a direção e roteiro são de Amanda Baptista e Jéssica Santos.

Serviço

Zodíaco

20 de junho - 20h

Teatro de Santa Isabel

R$ 50 e R$ 25

O Grupo Teatral Drama Rasgado faz sua estreia nos palcos de Belém neste fim de semana, com a montagem de “Os Fuzis da Senhora Carrar”. Numa aldeia da Andaluzia, em plena Guerra Civil Espanhola (1936-1939), Tereza Carrar luta contra a pressão de todos para impedir que seus filhos vão para o front, lutar ao lado das tropas do exército republicano contra o golpe militar do general Francisco Franco, que derrubara o governo constitucional. “A posição de Tereza pela neutralidade é exposta como um equívoco diante da inevitável violência da guerra movida pelo capitalismo contra os avanços sociais iniciados pelo governo republicano”, diz Larissa Latif, que interpreta a protagonista.

A pequena tragédia familiar revela o posicionamento do autor de que, diante da injustiça, retirar-se do conflito é ser conivente com o opressor. Ao mesmo tempo, as ideias contrárias às de Tereza, expressas por personagens como seu irmão Pedro e a Sra. Pérez, procuram reforçar o poder da resistência e a esperança na vitória popular em um dos textos mais conhecidos e aclamados do dramaturgo alemão Bertold Bretch. “O texto trata-se de uma pungente metáfora da situação da Espanha, um país rural, mergulhado num conflito muito além das suas forças e dos interesses nacionais, objeto da cobiça de potências estrangeiras”, conforme pontua a diretora do espetáculo Karine Jansen.

##RECOMENDA##

Escrita em 1937, um ano após a morte de Federico Garcia Lorca, o grande poeta e dramaturgo espanhol, uma das primeiras vítimas da violência franquista, "Os Fuzis da Senhora Carrar" pode ser lida como uma ode esperançosa, ainda que melancólica, à liberdade e à luta por um mundo de justiça e solidariedade.

A temporada será de 8 a 30 de junho, aos sábados e domingos, sempre às 19 horas, no espaço artístico alternativo Pérola da Campina, na rua Aristides Lobo, 40; com ingressos no valor de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada).

Por Lucas Corrêa, especialmente para o LeiaJá.

 

A companhia pernambucana Célula de Teatro faz sua estreia, na próxima sexta (14), com o espetáculo As Bruxas de Salém. A peça é uma adaptação teatral de um dos mais marcantes capítulos da história, escrita pelo americano Arthur Miller, e fica em cartaz até o domingo (16), no Teatro Barreto Júnior.

As Bruxas de Salém foi escrita em 1959 co o uma resposta ao macarthismo nos Estados Unidos, quando se perseguia e condenava pessoas acusadas de serem comunistas. O próprio autor, Miller, foi vítima dessa perseguição sendo condenado e posteriormente inocentado. O texto narra situações reais ocorridas na vila de Salém, uma colônia na baía de Massachussetts.

##RECOMENDA##

Encenando essa história, estarão 21 atores que se revezam entre 32 personagens. Os figurinos e adereços contam com mais de 150 peças que remetem aos costumes daquela época. A direção é de Domingos Soares.

Serviço

As Bruxas de Salém

Sexta (14) e sábado (15) - 20h

Domingo (16) - 19h

Teatro Barreto Júnior (Rua Estudante Jeremias Barros, s/n - Pina)

R$ 30 e R$ 15

Um musical inspirado na mitologia grega e uma peça sobre o conflito na Irlanda do Norte foram os grandes vencedores do prêmio Tony, o mais importante do teatro americano.

"Hadestown", que recebeu 14 indicações, venceu em oito categorias, incluindo melhor musical, na 73ª edição do Tony.

##RECOMENDA##

A obra, uma revisão moderna do mito de Orfeu e Eurícide, repleta de jazz e folk, chegou aos palcos da Broadway em abril, após um périplo de 13 anos.

Criada em Vermont em 2006 como um espetáculo musical sem coreografia, "Hadestown" triunfou em Nova York e já chegou aos palcos do Reino Unido e Canadá.

"The Ferryman", escrita por Jez Butterworth, recebeu nove indicações e venceu quatro, incluindo a categoria de melhor peça.

Dirigida por Sam Mendes, que levou o prêmio de melhor diretor, "The Ferryman" representa um dia na vida de uma família rural na Irlanda do Norte em 1981, no apogeu do conflito entre unionistas e republicanos irlandeses na região.

O amplo e colorido elenco de personagens inclui um bebê e um ganso.

Bryan Cranston, conhecido pela série "Breaking Bad", foi o vencedor na categoria melhor ator por "Network", adaptação para os palcos do filme "Rede de Intrigas" (1976). Ele dedicou a estatueta a "todos os verdadeiros jornalistas do mundo".

"A mídia não é o inimigo. A demagogia é o inimigo do povo", disse, em uma alfinetada no presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que com frequência chama os jornalistas de "inimigos do povo".

Elaine May ("The Waverly Gallery") levou o prêmio de melhor atriz.

Um dos momentos mais emocionantes da noite aconteceu quando a atriz Ali Stroker venceu na categoria coadjuvante em um musical por "Oklahoma!". Ela se tornou a primeira pessoa em uma cadeira de rodas a receber um Tony em uma categoria de interpretação.

Em comemoração aos 60 anos da maior criação do cartunista Mauricio de Sousa, a Turma da Mônica estreia no final de junho seu primeiro espetáculo circense-musical, "Brasilis". A atração é uma homenagem à diversidade cultural do Brasil e enaltece as riquezas dos costumes e regionalismos do país em uma aventura que reúne os já conhecidos personagens dos quadrinhos a outros que são a cara do país, como a garota negra Milena e o indígena Papa-Capim.

"No começo, eu estranhei o nome 'Brasilis'. Será que é coisa do Mussum?", brincou Mauricio de Sousa em entrevista coletiva sobre o espetáculo. "Mas era essa união de artistas, culturas e pessoas maravilhosas, com uma vantagem histórica na minha família, já que o Mauro não me consultou em nada para fazer essa beleza de trabalho. Eu fico admirado com isso", contou o cartunista.

##RECOMENDA##

A superprodução é dirigida por Mauro Sousa, que destacou que esse é o maior espetáculo da história da Mauricio de Sousa Produções. "Para fazer jus a essa magnitude, tínhamos que escolher um tema bom, relevante e sermos assertivos. Falar sobre diversidade cultural hoje, para mim, é um gesto de representatividade e, também, um ato de coragem. Estou confiante de que o amor de toda a equipe por esse projeto poderá transformar vidas", afirmou o filho do criador da Turma da Mônica.

Entre os grandes nomes escolhidos para o elenco de "Brasilis" está a atriz Fafy Siqueira, que interpreta a Vó Dita – personagem inspirada na avó de Mauricio de Sousa e avó de Chico Bento nos quadrinhos – uma contadora de histórias sobre o folclore brasileiro.

"Uma das coisas que menos possui importância no nosso país hoje é a arte, que é do que a gente vive. E de repente eu me vi em um ambiente repleto de arte, com circo, teatro e música da melhor qualidade. É muito bom estar aqui e esse é um privilégio que poucas pessoas têm", comentou a atriz.

Dona de um timbre singular, Paula Lima ficou encarregada de dar voz as músicas inéditas do espetáculo. "Estou muito feliz de fazer parte de algo que está presente na minha vida desde que eu me entendo por gente, como a Turma da Mônica. E eu acho muito bacana a reflexão que esse trabalho trás sobre o ser humano e que é fundamental nos dias de hoje. Falar sobre diversidade, cultura e Brasil é uma honra", comemorou a cantora.

O espetáculo tem ainda a participação do grupo Olodum, que em 2019 completa 40 anos de existência, na trilha sonora. "A história do Olodum tem a mesma essência da Turma da Mônica. São duas marcas com uma trajetória de valorização da cultura nacional. Não poderíamos celebrar esta jornada de outra forma que não fosse intensificando a importância do respeito à diversidade cultural", enfatizou o empresário e produtor do grupo, Jorginho Rodrigues.

Durante um período de seis meses, "Brasilispassará por dez capitais: São Paulo (SP), Belém (PA), Fortaleza (CE), Natal (RN), Recife (PE), Brasília (DF), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). A estreia será em 29 de junho, no Teatro Opus, no Shopping Villa Lobos, em São Paulo. O valor do ingresso varia de cidade para cidade e pode ser comprado pela internet.

  O Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), localizado na Boa Vista, área Central do Recife, recebe de 17 a 21 de junho a oficina ‘Tecnologias de gênero: mulheres em performance’. A atividade irá abordar criações de mulheres feministas na arte da América Latina.

Durante o curso, que tem carga horária de 16 horas, serão discutidos diversos tipos de manifestações dentro da arte. Além de analisar casos específicos, reconstruindo momentos históricos e indo à fundo na observação do conjunto de obras.

##RECOMENDA##

O investimento é de R$ 180 e as inscrições podem ser realizadas na Sympla. Pessoas autodeclaradas negras/indígenas, de baixa renda e trans podem se candidatar a uma bolsa através da página de inscrição. Para mais informações: 81 99797-6700.

Serviço

Oficina ‘Tecnologias de gênero: mulheres em performance’

17 a 21 de junho | 14h às 18h

MAMAM (R. da Aurora, 265 - Boa Vista, Recife)

R$180,00

*Com informações da assessoria

No dia 23 de agosto, em São Paulo, no Teatro Opus, irá estrear "Chaves - Um Tributo Musical". Das quase 800 pessoas que se inscreveram na audição, um rosto conhecido pelos brasileiros estará no elenco da peça. O ator Fabiano Augusto, conhecido por ser o garoto-propaganda das Casas Bahia, irá interpretar Roberto Gómez Bolagños, falecido em 2014, criador de "Chaves" e "Chapolin".

Fabiano usou o seu perfil do Instagram, nesta quinta-feira (6), para celebrar com os internautas o seu papel. "Que felicidade estar neste projeto e poder ser o Roberto Gómez Bolagños. Que eu honre o nome deste comediante incrível. E de quebra trabalhar com um elenco fo**. Vai ser lindo!", escreveu.

##RECOMENDA##

A direção do espetáculo escolheu o ator Mateus Ribeiro para interpretar Chaves. Os ingressos para o musical estarão à venda a partir do próximo dia 27.

Orun Santana abre temporada do espetáculo Meia Noite, no Teatro Arraial Ariano Suassuna. Estreando nesta sexta-feira (31) e até o dia 6 de julho, sempre às 20h, o bailarino sobe ao palco do equipamento cultural, localizado na Rua da Aurora, para dançar em homenagem a seu pai.

O espetáculo solo passeia pela capoeira como elemento criador e motivador do movimento, sobretudo dos copor de Geilson Santana, o Mestre Meia-Noite, e Orun, respectivamente, pai e filho. Os dois são brincantes do Daruê Malungo grupo tradicional da comunidade de Chão de Estrelas, no qual construíram suas carreiras.

##RECOMENDA##

No palco, Orun leva questões sobre a relação entre pai e filho, entre mestre e discípulo e consequente relação com a ancestralidade pessoal. As sessões do espetáculo serão sempre às 20, sextas e sábados, até o dia 6 de julho.

Serviço

Meia Noite

Até 6 de julho

Sextas e sábados - 20h

Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, s/n - Boa Vista)

R$ 20 e R$ 10

 

O Teatro Marco Camarotti, em Santo Amaro, área Central do Recife, abriga dois espetáculos com temáticas política e social a partir desta semana. A peça “h(EU)stória – o tempo em transe”, da Trilogia Vermelho, faz apresentação no sábado (1º) e domingo (2), já a encenação de “Eles não usam tênis náique”, da Cia Marginal, tem curta temporada de 4 a 7 de junho.

Em “h(EU)stória – o tempo em transe”, o enredo discorre sobre a relação do cineasta Glauber Rocha com o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes e o poeta Jomard Muniz de Britto. Já em “Eles não usam tênis náique”, o público poderá acompanhar a dificil relação de pai e filha, ambos traficantes.

##RECOMENDA##

As apresentações de “h(EU)stória – o tempo em transe” acontecem às 19h e o valor do ingresso é de R$ 30. A encenação de “Eles não usam tênis náique” é gratuita e acontece às 19h, 4 a 6 de junho e no dia 7, às 15h.

Serviço

“h(EU)stória – o tempo em transe 

Sábado (1º) e domingo (2) | às 19h

R$ 30

 

“Eles não usam tênis náique”

4 a 6 de junho |às 19h e no dia 7 | às 15h

Gratuito

Teatro Marco Camarotti- Sesc Santo Amaro (Rua Treze de Maio, 455)

Informações: 3216.1728

[@#video#@]

O espetáculo ATRAQUE, que ocorreu na noite de quinta-feira (18), no Teatro Estação Gasômetro, em Belém, teve como objetivo promover respeito à vida, o amor e a resistência da comunidade LGBTI. Idealizado pelo Grupo Homossexual do Pará Noite Suja, o ato contou com apoio de vários grupos que fazem parte da luta contra o preconceito. 

##RECOMENDA##

O evento teve show musical de artistas paraenses, feira de empreendedorismo LGBTI e performances de drag queens. Para os organizadores, o ato político também contribuiu para reforçar o combate à LGBTQIFOBIA no Estado.

Dario Jaime, ator e performer, destacou que artistas desse movimento promovem muitas ações que não ganham visibilidade dentro de mídias sociais, mas que afetam diretamente cada pessoa com quem eles lidam. “Visitamos hospitais habilitados a lidar com pessoas que possuem câncer, para trabalhar a autoestima destes pacientes, fazemos muita coisa que não tem visibilidade, mas que socialmente tem um peso muito importante”, disse o performer.

Conceitualmente, o espetáculo ATRAQUE se compara com um navio, pois só atraca em um porto seguro quando encontra seu real destino. De acordo com Tristan Soledade, criador do Noite Suja e organizador, fazer o evento, desde 2012, significa uma celebração de sobrevivência. "Promovemos eventos para celebrar nossa sobrevivência, principalmente em um país onde temos esse grande índice de violência”, disse.

O Teatro Gasômetro, cedido para a organização do espetáculo, contou com estandes de vendas de roupas, bazares e comidas típicas paraenses, além de dividir espaço com tattoos flashs e artes em geral. A comunidade LGBTI expôs sua obra dentro de uma programação especial relacionada ao Dia Internacional de Combate à LGBTQIFOBIA.

Por Tayana Reis e Júnior Silva.

 

 

Os estúdios Maurício de Souza Produções têm um novo espetáculo preparado para o público. O musical Brasilis celebra as riquezas e a diversidade cultural brasileira em uma grande produção, com figurino e cenografia assinados pela artista visual Carol Barreto e pelo arquiteto J.C. Serroni.

##RECOMENDA##

Apresentado pelo Ministério da Cidadania e pela Brasilprev, o espetáculo tem direção de Mauro Souza, filho de Maurício de Souza. A artista visual Carol Barreto assina o figurino, que conta com mais de 100 peças, todas produzidas em seu próprio ateliê, em Salvador, por um coletivo de mulheres, LGBT's e alunos estilistas soteropolitanos.

Já a cenografia, produzida é assinada pelo arquiteto e artista plástico J.C. Serroni, considerado um dos principais cenógrafos do país, vai mostrar o Brasil colocando em cena toda sua diversidade. O espetáculo integra as comemorações dos 60 anos da Maurício de Sousa Produções.  

Brasilis vai excursionar pelo país durante seis meses, com passagens pelas cidades de Belém (PA), Fortaleza (CE), Natal (RN), Recife (PE), Brasília (DF), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). Ao todo, serão mais de 80 apresentações, passando pelas cinco regiões do Brasil. Informações de datas e ingressos podem ser vistas no site da Turma da Mônica.

 

 

No próximo domingo (26), o Afoxé Oxum Pandá promove uma oficina de Ijexá no Museu de Artes Afro-Brasil Rolando Toro, no Bairro do Recife. A aula será ministrada pelo bailarino e coreógrafo Washington San's e começa às 14h.

Anualmente, o Oxum Pandá abre suas oficinas de dança para que as pessoas possam conhecer o afoxé. Os bailarinos do grupo também participam, recepcionando o público que poderá, futuramente, fazer parte do grupo.

##RECOMENDA##

Na oficina do domingo (26), Washington vai ensinar sobre o Ijexá, ritmo africano adotado como base para o afoxé. Esta dança é utilizada para entoar os cânticos para os orixás Oxum, Oxóssi, Logun Edé, Iemanjá e Oxalá. A participação é gratuita.

Serviço

Oficina de dança do Afoxé Oxum Pandá

Domingo (26) - 14h

Museu de Artes Afro-Brasil Rolando Toro (Rua Mariz e Barros, Bairro do Recife)

Gratuito

[@#video#@]

O Teatro Estação Gasômetro, em Belém, recebeu na sexta-feira (17) a quarta edição do UNAMA Fest Dance, festival de dança organizado pelo curso de bacharelado de Educação Física da UNAMA – Universidade da Amazônia. O festival reuniu dançarinos de companhias de Belém e 20 pessoas em tratamento oncológico monitoradas pela equipe da OncoFit.

##RECOMENDA##

Segundo a professora do curso de Educação Física Mariela Maneschy, o evento é organizado pelos alunos da disciplina Metodologia da Dança e faz parte de uma atividade avaliativa. “A verba arrecada é usada para pagar os custos do teatro, porque a gente não consegue que o teatro saia gratuitamente. Os ingressos são só para o aluguel”, informou a professora.

Matheus Lima, aluno e representante geral da comissão do UNAMA Fest Dance, disse que o trabalho expandiu o seu conhecimento sobre os diversos estilos de dança. “É de extrema importância estar organizando esse evento, porque a gente conhece um pouco de cada estilo de dança. É uma forma de demonstrar o próprio sentimento através do corpo”, contou o aluno.

Cristina Caxias, participante do grupo de dança Laços de Amor, da OncoFit, e paciente oncológica, disse que a proposta é mostrar para as pessoas que estão passando pelo mesmo processo a ressignificação no processo terapêutico. No caso, por meio da dança.

Dançarina da Companhia Folclórica do Pará, Carla Costa disse que o convite para apresentação no festival teve um gosto especial. Ela destacou a importância do evento por abrir espaço para mostrar a cultura paraense. 

O público prestigiou o espetáculo. “Ano passado eu participei como aluno, me apresentei e hoje eu vim só prestigiar. São vários tipos de ritmos, estilos diferentes e a cada ano vem inovando”, disse Agnaldo Braga, que estava na plateia.

 

O Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM) será, pela primeira vez, palco para uma encenação teatral. Na próxima quarta (22), o museu vai receber o grupo recifense Magiluth, estreando na capital pernambucana o espetáculo Apenas o Fim do Mundo. A sessão começa às 20h.

A encenação da peça no MAMAM vai funcionar como uma nova estratégia para atrair o público ao equipamento cultural. Além disso, o Magiluth celebra seus 15 anos de atividade trazendo o espetáculo Apenas o fim do mundo para o Recife. Este é o décimo trabalho do grupo, que fica em cartaz até o domingo (29), e, em seguida, do dia 29 até dois de junho, sempre às 20h.

##RECOMENDA##

A peça será encenada nos dois andares superiores do museu, convidando o público a se deslocar enredo adentro para experimentar os desconfortos e agonias dos personagens. A direção é de Giovana Soar e Luiz Fernando Marques e o texto é do autor francês Jean-Luc Lagarce.

Serviço

Apenas o fim do mundo - Grupo Magiluth

Quarta (22) a domingo (26) - 20h

29 de maio a 2 de junho - 20h

MAMAM (Rua da Aurora, 265 - Boa Vista)

R$ 40 e R$ 20

 

  O Teatro Barreto Júnior, na Zona Sul do Recife, recebe no próximo sábado (25), às 20h, e no domingo (26), às 19h30, o espetáculo ‘O livro’. A peça, escrita pelo cearense Rafael Martins, aborda um tema bastante discutido na atualidade: as relações abusivas.

A história gira em torno de um casal recém-separado e a chegada de Pablo, um professor universitário, ao apartamento da ex-esposa, Virgínia, uma jornalista. Através de diálogos carregados de ameaças e agressões verbais trocados entre as personagens, o público pode refletir sobre como as pessoas vivem relações abusivas sem perceber.

##RECOMENDA##

“Começamos a ‘construir’ esse espetáculo com leituras e conversas sobre relações abusivas não apenas entre casais, mas também entre amigos, parentes, pais e filhos. Trouxemos para os ensaios nossas próprias vivências abusivas”, conta Zé Lucas, ator que interpreta Pablo.

Os ingressos para as apresentações custam a partir de R$20.

Serviço

O Livro

Sábado (25) | 20h e Domingo (26) | 19h30

Teatro Barreto Júnior (R. Est. Jeremias Bastos - Pina)

R$ 40  (inteira) e R$ 20  (meia)

 A partir deste domingo (19), às 10h, o Teatro Boa Vista, na área Central do Recife, recebe o espetáculo infantil “Os Saltimbancos”, com apresentação do Palhaço Chocolate. Musical é uma adaptação do clássico “Os músicos de Bremen”, dos irmãos Grimm, feita por Luis Enríquez Bacalov e Sérgio Bardotti, com tradução de Chico Buarque.

Na história, quatro animais que se sentem explorados pelos seus donos decidem se unir e montar uma banda pra mudar o rumo de suas vidas. A montagem pernambucana tem produção e direção de Roberto Costa.

##RECOMENDA##

Os ingressos custam R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria do teatro.

Serviço

Os Saltimbacos

Domingo (19) | 10h

Teatro Boa Vista (Rua Dom Bosco, 551, Boa Vista)

R$50 e R$25

(81) 2129-5961

Nesta quinta-feira (16), às 20h, o musical “A Vida de Chico Xavier em Um Cisco” estreia na cidade de São Paulo, no Teatro Novo, localizado na Vila Mariana, Zona Sul. A peça narra a trajetória do médium brasileiro de forma leve, comovente e inspiradora e foi escrita por Plínio Oliveira.

A trama se desenvolve em uma estação de trem, onde a vida de Chico Xavier (1910/2002) é narrada dos seus quatro aos 92 anos de idade, contando seu percurso do anonimato até se tornar uma das figuras mais populares do país. Nesse cenário, os personagens se encontram como uma metáfora da vida, na qual uns partem enquanto outros chegam.

##RECOMENDA##

“A peça humaniza a figura de Chico Xavier e destaca também os medos e os desafios de sua vida, evidenciando o seu temor pela morte, os obstáculos enfrentados pela não aceitação do seu dom, a incompreensão da família e sua integridade e bondade diante disso”, adianta Oliveira. “Embora seja a biografia de um líder espírita, a peça não tem enfoque religioso. É uma história contada com amor e feita para emocionar a todos”, completa o autor.

Com um elenco composto por 16 atores/cantores/bailarinos e oito músicos da Orquestra Jovem da Paz, o espetáculo tem aproximadamente duas horas de duração, com 30 cenas musicais – quatro de músicas populares e 26 canções originalmente compostas por Oliveira em arranjos orquestrais. O valor dos ingressos é de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) e podem ser comprados no site Ingresso Rápido.

Serviço:

Musical “A Vida de Chico Xavier em Um Cisco”

Quando: Estreia na quinta-feira, 16 de maio

Horário: Às 20h

Onde: Teatro Novo

Rua Domingues de Morais, 380, Vila Mariana, São Paulo

Classificação: 10 anos.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando